Nunca é hora de perdoar corruptos. Por Edmilson Siqueira

NUNCA É HORA DE PERDOAR CORRUPTOS

EDMILSON SIQUEIRA

… Que problema? Não gostar de petistas? Rejeitá-los politicamente? Não pode? Temos que ser bonzinhos com quem roubou nosso dinheiro? Só que dizer que 30% da população são petistas é um chute formidável, pois bastou o atual governo também começar a dar um espécie de bolsa família durante a pandemia para que Bolsonaro começasse a ser bem recebido no Nordeste, onde reside o maior curral…

Opinion | Trump's Plan to Pardon War Criminals: 'Unpardonable ...

Um artigo publicado no fim de semana, assinado por Ascânio Seleme, defende a tese de que a democracia brasileira não pode prosperar se continuarmos odiando 30% da população que é petista. Portanto, para que o país consiga sair da situação em que se encontra é preciso “perdoar o PT”. O articulista admite que houve roubos durante os governos Lula e Dilma, mas “o PT é maior que isso”. A tese é calhorda, pra dizer o mínimo. E contém, não sei por esquecimento ou conscientemente, tantos erros de visão política da realidade brasileira, que fica difícil até escolher um deles pra começar a desconstruí-la. Mas vamos lá.

O autor parte da tese de que 30% da população brasileira – aquela que ele diz que é petista – é rejeitada e isso impossibilita o Brasil de se reencontrar… E que se trata de um problema que o Brasil precisa superar. Que problema? Não gostar de petistas? Rejeitá-los politicamente? Não pode? Temos que ser bonzinhos com quem roubou nosso dinheiro?

Só que dizer que 30% da população são petistas é um chute formidável, pois bastou o atual governo também começar a dar um espécie de bolsa família durante a pandemia para que Bolsonaro começasse a ser bem recebido no Nordeste, onde reside o maior curral que um partido já teve no Brasil. O curral era petista e não há pesquisa que comprove que continue sendo. Portanto, talvez os 30% já não sejam mais tão 30% assim.

Outra tese exposta pelo artigo é de que os malfeitos petistas já foram devidamente punidos. Foram? Lula, o chefe da organização criminosa petista está condenado em três instâncias, tem mais uns cinco ou seis processos nas costas, com  fartas provas pra responder e que podem dar cadeia também, mas está solto por aí graças a uma excrescência jurídica chamada prisão em quarta instância, única no mundo e que só acontece depois de, no mínimo, uma década da primeira sentença condenatória. Zé Dirceu, o “comissário em chefe” da quadrilha também está flanando por aí, zombando dos brasileiros honestos, apesar de condenado em segunda instância. Como esses dois notórios políticos petistas, há muitos outros que se fartaram de roubar e continuam soltos. Não dá pra esquecê-los e, muito menos, pra perdoá-los. Mas, segundo o autor, a gritaria contra a roubalheira já cansou. Ou seja, deixa pra lá, né? E quem rouba hoje? Será que terá isonomia amanhã? Calhordice é pouco.

O autor considera também que a “índole autoritária” do partido (e cita exemplos dela) certamente não prosperarão no ambiente mais polarizado de hoje. Ou seja, ele quer que o brasileiro pague pra ver se o PT agora é um cordeirinho manso. Quem conhece a esquerda – e não só a brasileira – sabe muito bem o que se esconde sob a capa de cordeiro que ela veste quando lhe é conveniente. Os últimos golpes de Maduro na Venezuela – a quem o partido se recusa a rejeitar – mostram bem que, instalada no poder, a esquerda não tem limites até chegar à ditadura total.

Em seguida, apela à tolerância que todos devemos ter para aceitar o PT, excetuando apenas a direita raivosa que quer a volta da ditadura militar. De todos os outros, nós, democratas, ele quer tolerância com um partido que roubou dezenas de bilhões de dólares dos cofres públicos, afagou ditadores do mundo inteiro, deixou o país à míngua enquanto entregava fortunas em empréstimos a tiranetes do terceiro mundo (de esquerda, claro) e que não seriam pagos, apoiou carniceiros árabes e muçulmanos, fechou os olhos às atrocidades contra os direitos humanos em Cuba e na Venezuela… Sim, ele quer que sejamos tolerantes com um partido que namorou o horror e só não conseguiu implantá-lo no Brasil porque boa parte da população começou justamente a mostrar sua intolerância contra o que se fazia por aqui.

Opinion | Trump's Plan to Pardon War Criminals: 'Unpardonable ...… Enquanto o Brasil não tiver um governo que realmente se preocupe com o bem estar de seu povo, eu torço fortemente para que continuemos intolerantes com todos os canalhas da política brasileira, sejam eles de esquerda ou de direita…

Na última tentativa para cimentar o “perdão ao PT”, Seleme afirma que parte considerável do Brasil é de esquerda. Ledo engano. A maioria dessa parte do Brasil é de gente que se deu bem com a esquerda no poder. E entenda-se por “se deu bem” como grandes salários no serviço público, grandes mamatas a empresários que concordavam com a corrupção para alavancar seus negócios e uma gigantesca população miserável que, com o bolsa família, viciou-se na esmola e votava no doador, com medo de perder a boquinha. Todos esses mudam de cores ideológicas como se troca de cueca: basta acenar-lhes com alguma vantagem. E diz ainda que a direita também existe e ambos precisam ser representados politicamente. Ora, o Congresso, as assembleias legislativas e as câmaras dos vereadores estão aí pra isso: numa democracia, a maior parte do leque ideológico tem assento nas casas de leis.

A “tese” se encerra com a gloriosa afirmação de que o Brasil não tem tempo para esperar por uma outra esquerda, renovada e livre da influência do PT. Espero que jamais tenha tempo e que seja sempre totalmente intolerante com ideologias que colocam o partido acima dos interesses da nação, como essa intolerância que ora se avoluma com o governo totalmente destrambelhado do Bolsonaro, cuja incompetência salta aos olhos de qualquer um.

Precisamos sim, ao contrário do que prega o autor, ser intolerantes ao máximo com quem chega ao poder e nele se aboleta para tentar ali ser eterno. Enquanto o Brasil não tiver um governo que realmente se preocupe com o bem estar de seu povo, eu torço fortemente para que continuemos intolerantes com todos os canalhas da política brasileira, sejam eles de esquerda ou de direita.

____________________________________


Edmilson Siqueira é jornalista

 

3 thoughts on “Nunca é hora de perdoar corruptos. Por Edmilson Siqueira

  1. Três pré-condições são exigíveis pra se perdoar o PT:
    1ª) reconhecer publicamente seus crimes;
    2ª) pedir perdão de joelhos em praça pública;
    3ª) devolver o que “afanou”.
    O PT não é capaz de cumprir sequer uma dessas condições…

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Assine a nossa newsletter