Sobrou até para Michelle Obama. Tristeza. A lama, símbolo de um país e seus governantes

Resultado de imagem para mar de lama Uma das mais célebres e repetidas frases de Karl Marx – bolsonaristas de plantão (chiste, duvido que leiam o Chumbo Gordo) não sou “cumunista”, só conheço alguma coisinha por aí,  ok? – é “A História se repete, a primeira vez como tragédia e a segunda como farsa.”. No Brasil não é assim, a realidade é “A História se repete, a primeira vez como tragédia e a segunda como uma tragédia maior ainda.”. Em novembro de 2015 desabou uma barragem em Mariana (MG), morreram 19 pessoas e centenas estão desalojadas,  até hoje não foram indenizadas. A barragem era da Samarco e a Vale faz parte do empreendimento. No dia 25, em Brumadinho, também em Minas Gerais, rompeu-se uma barragem da Vale e causou um desastre maior ainda. Até o momento (28) , são 58 mortos e 305 desaparecidos.

 O presidente da Vale, Fabio Schvartsman, declarou que a empresa monitorou a barragem, que tem laudos de empresas altamente capacitadas afirmando que estava segura, o lenga-lenga de sempre. Cabe à Justiça exigir que esses relatórios, se realmente existem, sejam apresentados imediatamente para que não haja tempo para que sejam falsificados. E à imprensa cabe investigar, investigar, investigar, pois quem deveria não o faz.

 As autoridades brasileiras, em qualquer nível, são as rainhas dos relatórios, as da área de trânsito publicam pesquisas mostrando que morrem centenas de motoqueiros todos os meses, mas nada fazem em relação à fiscalização, eles são suicidas em potencial. As da área de Segurança Pública informam que tal rua de certo bairro tem elevado índice de assalto, mas não aumentam o policiamento e, agora, três anos depois do desastre em Mariana, a Agência Nacional de Mineração informa que 73% das barragens não foram fiscalizadas, das 790 vistoriaram 211 (são 88 inspetores ao todo…). Em São Paulo, depois da queda de parte de um viaduto, resolveram vistoriar viadutos e pontes, o que não era feito há dezenas de anos. No Brasil, parafraseando Gabriel García Márquez, acontecem desastres anunciados – não são acidentes, acidente é ocorrência fortuita – a cada mês.

 Com um ministro do Meio Ambiente condenado a três anos de prisão e perda de direitos políticos pela Justiça paulista por ter tomado medidas que causaram danos ao ambiente quando foi secretário da área é provável que nada mude.

 Na Folha de S.Paulo (26), pág. B6, “Marielle, Bolsonaros e Witzel”, https://acervo.folha.com.br/digital/leitor.do?numero=48613&anchor=6110749&pd=e5239dd4efdc069f9b536f1525aa744e

 O desastre em Brumadinho merece cobertura maciça, sem dúvida, mas o que fica patente é a dificuldade das TVs em fazer longas coberturas ao vivo, as reportagens e as falas dos apresentadores e especialistas são repetitivas, cheias de lugares comuns, fico só nisso para não citar o massacre ao vernáculo.

 Não, não, não, maldosos, não vou fazer brincadeira sobre o conteúdo da bolsa de colostomia que deve ser retirada hoje no Hospital Israelita Albert Einstein, em São Paulo.

 (CACALO KFOURI)

                                                            ***************

                                                           A ofensa do século!

https://www.diariodocentrodomundo.com.br/essencial/video-reporter-da-band-chama-michelle-bolsonaro-de-michelle-obama/

 https://vejasp.abril.com.br/blog/pop/reporter-michelle-obama-bolsonaro/

 

 

Se tivesse chamado de Michelle Trump não haveria problema, mas de Obama causará uma crise internacional, é ofensa grave!

 

**************

No UOL

 Condenados por maior chacina de SP continuam na PM e com salários em dia

 O soldado Eleutério, que, quando investigado, integrava a Rota (Rondas Ostensivas Tobias de Aguiar), recebe mensalmente R$ 2.923,70. Ele foi condenado a 255 anos, 7 meses e 10 dias de prisão por participação em 17 dos 23 homicídios ocorridos em agosto de 2015.  “O Fabrício recebe salário por força de decisão judicial, uma vez que não foi excluído da Polícia Militar. O processo administrativo ainda está tramitando”, afirmou a advogada do soldado, Flávia Artilheiro.

Seis meses depois da finalização do primeiro júri, foi a vez do cabo Cristilder, em março de 2018, ser condenado pelo mesmo processo a 119 anos, 4 meses e 4 dias de prisão, em regime fechado. Ele continua assalariado, recebendo mensalmente R$ 3.215,14.

E ainda falam em prisão só após decisão na 3ª instância… Devido à lerdeza da Justiça, o número absurdo de recursos permitidos, tem de ser assim que acaba o primeiro julgamento.

 Chamo a atenção para o sobrenome da advogada dos dois soldados… Artilheiro, piada pronta 

 Para prender Beto Richa, juiz “driblou” HC dado por Gilmar Mendes ao tucano

 Interessante como as coisas funcionam (ou não), a GM ameaçou sair do país se não voltar a ter lucro, causou preocupação, mas se o GM sair do STF vai causar satisfação.

 Documentário sobre Michael Jackson choca plateia e gera revolta em Sundance

O polêmico documentário “Leaving Neverland”, que acusa Michael Jackson de ter abusado sexualmente de dois meninos, gerou reações distintas ao estrear na sexta-feira (25) no Festival de Sundance, nos Estados Unidos, segundo a revista Rolling Stone.

De um lado, os gestores do espólio do cantor ficaram revoltados e fãs do cantor protestaram na porta do cinema defendendo o artista das acusações. De outro, uma plateia chocada com os relatos detalhados exibidos pela primeira vez no filme de quatro horas de duração dirigido por Dan Reed.

E desde quando fanzocas enxergam a realidade? E gestor de espólio e parente então, never in the life. É mais ou menos como adeptos de certos partidos, vão morrer fingindo que alguém acredita , a não ser eles,  nas asneiras que dizem.

Secretário mudou regra, e nova norma rebaixou risco da barragem de Brumadinho                    

O secretário de Meio Ambiente de Minas Gerais, Germano Luiz Gomes Vieira, assinou em dezembro de 2017 norma que alterou os critérios de risco de algumas barragens, o que permitiu a redução das etapas de licenciamento ambiental no estado. A medida possibilitou à Vale acelerar o licenciamento para alterações na barragem da Mina de Córrego do Feijão, que rompeu na sexta-feira (25) deixando até agora 34 mortos e 296 desaparecidos

O secretário está em boa companhia, é do nível do escolhido para o Ministério do Meio Ambiente do atual governo, Ricardo Salles, condenado a três anos de prisão e ter os direitos políticos suspensos pela Justiça paulista em razão de haver permitido ações ilegais em áreas de preservação justamente para favorecer empresas de mineração. bolsonaro levou Salles para sobrevoar Brumadinho…  Que metaliguagem, os dois sobrevoando a lama em que o país está faz tempo e, pelos indícios, de onde não sairá tão cedo.

Juíza corta o Bolsa-Visita e Lula recorre à ONU

Nos 13 anos em que o PT exerceu o poder federal, Lula nunca fez da humanização das cadeias uma prioridade. Continua dando de ombros para o cenário de século 19 que vigora nos calabouços nacionais. Mas inquieta-se com suas próprias condições carcerárias. Recolhido à única cela do país onde se respira um aroma de século 21, o preso mais ilustre da Lava Jato recorrerá à ONU para tentar restabelecer um privilégio que acaba de perder: o Bolsa-Visita.

Além de inútil, o recurso é de uma burrice incomensurável, dará munição para os bolsonaristas antiglobalização. Mas, qualquer coisa que venha da defesa do preso é dessa natureza.

 Sob Bolsonaro, Bolsa Família corta 381 mil benefícios no 1º mês do ano

 Não importa sob que governo foi, foram cortados porque eram irregulares, eram somente Bolsa Votos.

 Governo de MG diz que avião de Israel chega em(!!!) BH às 21h30 deste domingo

(!!!) É o estrago que o “chegar em” da Globo está causando.

                                                    **************

Na Folha

 Em vitória democrata, Trump aceita assinar lei para encerrar paralisação

 Com isso, governo poderá reabrir; proposta não inclui verba para muro na fronteira com o México

Arrááá, perdeu o braço de ferro para o bom senso.

 Novo presidente do Sebrae-SP é condenado por acidente de carro que matou uma família

O agropecuarista Tirso de Salles Meirelles, eleito em novembro para presidir o Sebrae-SP, foi condenado em segunda instância a dois anos e 11 meses de prisão, considerado culpado de um acidente automobilístico em que só ele saiu vivo. Uma família inteira —pai, mãe e uma filha de 12 anos— morreu no local.

A pena de prisão foi transformada em duas punições restritivas de direito: prestação pecuniária de 30 salários mínimos, a ser revertida em favor de entidade a ser indicada pelo juízo da execução, e a proibição do direito de frequentar bares, casas noturnas, boates, prostíbulos e outros estabelecimentos de lazer noturno ou de reputação duvidosa pelo mesmo período da pena imposta.

A pena ainda não começou a ser cumprida, porque a defesa recorreu ao STJ (Superior Tribunal de Justiça).

Brasil, o país dos absurdos, por aqui, a lei protege criminoso. E já está condenado em 2ª instância! Se fosse pobre e não tivesse condições de pagar bons advogados seguramente estaria preso. E, absurdo dos absurdos, como é possível que o Sistema S escolha uma pessoa assim para presidir uma de suas unidades? É para dar razão a Paulo Guedes em sua intenção de cortar verba do sistema?

 Ex-presidente da OAS aponta propina a atual corregedor de Justiça 

 Em delação, Léo Pinheiro diz que repassou R$ 1 milhão para que ministro do STJ ajudasse em recurso; Humberto Martins nega

Insisto no meu ponto de vista, nenhum delator mente, no máximo, omite, só iria complicar sua situação se não falar a verdade. E Fulano, Beltrano e Sicrano desmentirem não quer dizer nada, é só cacoete.

Estigmatizada no Brasil, camisa 24 é vista (e vestida) sem frescura na Europa

Gênio! Cara-pálida, lá não tem jogo do bicho, o número não tem o mesmo significado que aqui.

 Ministério de Sergio Moro(!!!) diz que não houve omissão sobre ameaças a Jean Wyllys

Pasta afirma em nota que prendeu um dos suspeitos e lamenta que deputado deixe o país

(!!!) Eta titulozinho capcioso! Primeiro, não é de Moro, é da Justiça. Segundo, as ameaças foram feitas nos anos de 2017 e 2018, antes de Moro assumir. Mas, infelizmente, é um péssimo hábito do jornal publicar títulos do jeito deste.

A história da fuga de Wyllys está muito mal contada, é melhor dar tempo ao tempo para que se possa descobrir o real motivo.

 Justiça endurece condições de visita a Lula na cela da PF em Curitiba

 Presença de Haddad se limitará a uma vez por semana e de religiosos, uma vez por mês

Vai ter de passear em outro lugar. Adeus, refeições em Santa Felicidade…

 

***************

No Estadão

 Bolsonaro muda tom sobre reeleição

 Presidente, que em várias ocasiões defendeu limitação do mandato a quatro anos, agora diz que não há decisão sobre voltar a disputar cargo

Não tem jeito, chegou lá a mosca azul pica. Isto pode ter um aspecto positivo, briguinha de bastidor entre bolsonaro de Doria, “o Blefe”, que outro dia foi anunciado como possível candidato à Presidência do atual ocupante do cargo. Quem sabe nos livraremos do dois?

 Mourão vê ‘crime contra a democracia’ em caso Wyllys

 O vice-presidente da República, Hamilton Mourão, afirmou ontem que uma ameaça a um parlamentar é um crime contra a democracia.

Aqui temos a demonstração da diferença entre um militar que chega ao generalato e um que deu baixa como capitão, depois de vários episódios de indisciplina. A esperança é que reste um pouco de respeito à hierarquia da parte do eleito e que ele ouça o seu superior.

 Coluna do Estadão

 Vai devolver? Para se eleger deputado federal, Jean Wyllys declarou ter gasto R$ 388 mil na campanha de 2018. De acordo com o TSE, R$ 304 mil vieram de fundo partidário eleitoral, uma verba pública.

Pois é, além de jogar fora os votos, desperdiçou dinheiro público. Deveria ter pensado no que fez antes de candidatar-se… Repito, a história da fuga de Wyllys está muito mal contada, é melhor dar tempo ao tempo para que se possa descobrir o real motivo.

                                                               ***************

No G1

 Eduardo Paes tem suspeita de princípio de infarto e dá entrada em hospital em SP para exames

 Ex-prefeito do Rio estava em Campinas, no interior de São Paulo, e foi para o Hospital Albert Einstein, na Zona Sul da capital. Ele ficou estável após passar mal.

Hummm, por que não foi para um hospital municipal do Rio? Não confia na sua “brilhante” gestão ou tem noção do incompetente que foi e não quis correr o risco? Estou com pena dos médicos do HIAE, ele e bolsonaro internados ao mesmo tempo.

                                                                 ***************

 Resultado de imagem para tristeza animated gifs

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *