Tudo junto e embolado. Coluna Mário Marinho

Tudo junto e embolado

COLUNA MÁRIO MARINHO

Eis que de repente tudo muda, como poderia ter dito Zaratustra.

Bastou uma rodada (que ainda será completada hoje à noite) para que o Brasileirão, que parecia se encaminhar para um final precocemente anunciado, mudar totalmente.

Gremistas, Santistas e Palmeirenses que já se julgavam carta fora do baralho, pegaram de novo as calculadoras e voltaram às contas.

O corintiano, que já fazia as contas de chegar, tratou de dominar o entusiasmo excessivo com forte frenagem na velocidade de seus sonhos.

O sempre moderado técnico Fábio Carille já andava fazendo contas para chegar ao título. Segundo essas contas, se o Corinthians somar 73 pontos, será o campeão. Para tanto, são necessários 15 pontos ou cinco vitórias.

Não parece coisa de outro mundo se o time estivesse apresentando boa regularidade.

O líder tem ainda pela frente 10 jogos ou 30 pontos em jogo. Cinco jogos serão em Itaquera. Mas, nesse segundo turno jogar em casa não tem sido arma de grande valia.

A derrota para o Bahia, 10º colocado, normalmente não poderia ser considerada um desastre. Mas foi.

Não só pelos três pontos que deixou de somar, mas pela proximidade dos adversários e pela sequência dura de jogos que tem pela frente.

Para começar, já na quarta-feira, dia 19, enfrenta o Grêmio, em Itaquera.

O Grêmio tem 49 pontos é hoje o vice-líder, mas pode ser ultrapassado pelo Santos, que tem 48, mas, joga nesta segunda-feira contra o Vitória. Se vencer, reassume a liderança e fica a apenas 7 pontos de diferença do Corinthians.

Após enfrentar o Grêmio, o Timão tem pela frente Botafogo, Ponte Preta e Palmeiras – três paradas duras.

Os futuros adversários dos mais próximos perseguidores do Corinthians:

Santos – Vitória (hoje, Pacaembu); Sport, no Recife; Atlético GO, na Vila; São Paulo, no Morumbi.

Grêmio – Corinthians, em Itaquera; Palmeiras, em Porto Alegre; Avaí, em Santa Catarina (entre esses dois últimos jogos, enfrenta o Barcelona, no Equador, pela Libertadores).

Palmeiras – Com a boa vitória sobre o fraco Atlético GO e a excelente atuação do meia Keno, o Verdão voltou a sonhar e tem pela frente Ponte Preta, em São Paulo; Grêmio, em Porto Alegre; Cruzeiro, no Allianz Parque. Jogos difíceis também.

Cruzeiro – Tem hoje os mesmos 47 pontos do Palmeiras e enfrentará o Coritiba, no Couto Pereira; o Galo, no Mineirão; o Palmeiras, no Allianz Parque; o Atlético-PR no Mineirão.

Quem está em situação menos apertada nestas próximas rodadas é o Santos.

Portanto, apesar de uma boa distância para os mais próximos perseguidores, já não há tanta gordura a queimar. Já não é mais aquela picanha ideal do bom churrasco.

Na ponta de baixo da tabela, o São Paulo deu um ótimo salto de 17º para 13º colocado, mas, ainda a situação está absolutamente indefinida. O Tricolor soma 34 pontos, apenas dois mais que a Ponte Preta que está em 17º, o primeiro da zona da queda.

E não terá vida fácil pela frente: nesta quarta, enfrenta o Fluminense, no Maracanã; depois, recebe o Flamengo; e, na sequência, o clássico contra o Santos.

Não tem moleza pela frente.

Coelho
Forte

Quem está em situação mais tranquila é o meu América, na Série B.

O líder é o gaúcho Internacional com 57 pontos, três a mais que o Coelhão.

Seu próximo adversário é o Brasil, em Pelotas, atual 10º; depois, recebe o Paraná Clube, adversário direto, com 52 pontos em 3º lugar; seguem-se o Boa Esporte, 12º colocado; e o Guarani, em Campinas, atual 16º.

Atualmente, o América tem sete pontos de vantagem sobre o Vila Nova de Goiás que é o primeiro time fora da zona de classificação.

Ou seja: tirando algum tsunami que possa acontecer, o Coelho estará de volta à Série A no ano que vem. Para o bem ou para o mal.

Veja os gols do Fantástico:

https://youtu.be/_hyAl7MHSkQ

_____________________________

FOTO SOFIA MARINHO

Mario Marinho É jornalista. Especializado em jornalismo esportivo foi durante muitos anos Editor de Esportes do Jornal da Tarde. Entre outros locais, Marinho trabalhou também no Estadão, em revistas da Editora Abril, nas rádios e TVs Gazeta e Record, na TV Bandeirantes, na TV Cultura, nas rádios 9 de Julho, Atual e Capital. Foi duas vezes presidente da Aceesp (Associação dos Cronistas Esportivos do Estado de São Paulo). Também é escritor. Tem publicados Velórios Inusitados e O Padre e a Partilha, além de participação em inúmeros livros e revistas do setor esportivo.

(DUAS VEZES POR SEMANA E SEMPRE QUE TIVER MAIS NOVIDADE OU COISA BOA DE COMENTAR)

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Assine a nossa newsletter