Meninas tríplices competentes

Meninas tríplices competentes. Blog do Mário Marinho

Meninas tríplices competentes

Foi bonito ver as meninas do Corinthians levantando mais uma taça.

Foi bonito ver a Arena Neo Química recebendo público de mais de 30 mil torcedores.

E, ainda mais bonito, é ver a vitória de um planejamento, coisa muito difícil no mundo do futebol – principalmente o brasileiro.

O atual time feminino do Corinthians foi criado em 2016, em parceria com o Grêmio Osasco Audax, parceria que durou até 2018, quando houve a separação.

Mas os títulos vieram já no começo: em 2016, as meninas levantaram o caneco da Copa do Brasil.

No ano seguinte, 2017, ganharam a Copa Libertadores da América.

São muitos os títulos:

Paulista: 2016 e 2021.

Brasileiro: 2018, 2020 e 2021.

Copa do Brasil: 2016.

Libertadores: 2017, 2019, 2021

A formação e o planejamento dessa equipe, a partir da separação com o Audax, em 2017, ficou a cargo da diretora Cris Gambaré, ex-conselheira do clube.

Naquele ano, Cris deixou o Conselho do Clube e assumiu, como diz ela, de corpo e alma a direção e a gestão do futebol feminino.

Foi nessa época que ela trouxe para técnico o jovem Arthur Elias, hoje com 40 anos de idade.

A receita do sucesso é fácil:

Pega-se uma diretora competente e disposta a trabalhar; um técnico cheio de ideias novas, de bom diálogo e disposto a trabalhar, junta-se a um elenco forte, de raça e disposto a trabalhar e o resultado de tudo isso são os títulos.

Esse é o Corinthians campeão com suas meninas maravilhosas.

Veja os melhores momentos de Corinthians 3 x 1 São Paulo que valeu o título de campeão paulista de 2021.

Paciência,

Torcedor!

Desde sua chegada em maio, o técnico Sylvinho comandou o time em 38 jogos: foram 15 vitórias, 12 empates e 11 derrotas.

Marcou 48 gols, sofreu 35.

Convenhamos que não é a mais brilhante das campanhas.

O quarto lugar no Brasileirão deixou para trás muita gente boa.

A começar por Santos (11º colocado) e São Paulo (13º) rivais históricos.

Sylvinho chegou em maio e pegou um time beirando a Zona de Rebaixamento. O que se falava, na época, era no sentido de tirar o time dessa incômoda posição.

Ninguém falava em pré-Libertadores e, muito menos, na classificação direta para a Libertadores.

O time era muito ruim.

Mais tarde, com a chegada de alguns veteranos, entre eles Renato Augusto e Roger Guedes, o time melhorou consideravelmente.

Não, não é um time brilhante. Mas conseguiu classificação de time brilhante.

Outro dia, assistindo a um jogo pela tevê, vi um cartaz nas mãos de um torcedor que pedia a saída de Sylvinho e dos veteranos.

É muito.

E é muita falta de paciência.

Sylvinho, que ainda não é um técnico de renome, passou pelo teste de fogo que é o Brasileirão.

Agora, no Paulistão, certamente navegará em águas mais calmas.

Que tal dar a ele um pouco de crédito?

___________________________________________________________________

Mário Marinho – É jornalista. É mineiro. Especializado em jornalismo esportivo, foi FOTO SOFIA MARINHOdurante muitos anos Editor de Esportes do Jornal da Tarde. Entre outros locais, Marinho trabalhou também no Estadão, em revistas da Editora Abril, nas rádios e TVs Gazeta e Record, na TV Bandeirantes, na TV Cultura, além de participação em inúmeros livros e revistas do setor esportivo.

(DUAS VEZES POR SEMANA E SEMPRE QUE TIVER MAIS
 NOVIDADE OU COISA BOA DE COMENTAR)
____________________________________________________________________

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.

Assine a nossa newsletter