“Por la Gracia de Dios”. Por Maria Helena RR de Sousa

“POR LA GRACIA DE DIOS”

MARIA HELENA RR DE SOUSA

Abadia da Santa Cruz do Vale dos Caídos
Abadia da Santa Cruz do Vale dos Caídos

…Será que não aprenderam com a linda Espanha que não devemos usar o Santo Nome de Deus em vão? De que serviu ao Generalíssimo Franco se autointitular ‘Caudillo de Espãna Por la Gracia de Dios’? Do que lhe serviu o majestoso mausoléu no Vale dos Caidos…

(PUBLICADO ORIGINALMENTE NO BLOG DO NOBLAT, 
VEJA ONLINE, 25 DE OUTUBRO DE 2019)

Leio sensibilizada o lindo artigo de Juan Arias, o  jornalista espanhol publicado pelo jornal EL Pais, sobre o atual estado emocional do Brasil. O artigo, além de muito bem escrito, retrata uma triste verdade: “Os brasileiros estão vivendo um momento paradoxal. Somos nós, os que vieram de fora, que mais os apreciamos e amamos, e por isso somos os que mais nos surpreendemos, nestes momentos, ao ver que estão com medo de amar e de se amar entre si, porque o ódio substituiu o amor. E da glória ao inferno sempre há apenas um passo.

Que volte a ser o Brasil que trazem nos olhos os imigrantes que chegam aqui na espera de uma praia de liberdade para melhor expressar toda a sua criatividade, em vez do campo de batalha no qual o estão convertendo.

O Brasil, sua terra privilegiada e sua gente enriquecida com a rica pluralidade de suas culturas, tem de voltar a ser o país que, segundo uma feliz expressão, Deus havia escolhido para viver”.

Não adianta negar: estamos mesmo nos amando menos.  Será que o Brasil esqueceu que já houve tempo em que agradecíamos a Deus por nossas belezas naturais, por nossa sensibilidade, pelo fato de aqui não haver terremotos, nem tufões, nenhum desastre natural que nos fizesse sofrer? Que éramos o país abençoado por Deus, o lugar escolhido por Ele para viver?

É verdade que passamos por alguns maus bocados, sim, sobretudo os vinte anos de uma ditadura militar sem eira nem beira, que nos humilhou, mas que foi varrida com empenho e que foi enterrada sem deixar grandes vestígios. Não conseguiram que combatêssemos uns aos outros, não conseguiram que nos empenhássemos numa guerra fratricida. Foi uma nuvem negra que o vento varreu, sumiu depois de despejar uns poucos pingos… Passou.

Passou, sim, mas de vez em quando insiste em nos assombrar. A geração que agora assumiu o manche parece determinada a bradar, quantas vezes lhe for possível, que foi Deus quem nomeou nosso atual Presidente e sua Imperial Família.

Será que não aprenderam com a linda Espanha que não devemos usar o Santo Nome de Deus em vão? De que serviu ao Generalíssimo Franco se autointitular ‘Caudillo de Espãna Por la Gracia de Dios’? Do que lhe serviu o majestoso mausoléu no Vale dos Caidos, onde seu corpo jazia desde 1975?

Mausoléu que foi mais um dos engodos de Franco ao povo espanhol, já que segundo o caudilho, a promessa era que seria erguido para honrar os caídos dos dois lados, na Guerra Civil (1936-1939) entre nacionalistas e republicanos. Teve quem acreditasse…

Franco morreu como todos morreremos e ontem foi exumado para ser enterrado ao lado de sua mulher num cemitério comum. A História se encarregará de enterrar as lendas…

Por la Gracia de Dios…

Imagem abertura: Santa Cruz do Valle dos Caídos

______________________________________________________

Maria Helena Rubinato Rodrigues de Sousa

Professora e tradutora. Vive no Rio de Janeiro. Escreve semanalmente para o Blog do Noblat desde agosto de 2005. Colabora para diversos sites e blogs com seus artigos sobre todos os temas e conhecimentos de Arte, Cultura e História. Ainda por cima é filha do grande Adoniran Barbosa.

 

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *