Não deveria ter sido assim. Blog do Mário Marinho

NÃO DEVERIA TER SIDO ASSIM

BLOG DO MÁRIO MARINHO

O final do Campeonato Brasileiro, o nosso Brasileirão, deveria ter sons de fogos de artifício; lágrimas de alegria; abraços emocionados; correria para encontrar o amigo e abraçar.

O abraço do pai ao filhinho pouco mais que um bebê, deveria ser de comemoração e não de proteção contra a fumaça que engasga, que sufoca.

Os estouros alegres dos fogos de artifício foram substituídos pelo barulho assustador das bombas de efeito moral.

Foram lamentáveis as cenas ocorridas no Mineirão a que o Brasil todo assistiu na tarde do domingo.

A queda de um time para a segunda divisão, a Série B, é triste, é duro, faz sofrer, mas, não é o fim do mundo.

Por que tanta violência?

Contra quem?

Contra os jogadores que estavam em campo? Eles não são os únicos culpados.

A verdade é que o Cruzeiro passou os últimos meses caindo.

A derrota para o Palmeiras foi apenas mais uma – ou a última, mas, não foi a determinante.

Parece que baixou no Cruzeiro o espírito que norteou a alta direção do Brasil nos últimos anos.

Quem deveria governar, desgovernou.

Quem deveria ser honesto, foi desonesto.

Quem deveria ser sério, foi galhofeiro.

Quem deveria ser probo, foi improbo.

O que aconteceu dentro de campo, foi o resultado lógico de tamanha bagunça.

O que aconteceu foi um impeachment, não foi golpe.

O choro, a dor do torcedor, a desilusão e até a raiva do momento são reações normais – mas, a violência, não.

Por que quebrar cadeiras e atirar os pedaços para cima se esses pedaços podem cair sobre outros companheiros de time – e de infortúnio?

Não dá para saber o que foi mais marcante: as comoventes lágrimas de pessoas tomadas pela tristeza ou o absurdo das irracionais cenas de vandalismo.

O Cruzeiro é um time grande, de passado histórico, de feitos grandiosos.

Vai voltar.

O torcedor deve guardar sua dor, sua raiva e transformar essa energia negativa numa força positiva que o time vai precisar no ano que vem.

Mas, que fique atento ao que ocorre dentro de seu Clube.

Afinal, parafraseando o filósofo, o preço da Série A é a eterna vigilância – e o apoio.

Outras

tristes cenas

O programa Esporte Espetacular, da Globo, mostrou nesse domingo tristes cenas ocorridas na Arena Alianz Parque, bela casa do Palmeiras.
Dois torcedores palmeirenses sendo colocados para fora por outros torcedores, simplesmente pelo fato que não estarem vestidos com camisa do time.

Um absurdo!

E, ao saírem, só não foram agredidos fisicamente por não contestarem a aberração da situação criada.

Quando parecia que o torcedor estava ficando mais civilizado com as novas e confortáveis arenas, acontece um disparate como esse.

Uma vez
Flamengo, sempre Flamengo.

Apesar da inesperada da goleada sofrida frente ao Santos, o Flamengo fecha o Brasileirão sem deixar a menor dúvida.

Melhor time na pontuação (90 pontos, o segundo colocado, o Santos, somou 74); maior número de vitórias (28. O Santos foi o vice com 22). Melhor ataque (86 gols contra 60 do Santos). Teve o artilheiro da competição, Gabigol, com 25 gols (o segundo colocado foi o também rubro negro Bruno Henrique com 21).

A massa flamenguista foi responsável pela melhor média de público do Brasileirão, em jogos que o Clube foi mandante: 55.055 torcedores (20 mil a mais que o Fortaleza, segundo colocado).

Os
Jorges ficam?

Campeão e vice têm agora pela frente uma tarefa no mínimo delicada: manter seus treinadores.

No Flamengo, Jorge Jesus tem contrato até maio do ano que vem. Há uma cláusula que permite a rescisão amigável ainda este ano.

É claro que o Mengão não vai querer fazer uso dela.

Já pelo lado de Jesus, essa certeza não é assim tão clara. Afinal, ele está sendo cobiçado por times europeus que lhe darão mais visibilidade e mais grana no bolso.

No Santos, Jorge Sampaoli tem contrato até o final do ano que vem.

Mas, a convivência com os dirigentes santistas durante a temporada não foi pacífica.

Do mesmo jeito que é elétrico na beira de campo, Sampaoli é também agitado em seus relacionamentos. E, o que deixa os dirigentes nervosos, é que ele costuma fazer cobranças em público.

Nada que não possa ser resolvido com uma boa conversa.

O problema é que já chegaram convites de outros clubes. Entre eles, o Palmeiras.

Veja os gols do Fantástico:

—————————————————————————————–

Mário Marinho – É jornalista. É mineiro. Especializado em jornalismo esportivo, foi durante muitos anos Editor de Esportes do Jornal da Tarde. Entre outros locais, Marinho trabalhou também no Estadão, em revistas da Editora Abril, nas rádios e TVs Gazeta e Record, na TV Bandeirantes, na TV Cultura, além de participação em inúmeros livros e revistas do setor esportivo.FOTO SOFIA MARINHO

(DUAS VEZES POR SEMANA E SEMPRE QUE TIVER MAIS
 NOVIDADE OU COISA BOA DE COMENTAR)

3 thoughts on “Não deveria ter sido assim. Blog do Mário Marinho

  1. Existe o mundo dos sonhos e o mundo real.

    No dos sonhos esse pai cretino levaria seu filho onde quisesse quando quisesse

    No real ele deveria ser processado por tamanha cretinice em expor um menor indefeso a tamanho risco

    Ou ele achava q seu timinho ia ganhar?

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *