Mengão assume a liderança de bicicleta. Coluna Mário Marinho

MENGÃO ASSUME A LIDERANÇA DE BICICLETA

COLUNA MÁRIO MARINHO

A beleza plástica e o malabarismo de um gol de bicicleta encantam a todos.

E começou a encantar o mundo na Copa do Mundo de 1938 quando Leônidas marcou um gol de bicicleta.

A jogada foi considerada incrível e quase impossível pelos estupefatos europeus.

Há controvérsias sobre a criação da jogada. Alguns historiadores a atribuem ao paulista Petronilho de Brito.

Alguns outros países reivindicam a paternidade da jogada.

Entretanto, quem mais usou a jogada e quem a tornou internacionalmente famosa foi Leônidas da Silva.

Nesse fim de semana, o uruguaio Arrascaeta fez um golaço, como são os gols de bicicleta, na vitória por 3 a 0 sobre o Ceará.

Vitória que, somada ao incrível tropeço santista, valeu ao Mengão a liderança do Brasileirão.

Flamengo e Santos estão empatados em pontos, 33, mas o Mengão leva vantagem nos gols.

O Santos, maníaco por ataque, abriu 3 a 0 em cima do Fortaleza, jogando na Vila Belmiro.

Era, portanto, “macuco no emborná” – expressão usada na roça para dizer que eram favas contadas, ou seja, situação decidida.

Mas, não.

Com sua volúpia pelo gol, o Santos esqueceu-se de sua defesa e acabou levando o empate.

Resultado que causou tremenda frustração a sua torcida e a perda da liderança.

No Rio, o São Paulo foi freado pelo Vasco de Vanderlei Luxemburgo e perdeu por 2 a 0.

Jogou muito mal o Tricolor de São Paulo.

Além disso, houve a discutida e discutível interferência do VAR.

Aos 32 minutos do primeiro tempo, o atacante Raniel levantou demais o pé e acertou a cabeça do volante vascaíno Richard.

O juiz Anderson Daronco apontou a falta no ato.

Falta para cartão amarelo, em minha opinião e também na opinião do ex-juiz e especialista no assunto Paulo Cesar Oliveira.

Mas, alertado pelo VAR, Daronco foi consultar o lance no monitor à beira do gramado.

Depois de inexplicável demora o juiz aplica o cartão vermelho.

O lance pareceu a mim e ao especialista caso de cartão amarelo. A repetição do lance mostra que Raniel foi imprudente sim, mas, não visou o jogador adversário.

Outro problema é a demora na tomada de decisão.

A televisão mostrou que Daronco argumentou fortemente com os homens do VAR.

E, a mim, pareceu uma discussão de botequim. Daquela que os dois lados são inflexíveis e a discussão não acaba mais.

Eu penso que a função do VAR é chamar a atenção do juiz para um lance que lhes pareceu faltoso. Daí para a frente, a decisão é do árbitro. E só dele.

Não cabem essas intermináveis lenga-lengas.

No segundo jogo dirigido por Rogério Ceni, o Cruzeiro ficou no empate, 1 a 1, contra o CSA, em Alagoas.

Prestigiado por Rogério Ceni, Fred fez o gol do Cruzeiro, o segundo que marca nestes dois jogos.

Mas, aos 49 minutos, a defesa bobeou e o lateral direito Apodi, que desde o começo da carreira, em 2006, no Vitória-BA até hoje já passou por 19 equipes, marcou o gol de empate.

Homofobia
não pode

A CBF baixou determinação que entrou em vigor na rodada deste domingo contra a homofobia.

Agora, o juiz pode parar o jogo se houver manifestações homofóbicas por parte da torcida.

Foi o que aconteceu no Vasco e Flamengo.

A torcida vascaína entoou o grito de “Time de veado” referindo-se ao São Paulo.

O juiz Anderson Daronco parou o jogo e pediu ajuda ao técnico Vanderlei Luxemburgo e aos jogadores para conter os torcedores.

Daronco fez constar o episódio na súmula que agora vai para o STJD.

Se o Tribunal condenar o time, a pena pode ser a perda de três pontos do jogo. Pena que dobra em caso de reincidência.

Haverá também multa pecuniária.

Eu não acredito que o Vasco irá ser penalizado, já que a torcida parou com as ofensas.

Mas, fica o alerta para todos os torcedores brasileiros.

Prestenção,
menino!

Se não for levado por águas turbulentas tão comuns nos destinos dos jogadores de futebol, Tales, de 17 anos, tem tudo para ser um craque.

Fez o primeiro gol vascaíno e mostrou habilidade e competência.

Como está sendo dirigido pelo competente Vanderlei Luxemburgo, que, parece, voltou a ser o técnico centrado de anos atrás, o menino vai dar muitas alegrias a quem gosta de futebol e, principalmente, aos vascaínos.

Veja os gols do Fantástico

O incrível
Isaquias.

Parece incansável, quase um super-homem.

Isaquias Queiroz conquistou medalha de ouro no mundial de canoagem disputado em Szaged, na Hungria.

Esse baiano de 25 anos não se deixou abater pelo cansaço das disputas na véspera e, nessa prova individual, foi o único a terminar os 1.000 metros abaixo dos quatro minutos, cravando 3min59s23.

É a 12ª medalha dele em mundiais, sendo a sexta de ouro.

É um fenômeno.

—————————————————————————————–

FOTO SOFIA MARINHO

Mário Marinho – É jornalista. Especializado em jornalismo esportivo, foi durante muitos anos Editor de Esportes do Jornal da Tarde. Entre outros locais, Marinho trabalhou também no Estadão, em revistas da Editora Abril, nas rádios e TVs Gazeta e Record, na TV Bandeirantes, na TV Cultura, além de participação em inúmeros livros e revistas do setor esportivo.

(DUAS VEZES POR SEMANA E SEMPRE QUE TIVER MAIS
 NOVIDADE OU COISA BOA DE COMENTAR)

1 thought on “Mengão assume a liderança de bicicleta. Coluna Mário Marinho

  1. MMarinho. Não houve intenção de se cometer falta. Nem tocou no jogador, se não arrancaria a cabeça. Jogada perigosa e antigamente era punida com dois toques (isso acabou ?). Jogador “vitima” faz uma cena incrível, recebe água milagrosa e rapidamente se põe de pé. Não mereceria tb um cartão pela encenação toda? O juiz, que eu saiba, é a autoridade máxima em campo e suas decisões soberanas. Nada de ficar escravo da tecnologia.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *