Eleições, demissões, provocações, nosso interminável momento “ões”

Hoje (26), no Tribunal de Justiça do Rio de Janeiro, será julgado mais um habeas corpus do “inocente”  Flávio Bolsonaro em mais uma tentativa de melar a ação das rachadinhas. Se o HC não for concedido e ela tiver continuidade haverá um terremoto de índice 9 na escala Richter em Brasília.

 Neste artigo publicado na Folha de S.Paulo (24), pág. A8, “Eduardo e Flávio” está a mais perfeita descrição dos conselhos de Ética da Câmara e do Senado, casas de tolerância.

https://www1.folha.uol.com.br/colunas/conrado-hubner-mendes/2020/06/eduardo-e-flavio-aprendem-pelo-exemplo.shtml

 Fica difícil entender as tratativas para adiamento da data das eleições municipais tendo em vista as enormes filas nas portas das agências bancárias para tentativa de recebimento do auxílio emergencial.

 Ilustre coleguinha André Trigueiro, contrato “aonde”? Primeiro, nem onde estaria certo, é em que, segundo, aonde é um advérbio que indica a que lugar se vai.

 De vez em quando, tampo o nariz e leio comentários postados por leitores sobre matérias do UOL e G1, o nível de mediocridade, em geral, é bolsonaresco. Mas fazia tempo que não lia tantas barbaridades como as no G1, nos comentários sobre a carta que a associação de funcionários enviou à diretoria do Banco Mundial pedindo que seja suspensa a nomeação de Weintraub para a diretoria da instituição, é impossível comentá-los sem o uso de palavras grosseiras. Não publicarei um link como faço habitualmente, este espaço tem princípios que não quebro, mas quem quiser conferir é só ir ao G1 e procurar por  

 “Blog da Julia Duailibi”

 “Funcionários do Banco Mundial pedem suspensão da nomeação de Weintraub”

(CACALO KFOURI)

                                                                   ***************

                                                                  ***************

Copiada do Blog do Ancelmo

 Mandetta 2022

 Luiz Henrique Mandetta prepara um livro contando os bastidores da sua passagem pelo Ministério da Saúde. Há quem ache que ele pretende ser candidato a presidente em 2022.

 Será que no livro ele vai contar os malfeitos em que esteve envolvido em Mato Grosso do Sul quando foi secretário de Saúde? Um deles é ter favorecido as empresas Telemídia Alert –em um contrato de R$ 9,9 milhões.Por coincidência, as duas financiaram um périplo dele pela Europa em 2010. Há outro caso estranho, Mandetta foi diretor da Unimed em Campo Grande e, quando ministro da Saúde, tentou de todas as formas atingir a Prevent Senior, empresa que incomoda muito o mercado por apresentar planos mais baratos.

 A situação anda tão medíocre no país que até gente com este passado é cotada para candidato à Presidência da República.

                                                                   ***************

Copiadas do G1

 70% das mortes por síndrome respiratória em MG têm causa indeterminada

 G1 revelou que estado é o que testa(???) Covid no país. Governo admite falha.

(???) Uai, todos testam, falta algum indicativo aí, ou mais, ou menos. Era menos, corrigiram tempos depois. Estão muito distraídos, anteontem faltou pai em um título: “Covid-19 mata (???) e filho em intervalo de 11 dias no(*) Mato Grosso”

 Banco Central e Cade suspendem pagamentos pelo WhatsApp no Brasil

 Novidade foi anunciada pelo Facebook na semana passada, mas BC quer avaliar riscos concorrenciais e garantir funcionamento adequado do Sistema de Pagamentos Brasileiro (SPB). Cade vê riscos para a concorrência.

 Tradução: a pressão do sistema bancário funcionou, o quê, aliás, estava mais do que evidente que aconteceria desde o dia em que houve protestos da parte dele. Os bancos, símbolo máximo do capitalismo selvagem, detestam concorrência.

 Senado aprova novo marco legal do saneamento básico, e texto segue para sanção

Proposta facilita aumento da participação privada(*) na prestação do serviço e prevê coleta de esgoto para 90% da população até o fim de 2033. Saiba o que o texto define.

(*) Este é o problema do marco real, o duplo sentido desta palavra, muito adequada quando se trata de saneamento básico. O histórico de concorrências no país é triste, as empresas que vencem as concorrências em 99,9% dos casos não cumprem os contratos ou apresentam motivos falsos para tentar preço maior durante a vigência do contrato firmado.

 Roberto Jefferson é um dos hóspedes despejados do Hotel Nacional de Brasília

O ex-deputado federal Roberto Jefferson (PTB) foi um dos hóspedes que precisou deixar o Hotel Nacional de Brasília após uma ordem de despejo, nesta quarta-feira (24). No final da manhã, oficiais de justiça e a Polícia Militar do Distrito Federal cumpriram a determinação de desocupação do imóvel.

O prédio foi leiloado por R$ 93 milhões em 2018, mas os antigos donos se recusaram a deixar o local.

Não terá problemas, está hospedado no Palácio do Planalto, onde só tem gente honesta, conta a patifaria e a velha política, é o coiso cumprindo sua plataforma na campanha,  no que só os coisiformes continuam a acreditar.

                                                                  ***************

Copiadas da Folha

 Manifestantes tentam derrubar estátua de ex-presidente dos EUA em frente à Casa Branca

 No início da noite desta segunda (22), manifestantes antirracismo tentaram derrubar uma estátua do ex-presidente dos EUA Andrew Jackson que fica na praça Lafayette, em frente à sede do governo americano, mas foram impedidos por policiais que usaram gás lacrimogêneo e de pimenta para dispersar a multidão.

Calma, pessoal, assim vocês terão de derrubar as de George Washington, também teve escravos e até filho com uma escrava, queimar notas de U$ 1, efígie de GW e as de U$ 20, Jackson, o da estátua que tentaram derrubar.

 Médico contra ‘ativismo pró(*)aborto’ é nomeado na atenção primária na Saúde

 E o cara-pálida que escreveu o título deve ser contra cordão umbilical, eliminou-o. É pró-aborto, escriba.

Em outubro de 2019, Parente escreveu um artigo na Folha contra o que chamou de “ativismo pró aborto”.

Caramba, a falta de hífen é antiga, então. Não, não é, é mais um erro do escriba. Foram corrigidos na versão digital.

                                                                  ***************

Copiada do Estadão conteúdo

Associação de funcionários do Banco Mundial pede suspensão de nomeação de Weintraub

Grupo quer que a nomeação do brasileiro para assumir uma diretoria executiva do banco fique suspensa até a conclusão de uma investigação do Comitê de Ética

Em bom português, o que ele não conhece, ferrou-se.

                                                               ***************

Copiadas do UOL

 Weintraub agradece “a dezenas de pessoas” que o ajudaram a deixar o Brasil

O ex-ministro da educação Abraham Weintraub agradeceu a ajuda para deixar o Brasil em uma mensagem nas redes sociais na manhã de hoje. Ele chegou a Miami, nos Estados Unidos, no último sábado. “Agradeço a todos que me ajudaram a chegar em segurança aos EUA, seja aos que agiram diretamente (foram dezenas de pessoas) ou aos que oram por mim”, disse o ex-ministro do governo Bolsonaro.

No levantamento que fiz contei 00, 01, 02, 03, Ernesto Araújo, Polícia Federal, general Braga, André Mendonça, provavelmente Aras, o AGU José Levi Mello do Amaral Júnior… 

 Por que o AGU na lista? Porque um AGU que faz isto: “AGU vai recorrer de decisão que obriga Bolsonaro a usar máscaras

A AGU ressalta que “já estuda todas as medidas cabíveis para reverter a liminar e preservar a independência e a harmonia entre os Poderes”.

… e quem apresenta este argumento como justificativa para um recurso sem cabimento  é capaz até de ter levado Weintraub ao aeroporto.

“Impessoal e grosseiro”, dizem docentes da Uninove demitidos pela internet

Devem ter demitido antes todos os professores de Português! Olhem no pé do texto como escreveram “rescisórias”, falta o “s”. Dá para imaginar o nível dos alunos que sairão da Uninove? Vão ter de mudar o nome para Unizero…                          

***************

Copiada da Coluna de Thaís Oyama

Governo Bolsonaro começa a dar adeus aos coronéis

Ocorre que, a partir do que se convencionou chamar de “o rearranjo da base do governo no Congresso” — também conhecido como a entrega de Bolsonaro ao “toma-lá-dá-cá”—foi preciso cavar espaço para acomodar os novos amigos do Centrão. E assim, os coronéis do governo começaram a ser chamados por seus superiores para ouvir um curto e grosso “na rota” —o que pode ser traduzido da linguagem da caserna como: “Rua”. Isso aconteceu na semana passada com militares lotados na Secretaria Nacional de Segurança, subordinada ao Ministério da Justiça, e também na secretaria de Esportes, subordinada ao Ministério da Cidadania. Mas os coronéis estão espalhados também pela Petrobras, Itaipu, Correios e Incra, entre outras áreas agora vorazmente cobiçadas — e não apenas pelos novos amigos do presidente. Diante do “rearranjo” com o Centrão, siglas que até agora apoiavam o governo de graça passaram a exigir um lugar ao sol.

Como definiu em singelas palavras o deputado Paulo Eduardo Martins, do PSC, que junto com a sua bancada, esteve hoje com Bolsonaro: “Como o governo abriu diálogo com outras bancadas, era hora de dar carinho a um velho amigo.”

Agora é assim: para os amigos, “carinho”.

Para os coronéis, na rota.

É mais um tiro no pé, vai se indispor com os “coroné” – as nomeações deles foi um repeteco do que aconteceu durante a ditadura militar, nenhuma empresa conseguia fechar contrato com o governo sem pagar propina para um deles – para agradar o Centrão e este vai deixá-lo pendurado no lustre logo que perceber que a situação do coiso é insustentável, vão tirar a escada como é característico da quadrilha que o compõe, é genético.

                                                           ***************

Copiada da Coluna Página Cinco

Por que tanta surpresa com o voto de Lya Luft em Bolsonaro?

A surpresa não foi o voto, na verdade é o fato de tanta gente ter perdido tempo lendo o monte de futilidades que escreveu, não se pode perder de vista que luft, alemão, significa ar em português, apesar de fundamental não tem  peso. É indesculpável, não há justificativa cabível para quem, teoricamente, bem informada, foi professora universitária, colunista da revista Veja,  ter votado nele, assim como quem  aceita convite para fazer parte do  governo do coiso.

                                                           ***************

 

 

1 thought on “Eleições, demissões, provocações, nosso interminável momento “ões”

  1. NÃO SOU BOLSONARISTA NEM DEFENDO BANDIDO. MAS DÁ PRA FALAR UM POUCO SOBRE O CECILIANO, O ANDRÉ. MUDAR DE ASSUNTO UM POUCO FAZ O LEITOR VOLTAR A TER CERTEZA DA IMPARCIALIDADE.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *