Um Secretário de Educação absolutamente inadequado. Por Maria Helena RR de Sousa

UM SECRETÁRIO DE EDUCAÇÃO ABSOLUTAMENTE INADEQUADO

MARIA HELENA RR DE SOUSA

… Com o argumento de que os livros listados tinham conteúdo inadequado às crianças e adolescentes, o secretário Suamy Vivecananda Lacerda de Abreu não teve pejo em incluir em seu memorando livros como “Memórias Póstumas de Brás Cubas” e “Os Sertões”, duas das maiores obras literárias assinadas por brasileiros!

 ARTIGO PUBLICADO ORIGINALMENTE NO BLOG DO NOBLAT,
 VEJA ONLINE, 7 DE FEVEREIRO DE 2020

Rondônia foi premiada com um secretário de Educação que é uma figura extraordinária! Você, leitor, leu a lista de livros que ele queria que fossem recolhidos das escolas estaduais? Ainda bem que algum funcionário mais atilado percebeu que aquela lista era uma bofetada no país!

Com o argumento de que os livros listados tinham conteúdo inadequado às crianças e adolescentes, o secretário Suamy Vivecananda Lacerda de Abreu não teve pejo em incluir em seu memorando livros como “Memórias Póstumas de Brás Cubas” e “Os Sertões”, duas das maiores obras literárias assinadas por brasileiros!

Curiosamente, o secretário apesar de confirmar a existência do documento, declarou que o mesmo não passava de um rascunho! Segundo o secretário, foram técnicos que redigiram o “rascunho” cujo teor ele não aprova, apesar de tê-lo assinado. Mais curioso ainda: para defender os técnicos, o secretário disse que eles foram levados a agir devido a uma denúncia que os livros continham palavrões!

Gostaria que o senhor Lacerda de Abreu mostrasse em qual capítulo, em quais páginas tanto de “Os Sertões” quanto de “Memórias Póstumas”, seus honoráveis técnicos encontraram palavrões.

O mesmo digo de “O Processo”, de Franz Kafka e de “Contos de terror, de mistério e de morte”, de Edgar Allan Poe, dois clássicos da literatura universal que também figuravam na lista da secretaria.

Segundo a indefectível lista, 19 livros de Rubens Fonseca, 8 de Carlos Heitor Cony e 3 de Nelson Rodrigues também deviam ser recolhidos. Bem, nesses podemos encontrar, aqui ou ali, palavras de baixo calão que não destoam. e sim enriquecem, o tema escolhido pelo autor. São livros que só honram nossa literatura. Mas, cá pra nós, seria o caso desses livros serem adotados por escolas básicas?

Francamente, senhor secretário Suamy Vivecananda Lacerda de Abreu. Parece que tudo em sua secretaria deve ser revisto. A começar pela escolha dos técnicos.

A lista, ainda bem, foi cancelada e os livros nela contidos não serão recolhidos. Nem por isso a notícia deve ser ignorada. Ao contrário, devemos falar muito nela, para que nunca mais isso se repita, em nenhuma Secretaria de Cultura de nenhum estado brasileiro.

___________________________

Maria Helena Rubinato Rodrigues de Sousa

Professora e tradutora. Vive no Rio de Janeiro. Escreve semanalmente para o Blog do Noblat desde agosto de 2005. Colabora para diversos sites e blogs com seus artigos sobre todos os temas e conhecimentos de Arte, Cultura e História. Ainda por cima é filha do grande Adoniran Barbosa.

1 thought on “Um Secretário de Educação absolutamente inadequado. Por Maria Helena RR de Sousa

  1. É a versão brasuca de Fahrenheit 451. Na hora de acionar o lança-chamas, o governador chama Bolsonaro,
    que toca fogo em tudo quanto é livro – afinal, livros “têm muitas palavras”, e o capitão se atrapalha com elas.
    “Vamo acabá com tudo isso daí. Talkei!?” Um verdadeiro mito, esse cara! O mito do fim do mundo…

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *