Que fase, Neymar! Coluna Mário Marinho

Que fase, Neymar!

COLUNA MÁRIO MARINHO

Dizem os entendidos que o inferno astral se abate sobre nós no mês anterior ao aniversário de nascimento.

Mas, parece, que tudo na vida de Neymar da Silva Santos Júnior, nascido no dia 5 de fevereiro de 1992, na cidade de Mogi das Cruzes, em São Paulo, acontece muito precocemente.

Aos 16 anos já era craque; aos 22, milionário, bilionário, com carros de luxo, morando em mansão, iate, helicóptero, um filho, muito dinheiro, igual quantidade de mulheres bonitas e um montão de parças.

Aos 27 anos tem história para mais de 54.

Por isso, não é de se estranhar  a fase que anda passando.

Depois da última contusão no PSG veio o lamentável episódio do soco desferido no rosto de um torcedor.

Quando parecia que o tempo se acalmaria, veio o tsunami da namorada contratada para momentos de prazer em Paris.

Acusação de assédio, estupro e agressão física.

O vento começou a soprar a favor do craque pois a versão da moça carecia de consistência.

Veio o jogo da Seleção em Brasília.

Prato de encomenda para levantar o astral.

Foi bem recebido pela torcida ao entrar em campo. Começou o jogo e tudo parecia normal: três dribles e quatro quedas.

Aos 17 minutos, o Inferno Astral abriu suas fumegantes e calorentas portas, exibindo suas entranhas vulcânicas: num lance bobo, bem no momento em que o Brasil fazia 1 a 0, Neymar torce o tornozelo e sai de campo.

A televisão mostra sua imagem de choro.

Muita gente não acredita.

Minutos depois, ele é levado, quase carregado, para o vestiário. Dali, para o hospital.

Na madrugada, a triste constatação: ruptura ligamentar.

Diz a nota oficial da CBF:

“Diante da gravidade da lesão, Neymar não terá condições físicas e tempo de recuperação suficiente para participar da Copa América Brasil 2019”.

A Comissão Técnica da Seleção ainda não definiu quem será convocado em seu lugar.

Neymar volta agora à rotina de exames médicos, fisioterapia, longo tratamento. Rotina que só será quebrada com os depoimentos que terá que prestar envolvendo o rumoroso caso com a bela modelo.

Uma pena para o homem Neymar, uma pena para a nossa Seleção que anda tão em falta de boas apresentações para os carentes fãs.

TV Globo

e Mauro Naves

Em seu espaço mais nobre, o Jornal Nacional, a TV Globo anunciou ontem, com a voz grave e séria de William Bonner, que o repórter Mauro Naves está afastado da cobertura da Seleção Brasileira até que sejam esclarecidos fatos envolvendo esse excelente profissional e o caso Neymar.

Aconteceu que Mauro Naves passou o telefone da família Neymar para o ex-advogado da modelo que processa Neymar.

O jornalista se explicou dizendo que conhece bem as duas partes – advogado e família do Neymar – e que não viu nada de errado em sua atitude. Além disso, recebeu a promessa do advogado de ter informações exclusivas.

A Globo, mesmo elogiando o profissionalismo de Mauro Naves, achou o comportamento meio estranho, fora dos padrões normais, e decidiu afastá-lo.

A empresa tem todo o direito de agir assim, inclusive procurando preservar o bom nome de seu profissional.

Conheço o Mauro Naves há alguns anos. Tempo suficiente para admirar e respeitar o seu trabalho. Conheço seu caráter, sua honestidade e sua competência.

Essas não são palavras apenas minhas, mas de todos os companheiros do Mauro na Globo, onde ele é chamado respeitosamente pelos companheiros de “Presidente”.

Hipoteco minha solidariedade a ele.

Ainda a

TV Globo

Outro caso abalou o Esporte da Globo nesse meio de semana.

A repórter Ana Helena Goebel (na foto, justamente entrevistando o jogador Cuellar), do Rio, foi afastada após entrevistar o jogador Cuellar, do Flamengo em reportagem que foi ao ar nessa segunda-feira no Globo Esporte RJ.

Na reportagem, a repórter afirma que Cuellar pode estar deixando o Flamengo após a Copa América, na janela internacional do mês de julho.

Segundo ela, o jogador tem propostas de times europeus. Ele não confirma, mas diz, na entrevista, que é seu sonho “como o de todo jogador, ir para a Europa”.

O jornalista e blogueiro Tiago Cordeiro denunciou em seu blog que havia grave conflito de interesse na matéria, já que a jornalista é casada com o empresário de jogadores Gianfrancesco Petruzzielle, por sinal empresário de Cuellar.

Segundo o blogueiro, a jornalista criou uma situação de interesse no jogador do qual não se tem notícia.

A reportagem foi vista com estranheza nos bastidores da Globo e a direção resolveu afastar a repórter da cobertura da Copa América até que o caso seja devidamente esclarecido.

Ah!, e

teve jogo

Por fim – e muito menos importante o que tudo o que foi dito até aqui – a Seleção Brasileira jogou e não teve dificuldades em vencer a Seleção do Catar, 2 a 0, gols de Richarlison e Gabriel Jesus.

A Seleção fez um bom primeiro tempo, com os jogadores demonstrando muito empenho, muita vontade.

No segundo tempo, a fragilidade do adversário diminuiu o interesse dos brasileiros.

O próximo adversário será a Honduras, domingo, no Beira Rio, em Porto Alegre.

Mais carne assada. Assim, eram chamados no boxe os adversários fracos que já subiam ao ringue certos de que levariam uma surra.

—————————————————————————————–

FOTO SOFIA MARINHO

Mário Marinho – É jornalista. Especializado em jornalismo esportivo, foi durante muitos anos Editor de Esportes do Jornal da Tarde. Entre outros locais, Marinho trabalhou também no Estadão, em revistas da Editora Abril, nas rádios e TVs Gazeta e Record, na TV Bandeirantes, na TV Cultura, além de participação em inúmeros livros e revistas do setor esportivo.

(DUAS VEZES POR SEMANA E SEMPRE QUE TIVER MAIS
 NOVIDADE OU COISA BOA DE COMENTAR)

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *