demência

Demência senil, uma dádiva de Deus? Por Pedro Renato Chacair

DEMÊNCIA SENIL, UMA DÁDIVA DE DEUS?

PEDRO RENATO CHACAIR

… uma dádiva de Deus que ajuda a minimizar a dor decorrente do desprezo, explícito ou não, daqueles entes queridos para os quais ele (a) fez tudo que lhe foi possível e para quem teria dado sua própria vida, se necessário fosse, para não vê-los sofrer…

demência

Como é triste encontrar um velhinho com problema crônico de saúde necessitando de auxílio, familiar ou externo, para sua sobrevivência.

A situação se agrava, fica constrangedora, quanto há gastos. O coitado ou a coitada não tem para onde ir e é, geralmente, para o médico que ele ou ela exterioriza sua pior dor, a de continuar vivendo.

Ele (a) se sente sem perspectivas, sem amor e sem capacidade de reação. A consequência da perda deste tripé que nós faz suportar a vida é a depressão, não rara entre os velhos, que os leva, muitas vezes, a preferir a própria morte.

O estado demencial que atinge alguns “privilegiados” no ocaso desta existência só pode ser interpretado como uma dádiva de Deus que ajuda a minimizar a dor decorrente do desprezo, explícito ou não, daqueles entes queridos para os quais ele (a) fez tudo que lhe foi possível e para quem teria dado sua própria vida, se necessário fosse, para não vê-los sofrer.

Se tudo isto não bastasse, o Estado, para o qual contribuiu de algum modo quase toda sua vida, não o (a) acolhe com a mínima dignidade cristã.

É hora para meditarmos um pouco!

________________________________________

Dr. Pedro Renato Chocair, Author at Chocair Médicos -*Pedro Renato Chacair é médico Nefrologista e Clinica médica.

1 thought on “Demência senil, uma dádiva de Deus? Por Pedro Renato Chacair

  1. Com raras excessões é realidade mundial. Cumprimento-o pelo alerta em nome de milhões de brasileiros. Estou perto de 78 e vivo bem, mas sem o tripé que você descreveu. O filme italiano “ Parente é serpente “ me alertou anos atrás!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Assine a nossa newsletter