Tudo ficou nos trinques. Blog do Mário Marinho

TUDO FICOU NOS TRINQUES

BLOG DO MÁRIO MARINHO

Como 10 entre 10 torcedores previam, a final do Mundial de Clubes da Fifa será mesmo entre Flamengo e Liverpool.

Mantém-se, portanto, a tradição da final entre times da Europa e da América, com raríssimas exceções, desde que a Fifa passou a organizar a competição que antes se chamava Copa Intercontinental.

Vejamos…

No ano de 2000, a competição passou a se chamar Copa do Mundo de Clubes da Fifa e foi realizada no Brasil, com a final entre Corinthians e Vasco, vencida pelo timão, no Maracanã.

Em 2001, a Copa deveria ter sido realizada na Espanha, mas, a Fifa com problemas financeiros não realizou a competição e só voltou a fazê-lo em 2005.

2005 – No Japão, o São Paulo venceu o Liverpool, 1 a 0.

2006 – Japão, o Internacional venceu o Barcelona, 1 a 0.

2007 – Japão, o Milan venceu o Boca Juniors, 4 a 2.

2008 – Japão, o Manchester United venceu o LUD, 1 a 0.

2009 – Emirados Árabes, o Barcelona venceu o Estudiantes, 2 a 1.

2010 – Emirados Árabes, o Internazionale venceu o africano Mazembe, da República Democrática do Congo, quebrando, pela primeira vez, a tradição de Europa x América.

2011 – Japão, o Barcelona venceu o Santos, 4 a 0.

2012 – Japão, o Corinthians venceu o Chelsea, 1 a 0.

2013 – Marrocos, o Bayern de Munique venceu o Raja Casablanca, de Marrocos, 2 a 0.

2014 – Marrocos, o Real Madri venceu o San Lorenzo, 2 a 0.

2015 – Japão, o Barcelona venceu o River Plate, 3 a 0.

2016 – Japão, o Real Madri venceu o Kashima Antlers, do Japão, 4 a 2.

2017 – Emirados Árabes, o Real Madri venceu o Grêmio, 1 a 0.

2018 – Emirados Árabes, o Real Madri venceu o Al Ain, dos Emirados Árabes, 4 a 1.

Portanto, a sequência só quebrada em 2010, 2013, 2016 e 2018.

Esse ano, até que poderia ter acontecido uma final surpreendente.

Isso porque o Flamengo saiu perdendo seu jogo para o Al Hilal e o Liverpool também saiu em desvantagem. No dia seguinte, foi a vez do Liverpool passar por tremendo sufoco até conseguir a classificação em cima do Monterrey .

Os deuses do futebol gostam desse tipo de brincadeira: provocam sustos, mas, logo colocam as coisas no seu devido lugar.

No primeiro tempo de seu jogo contra o Al Hilal, o Flamengo foi irreconhecível.

Foi sequer sobra daquele time envolvente e massacrante que nos acostumamos a ver no Brasileirão.

No segundo tempo, voltou a ser o Mengão e, como naquele samba que canta que o “piston tira a surdina e põe as coisas no lugar” tratou de jogar futebol.

Já o Liverpool suou muito mais e só conseguiu o gol da vitória graças ao brasileiro Firmino, num lance que o saudoso Fiori Gigliotti diria que aconteceu “ao apagar-se das luzes”, ou seja, no minuto final.

E o que nos promete a decisão deste sábado.

Bem, mantidas as condições normais de temperatura e pressão – ou seja, se cada um jogar o que sabe, teremos um jogão de bola, digno de uma final de Copa do Mundo.

Se assim for, se cada um produzir tudo aquilo que sabe, o Flamengo sai com a taça na mão.

Será um jogo na medida para receber o apelido de duelo de titãs.

E, titã por titã, o Flamengo é mais titã.

—————————————————————————————–

Mário Marinho – É jornalista. É mineiro. Especializado em jornalismo esportivo, foi durante muitos anos Editor de Esportes do Jornal da Tarde. Entre outros locais, Marinho trabalhou também no Estadão, em revistas da Editora Abril, nas rádios e TVs Gazeta e Record, na TV Bandeirantes, na TV Cultura, além de participação em inúmeros livros e revistas do setor esportivo.FOTO SOFIA MARINHO

(DUAS VEZES POR SEMANA E SEMPRE QUE TIVER MAIS
 NOVIDADE OU COISA BOA DE COMENTAR)

 

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *