Erro corrigido. E a rotina de violência real, oral, verbal, física, mental, surreal do dia a dia

Começo o texto de hoje (23) admitindo para o caro leitor que o maior cara-pálida do dia sou eu mesmo, atribuí em um comentário, ontem, um diploma de Medicina ao general Pazuello,  ministro interino da Saúde, que ele não tem. Cara-pálida, fez o que critica, não confirmou a informação, que feio!

 Mais uma vez o Mirando recorre ao sábio Millor Fernandes, para quem “livre pensar é só pensar”. Por que tantos generais no atual governo, mais até do que durante a ditadura militar? Deve ser por ignorância do atual ocupante da cadeira presidencial, desconhece o que seja falso cognato, leu (?) em algum texto em inglês sobre a terra de seu ídolo Trump expressões como  General Motors, General Electric, General Hospital, Surgeon General, Attorney General de decidiu “Se lá tem tanto militar no Poder vou pôr aqui também!”. Ignaro que é não sabe que, no caso, general é geral.

 O Estadão de hoje informa que seguidores do péssimo militar, no dizer de um dos ditadores militares que tanto mal fizeram ao país, ocupante do Palácio do Planalto, pediram a ele que “Nós fazemos um apelo ao chefe do Executivo e autoridade máxima da nação, Jair Messias Bolsonaro: que, por meio de um decreto presidencial, determine a todos os agentes públicos federais que se abstenham de realizar quaisquer diligências do Inquérito 4.781”, diz o texto, intitulado “Manifesto pela Democracia”. Em outras palavras, “Deixe-nos cometer nossos crimes à vontade, qual o problema para quem já tentou esconder o número de vítimas do novo coronavírus e, ao que tudo indica, o Queiroz?”.

 Também no Estadão está que “Governo ‘retifica’ data de exoneração de Abraham Weintraub”: O governo federal retificou no Diário Oficial da União (DOU) desta terça-feira, 23, a data de exoneração de Abraham Weintraub do cargo de ministro da Educação. A saída de Weintraub do governo foi publicada no sábado, 20, horas depois de o então ministro desembarcar em solo norte-americano. Com a correção, o novo decreto informa que Weintraub foi exonerado “a partir de 19 de junho de 2020”, ou seja, sexta-feira.”. Não é de se estranhar, então, que 01, seguindo o exemplo de papai, tenha possibilitado que uma de suas servidoras quando deputado estadual no RJ tenha preenchido lista de presença no emprego retroativamente, filho de peixe peixinho é.

 Muitos especialistas tentam de diversas formas explicar o porquê da eleição de alguém tão violento e despreparado como o coiso, enrolam, enrolam e passam ao largo da questão fundamental. É uma triste realidade, boa parte da população aprova soluções violentas para problemas de segurança. Caro leitor, veja o que achei ao pesquisar “Violência policial em São Paulo”, foi postado há sete anos ao comentar reportagem da TV Brasil (EBC) sobre mortes causadas por PMs: “SENHORES BANDIDOS POR FAVOR MATEM NOSSO GOVERNANTES, ELES SÃO OS CULPADOS DA VIDA QUE VOCÊS LEVAM…..”.

 Deixei em caixa-alta, foi assim que a pessoa escreveu, fez questão de salientar seu instinto selvagem.

(CACALO KFOURI)

                                                                ***************

                                                                ***************

Copiadas do UOL

 PM deixa homem desacordado após abordagem violenta em Carapicuíba (SP)

 Um policial militar deixou um homem desacordado após uma abordagem violenta na comunidade de Jardim Ariston, localizada na cidade de Carapicuíba, região metropolitana de São Paulo. Dois homens que estavam em uma moto foram abordados por policiais militares do 33º Batalhão de Polícia Militar, localizado na região onde ocorreu a abordagem.

Veja no vídeo se o que acontece tem relação com o que disseram os PMs, não há nenhuma:

 

 É a repetição do que um policial fez com Gerald Floyd. O porta-voz da PM tentou justificar a ação dos selvagens policiais que participaram da ação e ainda teve a cara de pau de dizer que não há diferença de abordagem na periferia e nos bairros nobres. À guisa de lembrete para o coronel Camilo o que aconteceu em Alphaville:

 Bolsonaro mudou LAI após fraude de assessora de Flávio para driblar pedido

Um requerimento feito pela reportagem do UOL com base na LAI (Lei de Acesso à Informação) motivou uma articulação para fraudar os registros de controle de ponto de uma ex-assessora do senador Flávio Bolsonaro (Republicanos-RJ) na Alerj (Assembleia Legislativa do Rio). No mesmo dia em que a manobra foi concluída, o governo do presidente Jair Bolsonaro (sem partido) restringiu por decreto a abrangência da lei, reduzindo a transparência sobre dados e documentos públicos.

“Eu protejo meus filhos, talquei? E não há nada contra eles, é tudo trama da imprensa esquerdista!”.

***************

Copiada da Folha

Advogados se unem para dificultar carreira de Moro fora do governo Bolsonaro

Integrantes do grupo Prerrogativas fizeram representações contra o ex-juiz e estudam medidas para impedi-lo de advogar

Gostando ou não, todas as decisões de Moro foram referendadas pelo TRF-4 e o STF derrubou uma, a condenação de Aldemir Bendine , ex-presidente do Banco do Brasil e da Petrobras, devolveu o processo à 1ª instância, mas isso desagrada os nobres “Prerrogativos”, mas Frederico Wassef, Karina Kufa, Paulo Emílio Cata Preta, Luiz Gustavo Botto Maia e quetais podem trabalhar à vontade, não é, caras-pálidas? Isso é uma vergonha, diria Boris Casoy.

***************

Copiada d’O Globo

MP aponta fraude em ponto da Alerj articulada por Queiroz, advogado de Flávio e pai de assessora fantasma

Assim que vieram à tona movimentações atípicas nas contas bancárias de Fabrício Queiroz, em dezembro de 2018, o pai de uma ex-funcionária do então deputado estadual Flávio Bolsonaro tentou encobrir os indícios da suposta “rachadinha” com auxílio do próprio Queiroz e de um advogado de Flávio. Segundo o Ministério Público do Rio (MP-RJ), Fausto Antunes Paes, homenageado pelo então deputado em 2005 na Assembleia Legislativa do Rio (Alerj) e pai de Luiza Souza Paes, que esteve lotada no gabinete de Flávio entre 2011 e 2012, conversou com Queiroz e com o advogado Luiz Gustavo Botto Maia para combinar versões de depoimentos e adulterar a folha de ponto da Alerj, não assinada pela filha. Fausto é policial militar e amigo de Queiroz. Luiza é descrita pelos investigadores como “assessora fantasma”.

O “inocente” 01 gosta de advogados “espertos”, hein? Botto Mais, Wassef,  Rodrigo Roca, recém-contratado, ex de Sérgio Cabral e do torturador coronel Brilhante (?) Ustra…

***************

1 thought on “Erro corrigido. E a rotina de violência real, oral, verbal, física, mental, surreal do dia a dia

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *