O apitaço e o golaço. Coluna Mário Marinho

ANDRE COMEMORA SEU PRIMEIRO GOL NO CORINTHIANSO apitaço e o golaço

A torcida do São Paulo está de bronca com o Michel Bastos e resolveu externar essa bronca em forma de apito na vitória do Tricolor contra o Novorizontino, 2 a 0, no Pacaembu.

É uma minoria. Mas, minoria bem mixuruca. Eu diria um pixuleco de torcedores.

O torcedor, sempre defendi, tem seu sagrado direito de protesto, assim como tem também o direito e o dever de aplaudir.

Mas a campanha de uma torcida uniformizada contra o Michel Bastos não tem sentido.

Primeiro, trata-se de um grande jogador; segundo, todo o São Paulo anda mal das pernas e o culpado não é o Michel Bastos; terceiro, ele reclamou de salários atrasados – e todo trabalhador tem esse direito.

No jogo desta quarta-feira, Michel Bastos mostrou muita força de caráter ao não se deixar abalar pelos apitos.

A cada momento que ele pegava na bola, a turma soprava o apito.

E quando ele pegou a bola pela ponta esquerda e partiu com ela dominada, os apitos soaram. Sem dar importância, ele continuou com a bola e tocou para Rogério que sofreu o pênalti.

O jogo estava 0 a 0.

Michel não teve dúvidas: pegou a bola e disse vou bater.

Os apitos soaram.

Fazendo-se de surdo, Michel Bastos correu para a bola e bateu como manda o figurino: bola para um lado, goleiro para o outro.

Em meio aos apitos, chamou seus companheiros para comemorar o gol abraçados aos reservas, para mostrar que o time não está dividido.

O jogo continuou, os apitos continuaram e Michel Bastos continuou a jogar bem.

Uma boa resposta.

Veja os melhores momentos:

https://youtu.be/8kH-Bxh9Zbg

O golaço
de André

André foi revelado pelo Santos em 2009, quando tinha apenas 19 anos. Ficou pouco mais de um ano no time Santista, disputou 61 jogos e marcou 21 gols. Marca nada desprezível.

Mas, começou a ter outra marca no Santos nada elogiável: a balada.

Saiu do Santos, foi para o Dínamo de Kiev, onde ficou pouco tempo e foi transferido para o Atlético Mineiro.

No Galo, ficou quatro anos, disputou 81 e marcou 32 gols, outra marca nada desprezível.

Mas, foi lá em Minas que ganhou o apelido de baladeiro. Coincidiu com o final de sua carreira no Galo.

Em meio à sua temporada no Galo Mineiro, passou pelo Santos, Vasco da Gama e Sport. Sempre de passagem.

Chegou ao Corinthians quando não ostenta um grande momento em sua carreira.

Mas o golaço que fez no abusado time do São Bento mostra que bom cozinheiro nunca esquece a medida do sal.

Aos 25 anos de idade, André tem a melhor oportunidade da carreira desde que deixou o Santos e o Galo para fazer peregrinação por outros times.

Se voltar a ser o André artilheiro, tem o mundo pela frente. Já o baladeiro… sei não.

Muito abusado o time do São Bento. Não tomou conhecimento do Timão e partiu para cima, colocando Tite e seus comandados em perigo.

Abriu o marcador e só permitiu o empate aos 43 minutos do segundo tempo.

O São Bento vai dar trabalho.

Veja os melhores lances:

https://youtu.be/t6EREUxISeU

Pobre
futebol rico

Todo garoto sonha em ser jogador de futebol. Seus pais, tios, avós sonham junto dele. Sonham com a fama e os milhões que virão.

Mas a realidade do futebol brasileiro não é bem assim.

Recente pesquisa da CBF mostra que mais de 80% dos jogadores ganham, no máximo, até R$ 1 mil.

De acordo com a pesquisa, feita pela Diretoria de Registro e Transferência da CBF, o Brasil tem 28.203 jogadores sob contrato no futebol, sendo 83 estrangeiros. Desses, 23.238 atletas recebem até R$ 1 mil.

Ainda segundo o relatório, apenas um jogador ganha mais de R$ 500 mil. A CBF não revela nomes.

O país tem, sempre de acordo com a pesquisa, 776 times profissionais, 435 amadores e 27 formadores.

Em 2015, 1.212 jogadores se transferiram do Brasil para o exterior, enquanto 648 chegaram ao país.

Veja números da pesquisa abaixo

 

  • Salários dos jogadores

  • Até R$ 1.000,00: 23.238 (82,40%)

    R$ 1.000,01 até R$ 5.000,00: 3.859 (13,68%)

    R$ 5.000,01 até R$ 10.000,00: 381 (1,35%)

    R$ 10.000,01 até R$ 50.000,00: 499 (1,77%)

    R$ 50.000,01 até R$ 100.000,00: 112 (0,40%)

    R$ 100.000,01 até R$ 200.000,00 78 (0,28%)

    R$ 200.000,01 até R$ 500.000,00: 35 (0,12%)

    Acima de R$ 500.000,01: 1 (0,00%)

    Como a pesquisa da CBF foi feita com base nos salários de 2015, esse único acima dos R$ 500 mil mensais pode ser o Pato que ganhava cerca de R$ 800 mil no São Paulo (que dividia a conta com o Corinthians).

    Mas, no ano passado outros jogadores ultrapassavam o teto dos 500 mil: D’Alessandro, do Internacional; Diego Cavalieri e Fred, do Fluminense; Guerrero, do Flamengo são alguns deles. Vágner Love, no Corinthians, ganhava exatos R$ 500 mil.

    Não são salários ruins…

___________

FOTO SOFIA MARINHO
MARIO MARINHO, agora qui no Chumbo Gordo.com.br

Mario Marinho É jornalista. Especializado em jornalismo esportivo foi durante muitos anos Editor de Esportes do Jornal da Tarde. Entre outros locais, Marinho trabalhou também no Estadão, em revistas da Editora Abril, nas rádios e TVs Gazeta e Record, na TV Bandeirantes, na TV Cultura, nas rádios 9 de Julho, Atual e Capital. Foi duas vezes presidente da Aceesp (Associação dos Cronistas Esportivos do Estado de São Paulo). Também é escritor. Tem publicados Velórios Inusitados e O Padre e a Partilha, além de participação em  livros do setor esportivo

A COLUNA MÁRIO MARINHO É PUBLICADA TODAS AS SEGUNDAS E QUINTAS AQUI NO CHUMBO GORDO.

… e sempre que tiver alguma novidade

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.

Assine a nossa newsletter