Cacalo voltou, afiado. Caçando hífens errados e comentando o mundo e o Brasil pela imprensa

    

Começou o novo ano, 2020, mas, atenção, a nova década, só no ano que vem, 2021. Porém, ao menos, terá o ano, efetivamente, começado? Não, não mesmo, vai começar depois do Carnaval. E, até lá, há que aguentar a falta de imaginação – ou preguiça? – dos pauteiros dos telejornais. Nas reportagens de fim de ano, uma infinidade de “compras de última hora, trânsito complicado, movimento nas rodoviárias e estradas, “o que você acha do Natal?”; “O que você pediu pro Papai Noel?”; “X milhões de pessoas na 25 de Março (SP), Y milhões de pessoas na Saara (RJ)”; “Gostou da queima de fogos em Copacabana?”;  “A na Avenida Paulista valeu a pena?”.  Então, começa o ano e as repetitivas entrevistas com estudantes que farão o vestibular da Fuvest, o da USP. Além das insuportáveis  sobre os preparativos para o Carnaval.  A seguir, haverá um pequeno alívio, mas logo virão as mesmas de sempre sobre a Páscoa, não faltará peixe etc. etc. etc. “Aparecidos para falar obviedades atrás de 15 segundos de “aparecência” na TV nunca faltam. Então, leitor, você me pergunta, por que não desliga a TV ou sai dos telejornais? Respondo com uma pergunta, como, então, seria possível fazer o Mirando? Há que ter paciência!

 Junto com o novo ano veio mais um problema para atormentar os escribas, confundem-se ao escrever Ano-Novo, ora com hífen, ora sem. É com hífen, Ano-Novo, Ano-Bom, o ano entrante, o próximo ano. O ano pode ser novo, mas a preguiça de consultar a grafia certa continua a mesma, o que também vale no caso de coquetel-molotov/coquetéis-molotovs. Ah, Boas-Festas também leva o sinalzinho diacrítico que tanto atrapalha os cara-pálidas. Disse Millôr Fernandes que “livre pensar é só pensar”, o que é diferente de “livre escrever”, há que escrever certo.

 No dia 26 aconteceu daquelas coincidências que espantam até os deuses, os editoriais do Estadão e da Folha de S.Paulo trataram do mesmo assunto e, mais surpreendente ainda, com o mesmo ponto de vista:

 No Estadão, pág. A3, “Diplomacia da camaradagem”

 https://opiniao.estadao.com.br/noticias/notas-e-informacoes,diplomacia-da-camaradagem,70003136358

 Na Folha, pág A2, “Guinada e colisão”

 https://www.google.com/search?q=guinada+e+colis%C3%A3o+folha&oq=guinada+e+colis%C3%A3o+folha&aqs=chrome..69i57.9174j1j7&sourceid=chrome&ie=UTF-8

 Na mesma edição da Folha, na mesma página: “Porque Moro é popular”. Mais claro, impossível:

https://www1.folha.uol.com.br/colunas/maria-herminia-tavares/2019/12/por-que-moro-e-popular.shtml

 Publicada no site da Folha (27), “Direita reacionária é ameaça à religião mais séria do que um programa de humor”

https://www1.folha.uol.com.br/colunas/joaopereiracoutinho/2019/12/direita-reacionaria-e-ameaca-a-religiao-mais-seria-do-que-um-programa-de-humor.shtml

 Vindo de quem vem, o autor é considerado “quase de direita”, que sirva de alerta aos que se acham donos da verdade religiosa.

 E não é que a coincidência se repetiu no dia 28?

 Na Folha, pág. A2, “Abuso onipresente” https://www1.folha.uol.com.br/opiniao/2019/12/abuso-onipresente.shtml

 No Estadão, pág. A3, “Facebook ‘stalker’

https://opiniao.estadao.com.br/noticias/notas-e-informacoes,facebook-stalker,70003138033

 A Arábia Saudita inovou, criou o julgamento fake, condenou à morte cinco dos envolvidos no assassinato do jornalista Jamal Khashoggi  na embaixada do país na Turquia e inocentou as pessoas mais próximas do príncipe Salman, o provável mandante do crime.

 O jornalista Alexandre Garcia declarou que acha “uma arrogância alguém pensar que é influenciador.”. E é, mas o pior não é isso, é que realmente influenciam.

 bolsonaro levou um tombo no dia 23 de dezembro, diz ele que escorregou no banheiro, não há motivo para acreditar tal é o número de mentiras que conta. Declarou que teve uma momentânea perda de memória, pena que não esqueceu o caminho do Planalto e não tenha voltado pra casa, no condomínio cheio de mistérios no Rio de Janeiro e lá permanecido forever.

 O ano mal começou e começou mal, Trump, ao mandar atacar um aeroporto em Bagdad (Iraque), ação que resultou na morte de importante general iraniano, cometeu um ato insano que terá graves consequências, o Irã já avisou que haverá retaliação pesada. E, para confirmar a teoria de Einstein em relação de coisas infinitas, para ele a burrice humana é a única sobre a qual tem certeza, o Pentágono diz que matou general iraniano para evitar ataque aos EUA. Agora é que, certamente, os EUA receberão chumbo grosso.

 bolsonaro, talvez com inveja do que aprontou seu ídolo,  também fez bobagem, criticou o presidente francês Macron e ativista Greta Thunberg pelo fato de eles não terem se manifestado em relação aos incêndios que devastam parte da Austrália, fingindo ignorar – será que é fingimento mesmo? Ignorância é ponto marcante de seu currículo – que o fogo devastador tem origem em causas naturais, diferentemente do que ocorre na Amazônia. Ao mesmo tempo, pois miséria pouca é bobagem, presta solidariedade a Luciano Hang, dono da rede de Lojas Havan e seu grande aliado, pelo fato de terem posto fogo em uma cópia da Estátua da Liberdade em frente à loja de São Carlos, no interior de São Paulo, ato que deve ser criticado por todos, o que não aconteceu até o momento. bolsonaro, até agora, não se manifestou sobre o atentado cometido contra a produtora Porta dos Fundos. Nem Sergio Moro… Devem achar normal.

 Por falar em ano que mal começou, o jornalista Ancelmo Gois escreveu em seu blog o que pode ser considerada uma das prováveis melhores frases de 2020 ao se referir aos livros encontrados na casa de um dos criminosos que atacaram a produtora Porta dos Fundos : “O imbecil coletivo”, o livro do guru bolsonarista, Olavo de Carvalho. Apesar de a palavra “imbecil”estar no título, o livro não é uma autobiografia.”

 O único identificado entre os autores do atentado fugiu para a Rússia, para os braços de Putin. O “cristão” ofendido,  Eduardo Falzi Richard Cerquise, agrediu, em 2013, Alex Costa, secretário de Ordem Pública do Rio, durante entrevista coletiva convocada pela prefeitura. Constam em sua ficha policial outras agressões, uma delas contra a ex-mulher. Entre os registros, estão acusações de lesão corporal, ameaça, coação no curso do processo, agressão configurada na Lei Maria da Penha, desacato e exercício ilegal da profissão. Ele é filiado ao PSL desde 3 de outubro de 2001. Um típico boçalnarista.

 Boquejantes televisivos, “por enquanto ainda”, “até agora ainda” é subir pra cima:

 ainda
[De a-4 + inda.]
Advérbio.
1. Até agora; até o presente:

 (CACALO KFOURI)

***************

Que alívio, pelo menos não escreveram miça...

***************

Copiada d’O Globo

 Governo envia ao Congresso projeto para uso de recursos públicos no resgate de bancos em crise

Este governo é um espanto, quer taxar desempregados para criar empregos e salvar bancos em crise com dinheiro público…

***************

Copiadas do G1

Produtora do Porta dos Fundos é alvo de ataque no Rio

 Caso foi registrado como crime de explosão na 10ª DP (Botafogo). Segundo a assessoria de imprensa do grupo, dois coquetéis molotov(*) foram jogados na fachada do imóvel.

(*) Impressionante a preguiça dos escribas, é coquetéis-molotovs, coquetel-molotov no singular. Vai ver, jogaram uns nos dicionários das redações. No UOL, foi cometido o mesmo erro: “Os coquetéis molotov(*) produziram chamas enormes.”. No Estadão, o erro é pior ainda: “(…) leem um manifesto enquanto imagens do ataque com coquetéis Molotov(*) são exibidas. N’O Globo, quase acertaram no título e erraram feio no texto: “Funcionário usou extintor para apagar o fogo provocado por coquetéis-molotov(*) lançados contra a produtora na madrugada de terça-feira, véspera de Natal”; “Um vigilante quase foi atingido por um coquetel molotov(*) durante o ataque à produtora Porta dos Fundos na madrugada desta terça-feira, véspera de Natal.”.

 Há uma solução fácil para ao problema, não requer prática nem habilidade, é só consultar os dicionários e o Volp, o Vocabulário Ortográfico da Língua Portuguesa, todos eles são unânimes ao tratar do verbete: coquetel-molotov, coquetéis-molotovs. É incompreensível o atentado cometido contra a precisão na escrita, é possível ter o Volp de graça no celular, dá para fazer a consulta sem sair do que se faz no computador.

 Os ataques não foram cometidos pelos “verdadeiros cristãos” a que se referiu, dia desses, o “pastor” Marco Feliciano, aquele dos dentes de diamante, foram os fascistas do Comando de Insurgência Popular Nacionalista da Grande Família Integralista Brasileira, seja lá o que for isso.

 Mais de 2,5 mil veículos devem deixar São Paulo neste final de ano

Mais de 2,5 milhões de veículos devem deixar SP e polícia reforça fiscalização

Eta turma descuidada velha de guerra. O primeiro é o título na capa, o segundo é o da matéria. Cara-pálida, não acha estranho só 2,5 mil saindo de Sampa, um número insignificante, que seria mais notícia do que se saíssem 25 milhões, por exemplo?

 Vou colar a tela para que o prezado leitor não pense que o erro é armação do Mirando:

“Eu estava cem sinto e centi quando bati a cabeça no teto!

 

***************

Copiadas da Folha

 Bolsonaro concede indulto a policiais e outros agentes de segurança pública

 Presidente troca promessa de campanha por promessa a contingente fardado, que terá pena extinta

E Moro assiste a tudo em silêncio ensurdecedor (pior, apoia)… bolsonaro está preparando terreno para indultar… quem? quem? 01… Que pena que a coisa mais fake que há “neztpaís” é a oposição.

 Governo Bolsonaro inclui propostas pendentes em balanço de realizações

Na área econômica, por exemplo, o balanço de medidas trata como realização do governo o resultado positivo de R$ 30,2 bilhões nas contas públicas em janeiro de 2019. Além de o dado de janeiro não refletir ações da atual gestão, o resultado fiscal ficou negativo durante o ano. Até outubro, o rombo nos cofres do governo federal somou R$ 63,8 bilhões.

A família é um manancial de fake news. O parágrafo acima traz só uma parte das inverdades.

 Em mensagem de Natal, Bolsonaro diz que ano acaba ‘sem denúncia de corrupção”

A perda de memória por causa do tombo foi maior do que ele pensou, no seu governo há um ministro já condenado, dois sendo investigados e o filho 01, mais enrolado do que cascavel se preparando para o bote.

Muito além do Leme ao Pontal, Rio tem 2 a cada 3 praias sujas

 Fatia de praias poluídas sobe desde 2017; Baía da(*) Guanabara é catalisador

(*) De, cara-pálida, de. No texto está certo.

 ***************

Copiadas do Estadão

 Meia-sola(*)

 Com a vulgarização do uso do instituto do impeachment, que desde a Constituição de 1946 era um remédio para casos extremos, pode–se falar, no Brasil, de impeachment “meia sola(*)”.

(*) É muita falta de atenção. Prefiro essa hipótese a considerar que é falta de respeito com o leitor…

 ***************

Copiadas do UOL

Moro defende indulto de Bolsonaro para agentes da segurança pública

 “Em substituição aos generosos indultos salva-ladrões ou salva-corruptos dos anos anteriores, o governo do PR Jair Bolsonaro concedeu indulto humanitário a presos com doenças terminais e indulto específico a policiais condenados por crimes não intencionais”, escreveu Moro.

Perdeu totalmente a compostura. Segundo juízes e desembargadores entrevistados para falar a respeito do indulto,  não há um único policial preso entre os condenados por crimes culposos. Vai acabar saindo da história pela “porta dos fundos”. Triste país, um grupo sem graça e um ministro trágico com o mesmo destino.

 PF indicia Lula sob suspeita de propina de R$ 4 milhões da Odebrecht a instituto

 Além de ex-presidente, Lava Jato do Paraná também indiciou Okamotto, Palloci e Marcelo Odebrecht

Defesa de ex-presidente diz que indiciamento ‘não faz nenhum sentido’

Muda o disco, muda? Esse encalhou, nem sebo quer…

 Rússia lidera corrida dos mísseis hipersônicos(!!!), diz Putin

Acima o título da matéria, abaixo o estrago que o cara-pálida que cuida da capa causou:

Putin: Rússia lidera corrida dos mísseis hipersônica(!!!)

(!!!) Não entendeu patavina do que leu. Cara-pálida, os mísseis é que são hipersônicos, não é a corrida.

 Pastor morre após ser eletrocutado por microfone durante culto em Manaus

 Humm… castigo divino?

***************

Copiada do Blog da Andréia Sadi

 Para auxiliares de Moro, criação da figura do juiz de garantias pode afetar caso Flávio Bolsonaro

 Foi só mais um sapo que Moro engoliu – vai acabar tendo de fazer regime –, a aprovação tem endereço certo, não deixar o juiz que comanda as investigações sobre 01 julgar o caso. Se Moro tivesse um pingo de amor-próprio pegaria o boné e voltaria para casa. Está se humilhando à toa, nem o cargo no STF vai conseguir.

 ***************

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *