Envelhecer. Por Meraldo Zisman

Envelhecer

 Meraldo Zisman

  Envelhecer é crescer. Não é decair fisicamente.

O fato mais positivo do envelhecimento é a oportunidade de saber da proximidade da morte e aproveitar o mais possível a vida, o dia-a-dia, o momento, e valorizar as coisas simples da vida.  O velho que souber viver as suas etapas com sabedoria não terá medo de envelhecer.

  Jamais escutei um jovem dizer: quem me dera ter sua idade! Mas os pacientes mais velhos sentem falta e falam com grande saudade da mocidade. Lembro-me de um jovem paciente que tinha seus grilos, suas inseguranças, seus problemas, seu futuro era uma incógnita. Mas nunca ouvi dele um elogio à vida.

 A idade não é tema para ser medida pela régua da competição. Desejar maquiar a velhice é tarefa impossível, para não dizer trágica. O idoso somente se sente velho quando deseja se comparar com o jovem.

 Os jovens de hoje são manipulados pelos falsos valores que estão lhes impingindo, como a grife da moda ou beber tal refrigerante ou viciar-se com tal e qual droga. E eu fico com muita pena, pois não poucos se matam, se acidentam, se drogam, sem vislumbrar o sentido da vida.

  Quando alguém me pergunta se tenho medo da velhice respondo que não. Não tenho medo de envelhecer, pois um jovem de 20 anos somente conhece até os vinte anos, desconhece as demais etapas do ciclo vital, enquanto os mais velhos sabem o que é ter 30, 40,50 anos. Tenho também muita pena das mulheres e dos homens que passam a vida lutando contra a velhice, lambuzando-se de cremes, em salões de beleza, spas, submetendo-se a plásticas e outras panaceias, tentando permanecer jovem eternamente.

 A idade não é tema para ser medida pela régua da competição. Desejar maquiar a velhice é tarefa impossível, para não dizer trágica. O idoso somente se sente velho quando deseja se comparar com o jovem. Velho feliz é aquele que assume a sua idade, sem invejar as fases da vida pelas quais já passou. Como posso invejar o jovem de hoje se já tive a sua idade?

Pergunte a qualquer pessoa se ela desejaria passar por tudo de novo. De uma coisa tenho certeza: é triste a condição de um velho que nada mais tem a mostrar, além da sua longevidade.

 _________________________________________________________________

Meraldo ZismanMédico, psicoterapeuta. Consultante Honorário da Universidade de Oxford (Grã-Bretanha).

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *