Só o Timão não é favorito. Blog do Mário Marinho

SÓ O TIMÃO NÃO É FAVORITO

BLOG DO MÁRIO MARINHO

O futebol escreve sua história percorrendo caminhos tortuosos, cheios de dificuldades e, às vezes, quase impossíveis de serem transpostos.

Taí a fase quarta de final do Paulistão para confirmar.

Como se esperava, desde que o regulamento foi feito, os quatro grandes se classificaram.

Esperar não é ter certeza.

O regulamento, como todo regulamento feito com seriedade, não favoreceu ninguém. Mas, claro, além dos presidentes e torcedores dos Clubes, todos esperavam e torciam para que os Quatro Cavaleiros estivessem, no mínimo, nessa fase.

E assim se fez.

Essa fase será disputada em jogo único, que dá um aspecto de loteria ao seu resultado.

Claro, o time mais bem preparado, de melhor campanha, de melhor estrutura tem mais chance.

Porém, o fato de ser jogo único e ainda mais em estádio sem torcida, dá a esses jogos uma característica muito especial: a da presença do Imponderável de Souza, aquela figura apocalíptica que derruba previsões.

Por exemplo, uma falha do goleiro. E, por melhor que ele seja, está sujeito a isso. Que o diga, por exemplo, o bom goleiro do São Paulo, Volpi, a quem o Corinthians deve parte de sua classificação, que pegou tudo, mas falhou no gol único do Guarani.

E tem mais: uma bola que pega na canela, no bico, no joelho, que pega de mau jeito na cabeça do defensor, pode ser o gol contra que coloca ou tira um favorito da classificação.

Isso sem contar com a possibilidade de erro da arbitragem.

Ontem, por exemplo, o Guarani foi vítima de um gol mal anulado – um impedimento que só o bandeirinha viu.

E aconteceu num momento crucial, quando o São Paulo vencia por 2 a 1. Seria o gol do empate. Poderia ter sido o gol da Classificação do Guarani.

Se o Imponderável de Souza resolver aparecer, não haverá tempo para a recuperação. Perdeu esse jogo, perdeu tudo.

O Corinthians chegou à quarta de final empurrado.

A retomada do futebol pegou o Timão pessimamente colocado, depois de campanha ridícula no começo do ano.

Para se classificar, precisava vencer seus dois jogos e torcer para que seu rival pela vaga, o Guarani, perdesse seus dois jogos.

Para complicar, um dos jogos seria contra o Palmeiras time de elenco sabidamente superior.

Pois deu no que deu: o Timão venceu seus dois jogos e o Guarani perdeu seus dois.

Agora, o adversário é o Bragantino Red Bull.

O time de Bragança Paulista fechou a classificação com a melhor campanha de todos: 23 pontos ganhos (o Palmeiras vem em segundo, com 22).

Além disso, o Bragantino deu um golpe do João Sem Braço e voltou aos treinamentos antes dos outros times. Foi apenas uma semana, mas tempo suficiente para fazer a diferença.

Assim, na balança da teoria, o Bragantino está mais bem preparado.

Bem, vão entrar aí outros detalhes, como o peso da camisa, experiência etc. etc.

Mas, dentro da lógica possível, não dá para cravar o Timão como favorito.

O Palmeiras pega o Santo André e tem todo o favoritismo.

O time presidido por Sidnei Riquetto fez excelente campanha antes da paralisação. Foi a melhor das campanhas.

Porém, perdeu jogadores.

Como é costume entre os times de menor poder aquisitivo, alguns jogadores fazem contrato por tempo muito curto.

Foi o caso do Santo André que teve que remontar o time às pressas.

Dos 26 jogadores inscritos no Paulistão, 11 ficaram sem contrato a partir do mês de junho, quando o Paulistão deveria ter acabado. Entre eles, o artilheiro Ronaldo.

E perdeu também até o campo para treinar na volta, já que o estádio Bruno José Daniel foi transformado em hospital de campanha.

O time, remontado às pressas, acabou perdendo para o Ituano no domingo, 3 a 1.

O Palmeiras, claro, é o favorito.

O irregular Santos, que somou 16 pontos em 12 jogos, pega a Ponte Preta que tem apenas 13 pontos.

Os números apontam com toda força para o Santos que teve 4 vitórias, 4 empates, 4 derrotas.

Já a Ponte teve 4 vitórias, 1 empate e 7 derrotas.

Com se vê, embora não tenha sido uma campanha brilhante, o Santos foi bem melhor do que a Ponte.

O São Paulo pega o Mirassol.

O Tricolor somou 6 vitórias, 3 empates, 3 derrotas.

Com 21 pontos, fez boa campanha. A sua torcida exige que o time seja campeão como compensação por ter ajudado o inimigo Corinthians a ter se classificado.

O Mirassol ficou um pouco abaixo, somando 17 pontos.

O Tricolor, claro, é favorito.

Não se esqueçam, porém, que o Imponderável de Souza é como um coronavírus: aparece onde menos se espera e é de letalidade implacável.

Cuidem-se, portanto.

Veja os gols do Fantástico.

—————————————————————————————-

Mário Marinho – É jornalista. É mineiro. Especializado em jornalismo esportivo, foi FOTO SOFIA MARINHOdurante muitos anos Editor de Esportes do Jornal da Tarde. Entre outros locais, Marinho trabalhou também no Estadão, em revistas da Editora Abril, nas rádios e TVs Gazeta e Record, na TV Bandeirantes, na TV Cultura, além de participação em inúmeros livros e revistas do setor esportivo.

(DUAS VEZES POR SEMANA E SEMPRE QUE TIVER MAIS
 NOVIDADE OU COISA BOA DE COMENTAR)

 

3 thoughts on “Só o Timão não é favorito. Blog do Mário Marinho

  1. Em 88 o Palmeiras ganhou do SPFC no Morumbi e classificou o Corinthians que jogava contra o Santos no Pacaembu.
    Depois foi campeão.
    Era o menos cotado.
    Zancopé Simões

  2. Boa noite! Aqui quem fala é Beatriz Duncan, estudante de jornalismo e neta de Bill Duncan do JT. Gostaria muito de conseguir trocar umas palavras com você sobre essa época do jornal. Se puder, entre em contato comigo pelo e-mail. Estarei no aguardo.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Assine a nossa newsletter