É muito sofrimento! Coluna Mário Marinho. Especial Copa do Mundo

COPA DO MUNDO – ESPECIAL

É muito sofrimento!

COLUNA MÁRIO MARINHO

Ufa!

Foi justa a vitória, foi merecida, foi relevante e, acima de tudo, muito importante.

Mas, será que a gente merece tanto sofrimento assim?

Se bem que, em situações assim, sempre me vem à mente frase que ouvi ainda na primeira série ginasial (lá se vão anos, décadas) de um professor de Matemática, Manoel Doro, que, como todo matemático, era também filósofo: “A vida que corre tranquila não cria caracteres viris”.

Ou seja: é na dificuldade que você cresce, ascende, eleva.

Então, meu caro professor Doro, crescemos muito nesta manhã.

Pode ser até premonitório: quem sabe esse sofrimento todo não cria liga forte nesse time que é bom, mas não tem jogado bem?

Quem sabe?

O primeiro tempo foi absolutamente ridículo, com a nossa Seleção cinco vezes campeã do mundo sendo dominada pela frágil Costa Rica.

É verdade que desta vez Neymar ficou mais tempo em pé: levou 15 minutos para a primeira queda.

Mas, somente aos 30 minutos levamos algum perigo ao gol adversário.

No segundo tempo as coisas melhoraram e tivemos alguns lampejos de futebol brasileiro.

Veio o pênalti que foi claro. A repetição do lance, pela câmara de trás do gol, mostra Neymar sendo impedido de chegar à bola e, um pouco mais atrás, o juiz marca o pênalti com absoluta certeza, sem titubear.

Vem a pressão dos costarriquenhos e o juiz se asila no porto que lhe é seguro do Juiz de Vídeo.

Ele vê e revê o lance. Volta e determina que fica o apito pelo não apito. E eu pergunto: o que ele viu naquelas imagens que nós outros não vimos?

Ah!, o Neymar fantasiou. Pode ser. Mas, se houve o pênalti, deve prevalecer a falta. Até porque, a fantasia, o exagero vem depois da falta cometida.

Não foi certo. Porém, fica a lição.

E tudo caminhava para o empate que poderia jogar o Brasil numa situação muito ruim, até que veio o gol de Philippe Coutinho.

Gol de bico, gol salvador. Gol de raro oportunismo como aquele que Ronaldo Fenômeno marcou contra a Turquia, na Copa de 2002.

Reveja o lance:

Para não deixar qualquer dúvida sobre o merecimento da vitória, veio o gol de Neymar. Gol que o fez desabar depois do jogo (não foi daquelas quedas já manjadas) em choro convulsivo.

No jogo de hoje, ele procurou ser mais sério – e foi.

Mas ainda está longe do jogador brilhante, do craque candidato a melhor do mundo.

Talvez pelo longo período de inatividade, talvez por não estar ainda completamente recuperado, seja lá por qual motivo for, ainda faltam a explosão, a criatividade, a ousadia que sempre foram características do garoto.

Quem sabe o peso que carregava se foi com as lágrimas:

Tomara.

A grande
lição que fica.

De todo sofrimento é possível tirar ensinamentos.

Do jogo contra a Costa Rica ficam pelo menos duas advertências:

– Nosso futebol é bom, até muito bom. Mas não é imbatível, não é imparável.

– O toque de bola lateral, como vimos no primeiro tempo, pode até garantir resultado, no caso, um 0 a 0 que ninguém queria. Mas, para ganhar é preciso ousadia, é preciso arriscar, arrojar.

Aqui, lembro-me de uma frase de Mao-tsé Tung: “Ousar lutar é ousar vencer.”

Sem ousadia é difícil alcançar a vitória.

Veja os principais lances da penúria pela qual passamos hoje.

_______________________________________

FOTO SOFIA MARINHO
MARIO MARINHO, Copa do Mundo Especial CHUMBOGORDO
– Mario Marinho – É jornalista. Especializado em jornalismo esportivo, foi durante muitos anos Editor de Esportes do Jornal da Tarde. Entre outros locais, Marinho trabalhou também no Estadão, em revistas da Editora Abril, nas rádios e TVs Gazeta e Record, na TV Bandeirantes, na TV Cultura, além de participação em inúmeros livros e revistas do setor esportivo.
(DUAS VEZES POR SEMANA E SEMPRE QUE TIVER MAIS
 NOVIDADE OU COISA BOA DE COMENTAR)

4 thoughts on “É muito sofrimento! Coluna Mário Marinho. Especial Copa do Mundo

  1. Meu caro jornalista. Penalty em Neymar?? Você é o primeiro a dizer isso. Deve estar usando a velha técnica de repetir uma mentira até que se torne verdade.
    A imprensa inglesa considera o Neymar um mimado, chorão e trapaceiro. TRAPACEIRO!
    É de se perguntar, quanto os patrocinadores de Neymar estão te pagando?

  2. PREZADO MARIO. ABOUT NEYMAR VOU SÓ TE FAZER UM PROGNÓSTICO FUTEBOLÍSTICO QUE, COMO TODOS, TEM 99% DE CHANCE DE NÃO ROLAR. MAS O 0,01% CONFORME A LEI DE MURPHY PODE VIR: UM BICO DE JEITO NA CANELA OU UM PISÃO CERTEIRO NO PÉ JÁ SEMI DETONADO. E COMO ISSO OCORRERIA? SE ELE REPETIR, TRIPUDIANDO DO ADVERSÁRIO COMO UM JOGADOR DE SHOW ESTILO GLOBE TROTTER, DANDO A “CARRETILHA”. ELE FAZ MAS NA HORA DE PASSAR VAI LEVAR UMA CERTEIRA. JOGADINHA DE CIRCO DISPENSÁVEL, COISA DE SHOW BARATO. NO YOUTUBE TEM UMA PORRADA DE GAROTAS (EU FALEI “AS”) FAZENDO MELHOR. MINHA DISCUTÍVEL OPINIÃO. FICAMOS ASSIM.

    1. Caro José,
      O primeiro a gritar “Pênalti” foi o juiz da partida que marou a falta de imediato.
      Algumas pessoas que entendem muito de arbitragem, como é o caso do Arnaldo César Coelho, também consideraram que houve pênalti.
      Não é a sua opinião e eu a respeito.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *