A Epidemiologia algorítmica na prevenção da violência. Por Meraldo Zisman

[ Violência – II / X]


                   A EPIDEMIOLOGIA ALGORÍTMICA NA PREVENÇÃO DA VIOLÊNCIA

MERALDO ZISMAN

A grande vantagem  em se estudar o problema da violência pela epidemiologia algorítmica é a de se conseguir delimitar e estratificar as responsabilidades que foram geradoras da violência. Assim, decodificada, fica mais clara a priorização de suas causas bem como das atitudes essenciais factíveis de combatê-la apropriadamente.

O ataque a tiros na Escola Estadual Professor Raul Brasil, em Suzano, na Grande São Paulo, chocou o Brasil e o mundo.

Segundo a polícia, dois jovens entraram no colégio munidos de revólver e uma besta (um tipo de arco-e-flecha disparado por gatilho), matando pelo menos oito pessoas e ferindo outras nove. Conferir: (https://www.bbc.com/portuguese/brasil-47548656).

Não posso conter a emoção causada pela tragédia causada pelo episódio perpetrado por aqueles dois jovens em Suzano.

Como veterano pediatra, lido com os jovens por tantos anos que não saberia precisar quantos. Graduei-me em Medicina no ano de 1958 e agora exerço a Psicoterapia. Esquecem-se os profissionais da Mídia que ao dar tremendo destaque ao episódio estão contribuindo para que se alastre epidemiologicamente a repetição de fatos assemelhados.

Bastaria lembrar que estamos em plena vigência da Sociedade do Espetáculo.

Acredito que se um médico estivesse assim se comportando, seria chamado ao Conselho Regional de Medicina, ou mesmo o Conselho Federal, para prestar as devidas explicações.

Sou autor do livro “Violência (A Metamorfose do Medo)”, editado em 1993, livro esse que serviu como base para o Trabalho Especial que apresentei ao fim do meu estágio da ESG (Escola Superior de Guerra, 1990) e – apesar de o livro ter sido escrito em 1993 –- versa sobre minha cidade natal Recife e, como dizem por aqui:

“O que se escreve na margem direita deste rio Capibaribe nem a esquerda alcança”. Licença para dizer que depois desta publicação fui convidado a ser cientista visitante na Clínica Tavistock de Londres. Escrevi nas páginas 281/282 (podem conferir, o livro deve estar à venda em algum sebo).

 

Imagem relacionada  O vocábulo algoritmo é originário do latim: algorithmus, que se baseou no árabe al-khuwarizmi, nome de um matemático árabe do século IX. Trata-se de um conjunto de regras e operações próprias para se fazer um cálculo, aplicável a um grupo de problemas análogos em que se estipulam regras categóricas para alcançar resultados ou a solução de enigmas.

 

 

                                                 APLICAÇÃO DA EPIDEMIOLOGIA ALGORÍTMICA À VIOLÊNCIA:

O vocábulo algoritmo é originário do latim: algorithmus, que se baseou no árabe al-khuwarizmi, nome de um matemático árabe do século IX.

Trata-se de um conjunto de regras e operações próprias para se fazer um cálculo, aplicável a um grupo de problemas análogos em que se estipulam regras categóricas para alcançar resultados ou a solução de enigmas. Entende-se ainda como disposições especiais que se fazem com elementos matemáticos, para efeito de cálculo.

São exemplos disso: o crivo de Erastóstenes, para obtenção dos números primos; algoritmo das divisões sucessivas destinadas a obter o máximo divisor comum de dois números dados; algoritmo de Euclides, aplicável à determinação do máximo divisor comum de dois números inteiros.

Nas circunstâncias do processamento de dados, o algoritmo passa a ser entendido como: conjunto predeterminado e bem definidos de regras e processos que visa a solução de uma questão, com um número finito de etapas.

********

Epidemiologia Geral: É o estudo das relações dos diversos fatores determinantes de frequência e distribuição dos processos patológicos, em uma comunidade.

Epidemiologia Algorítmica: É a que possui capacidade de demonstrar fatores causais das doenças, de acordo com a sua importância, hierarquicamente. Desta maneira, teremos a capacidade de traçarmos os métodos profiláticos, numa sequência lógica.

FUNÇÃO DA EPIDEMIOLOGIA ALGORÍTMICA NA PREVENÇÃO DA VIOLÊNCIA

O emprego de metodologia formal de cálculo nas causas e prevenção dos problemas complexos como a violência, somente será factível quando tais causas estejam ordenadas por graus de prevalência, pré-diagnosticada em uma determinada sociedade.

O principal fator de comportamento violento nos adolescentes (jovens) é primariamente uma falha na relação do(a) jovem com a sua mãe, motivada pela falta de proteção social do binômio mãe/filho(a).

A grande vantagem  em se estudar o problema da violência pela epidemiologia algorítmica é a de se conseguir delimitar e estratificar as responsabilidades que foram geradoras da violência. Assim, decodificada, fica mais clara a priorização de suas causas bem como das atitudes essenciais factíveis de combatê-la apropriadamente.

Mister se faz focar nos diferentes fatores envolvidos, pois cada um deles irá necessitar, para seu combate, elementos profiláticos distintos. Urgem, portanto, medidas e ações políticas preventivas, coordenadas, integradas e sequenciais, para que não desperdicemos nossos parcos recursos.


LEIA TODA A SÉRIE “VIOLÊNCIA”,  DO AUTOR, QUE SERÁ COMPOSTA DE 10 ARTIGOS:

artigo I Medicina e Política. Por Meraldo Zisman


Meraldo Zisman Médico, psicoterapeuta. É um dos primeiros neonatologistas brasileiros. Consultante Honorário da Universidade de Oxford (Grã-Bretanha). Vive no Recife (PE).

 

 

 

 


1 thought on “A Epidemiologia algorítmica na prevenção da violência. Por Meraldo Zisman

  1. “A grande vantagem em se estudar o problema da violência pela epidemiologia algorítmica é a de se conseguir delimitar e estratificar as responsabilidades que foram geradoras da violência. Assim, decodificada, fica mais clara a priorização de suas causas bem como das atitudes essenciais factíveis de combatê-la apropriadamente.”

    PARABÉNS, Dr. Meraldo. Diante de tamanha tristeza, vem do veterano pediatra de seu calibre uma luz

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *