Ester Cerdeira Sabino (à esq.) e Jaqueline Goes de Jesus - pesquisadoras -As brasileiras que lideraram o sequenciamento do novo coronavírus

Na USP, o sequenciamento genético do coronavírus que detona fala de ministro

O “jenial” sinistro da Deseducação Abraham Weintraub, em uma de suas diatribes, disse que na USP só têm maconheiros e  gente pelada que vive em orgias. Que ironia, o Demo deve estar do lado deles, pois em 48 horas – dois dias, sinistro, pode não saber como somar – cientistas dessa instituição pecaminosa sequenciaram o genoma do coronavírus. Que coisa mais pecaminosa!

Ester Cerdeira Sabino (à esq.) e Jaqueline Goes de Jesus – pesquisadoras – As brasileiras que lideraram o sequenciamento do novo coronavírus

 O que bolsonaristas e marxistas têm em comum? Uma visão completamente distorcida da realidade, os primeiros veem esquerdistas debaixo de suas camas e, os segundos, capitalistas criminosos a cada esquina. Os marxistas levam vantagem em uma aspecto, conseguem ser mais ridículos em suas fantasias. A Folha de S.Paulo publicou no dia 28 último um texto, “Site marxista vê perseguição a Neymar e VAR imperialista”, que seria cômico não fosse trágico em termos de sandices. Um trecho conta que “Os grandes capitalistas europeus querem destruir o futebol sul-americano para dominar o esporte e manter suas margens de lucro. Como não têm jogadores dribladores como Neymar, eles buscam impor a retranca como padrão tático, numa nova forma de imperialismo. “Neymar punido por driblar: capitalistas querem acabar com o futebol”, dizia uma manchete recente do site, em referência ao cartão amarelo recebido pelo jogador após aplicar uma carretilha em um adversário durante o Campeonato Francês.

 Se alguém estiver disposto a perder tempo lendo a íntegra da besteirada é só clicar no link:

https://www.folhape.com.br/esportes/mais-esportes/geral/2020/02/28/NWS,131956,68,441,ESPORTES,2191-SITE-MARXISTA-PERSEGUICAO-NEYMAR-VAR-IMPERIALISTA.aspx

 Já existem milhares de fake news tratando do coronavírus, ensinando como evitá-lo, vendendo produtos milagrosos e, pior, gente acreditando e comprando. Mais uma vez, confirma-se  o que P.T. Barnum não disse mas que é uma realidade: “Nunca ninguém perdeu dinheiro acreditando na burrice das pessoas”. Não adiantam as entrevistas do ministro da Saúde, dos secretários estaduais da área, as pessoas não se informam por meio de fontes confiáveis, preferem acreditar nas bobagens divulgadas pelas redes antissociais. Então, passa a valer um velho ditado brasileiro, rude mas verdadeiro, “Quem é burro que morra pastando”. As fake news – e besteira do tipo da matéria publicada na Folha citada anteriormente – também redundam em bolsonaros, trumps e outros do mesmo time.

 Um trecho da crônica de Ignácio de Loyola Brandão no Estadão do dia 28 de fevereiro, que não é o último dia do mês por este ano ser bissexto (ou biçesto apud Weintraub), referindo-se aos antigos programas humorísticos: “E hoje? Foram-se todos aqueles veteranos excepcionais, restou uma coisa pálida, grosseira, com exceção do Adnet. Justo no momento em que mais precisamos do humor para temperar a grosseria dos tempos que correm”. Triste e verdadeiro.

(CACALO KFOURI)

                                                         ***************

Copiada da capa do UOL

 Coronavírus

Filha de Zé do Caixão faz desabafo: ‘Não tive direito de sofrer’

Uma garrafa do single malt Lafroig 50 anos para quem descobrir a relação entre a morte de Zé do Caixão e o coronavírus. Não vale apontar os capistas do UOL.

                                                               ***************

Copiadas do UOL

Poderes descartam anistia a PMs, e negociações com amotinados param no CE

“Os três poderes do estado foram contra a proposta [de anistia administrativa] e ofertaram o devido processo legal. [Os poderes] foram muito claro(!) em dizer que não haveria execução sumária, e que todos os processos seriam acompanhados por comissão independente da OAB [Ordem dos Advogados do Brasil], da Defensoria Pública, que as ações seriam proporcionais aos erros. Todos devem ter ampla defesa, ou traduzindo: não haverá qualquer tipo de perseguição, apenas a punição aqueles(!!) que transgrediram a lei”, disse.

(!)(!!) Um professor de Português também não anistiaria quem tanto maltratou a gramática. Cara-pálida, “foram muito claros” e “a punicão àqueles”.

Muito otimismo da parte do declarante, esqueceu-se de um dos Poderes em Brasília, onde a bancada da bala é grande e que estamos em ano de eleições municipais em que vale tudo para ganhar votos para colegas candidatos. Vocês decidem uma coisa aí e eles mudam acolá.

 RR: deputado usa motosserra e quebra corrente que protegia terra indígena

O deputado Jeferson Alves (PTB) quebrou na manhã de hoje a corrente que protegia todas as noites a Terra Indígena (TI) Waimiri-Atroari, ocupada pelo povo Kinja, na BR-174, em Roraima. O político usou alicate e motosserra para arrancar a proteção com auxílio de apoiadores e na frente das câmeras de sua assessoria. O ato também foi registrado por demais pessoas que estavam no local e repercutiu nas redes sociais.

O MPF (Ministério Público Federal) informou que já foi notificado sobre o caso. O órgão não soube informar se a ação do parlamentar constitui algum tipo de crime(*).

(*) Não??? Então fecha, caramba! Cometeu vários, não foi algum tipo.

Notem a importância de escrever de modo preciso, eis o que foi publicado no Estadão:

Procurada pela reportagem, a Funai afirmou, por meio de nota, que “o Ministério Público Federal já tomou conhecimento do fato” e que “não tem competência para julgar a legalidade do ato”. 

Ou seja, não declarou que não sabe informar e sim que não é de sua competência, o que é uma coisa completamente diferente de dizer que não sabe se foi crime ou não.

“É o momento de a igreja ocupar a nação”, diz Damares Alves

A apedeuta da goiabeira nunca entendeu uma linha do livro sagrado que diz ler e, principalmente, jamais abriu a Constituição, que afirma logo de cara que o Brasil é um país laico.

Este é o Artigo 5º: “Todos são iguais perante a lei, sem distinção de qualquer natureza, garantindo-se aos brasileiros e aos estrangeiros residentes no País a inviolabilidade do direito à vida, à liberdade, à igualdade, à segurança e à propriedade, nos termos seguintes:

Inciso VI – é inviolável a liberdade de consciência e de crença, sendo assegurado o livre exercício dos cultos religiosos e garantida, na forma da lei, a proteção aos locais de culto e a suas liturgias.”

                                                          ***************

Copiadas da Folha

 Ex-PM trabalhava para bicheiro quando foi ‘herói’ de Bolsonaro, diz depoimento

Adriano da Nóbrega foi indicado na época para compor segurança de contraventor morto nesta semana

O ex-capitão da PM Adriano da Nóbrega, morto no início do mês numa operação policial na Bahia, passou a integrar um grupo de contraventores no Rio de Janeiro no mesmo ano em que recebeu homenagem do hoje senador Flávio Bolsonaro e foi defendido publicamente pelo atual presidente da República, Jair Bolsonaro.

É por isto que a zeralhada odeia a imprensa, a turma mente em um dia e é desmentida dias depois. Mas eles têm sorte, o passo de tartaruga da Justiça deixa-os impune, sem falar da ineficácia Militar, que livrou a cara do patriarca apesar de todas as provas incriminatórias. Justiça Militar e Conselho de Ética do Congresso se equivalem, são figuras de ficção.

Famílias e especialistas veem lacunas em lei que (cobrará de preso estadia)(???)

(???) Por que esta ordem esdrúxula, não é mais natural “cobrará estadia de preso”?

 Brasil perdeu ímpeto na educação, diz diretor da OCDE

“O Brasil perdeu um pouco do seu ‘momentum’”, diz à Folha o diretor de educação da OCDE (Organização para Cooperação e Desenvolvimento Econômico), empregando a palavra latina muito usada na língua inglesa para designar janelas de oportunidade.

O atual sinistro é só mais um a afundar a Educação, volto a afirmar que o último ministro competente da área foi Cristovam Buarque, que foi demitido por não concordar em fazer as reformas ineficazes propostas por Lula que redundaram em desastres, um seguido do outro.

                                                           ***************

Copiada do G1

Moro diz que paralisação de PMs do Ceará é ilegal, mas que policial não pode ser tratado como criminoso

Uai, se estão fazendo o que é ilegal mas não cometem crime são o quê, “ilegalosos”? A defesa de Lula tem aí um bom argumento…

                                                           ***************

Copiadas do Estadão

Inteligência artificial

Um programa da rede municipal de Bombinhas, em Santa Catarina, permite que os professores saibam no começo do ano quais alunos têm mais chances de reprovação em dezembro.

Notem, o programa ajuda os professores a descobrir quem tem mais chance de ser reprovado, é isso que a repórter escreveu.

Aí, surge o editor e põe este olho – intertítulo ou pequeno trecho destacado da matéria –  no texto perfeito da autora:

Algoritmos estão sendo usados para prever alunos que podem reprovar na escola

Então, segundo o cara-pálida, os alunos passam de aprendizes a professores, podem reprovar. Sr., prever os alunos que podem ser reprovados, capisce? Cuidado, escriba, é forte candidato.

Direto da Fonte

Retrato Social

 Ali, entre produções “ainda em fase de captação”, ela está à frente de Teresa Island – “uma coprodução internacional dirigida exclusivamente por (diretoras mulheres)(*)”.

(*) Por mais que Damares tenha facilitado as coisas, homem usa azul, mulher, cor-de-rosa, tem gente que faz questão de ressaltar o óbvio, diretora mulher, para deixar bem claro que não é diretora homem. Barrabás, tá feia a coisa.

 ‘Tudo cascata’, diz Bolsonaro sobre tortura

O presidente Jair Bolsonaro disse ontem que as denúncias de tortura ocorridas no regime militar são “tudo cascata para ganhar indenização”. A afirmação foi feita ao conversar, na saída do Palácio da Alvorada, com simpatizantes, entre eles um militar que esteve nas matas do Vale do Ribeira, em Eldorado (SP), em busca do guerrilheiro Carlos Lamarca.

Durante a conversa, populares(!!!) comentaram que naquela época havia muito tortura. “Isso é papo… A maioria… Tudo cascata para ganhar indenização”, afirmou o presidente.

(!!!) Populares? Uau, que chavão, cara-pálida. Úsar pessoas não é sofisticado o suficiente?

Bolsonaro disse então que a ex presidente Dilma Rousseff integrou, durante o regime militar, a Vanguarda Popular Revolucionária. “A Dilma integrava a guarda popular revolucionária, que matou a paulada um tenente no Vale do Ribeira”, disse Bolsonaro, em referência ao tenente Alberto Mendes Júnior.

O tenente da Polícia Militar de São Paulo foi morto em maio de 1970, em Eldorado Paulista, por Carlos Lamarca e outros quatro guerrilheiros da Vanguarda Popular Revolucionária, a VPR, uma das organizações de luta armada no tempo da ditadura. Nessa época, Dilma estava presa havia três meses no DOPS, em São Paulo, período em que foi torturada. Depois, foi levada para o Presídio Tiradentes, onde ficou até 1973. Não há registro da participação dela em ações de luta armada antes e depois.

The “mitômano” rides again. É muita cara de pau para um só. O que me espanta, apesar de ser direito inalienável, como é que tem gente que ainda apoia tal desclassificado? O que esse pessoal tem como conceito de Ética e Moral?

                                                                *************** 

1 thought on “Na USP, o sequenciamento genético do coronavírus que detona fala de ministro

  1. Cara, vá por mim: o glorioso PCO precisa de dinheiro, sua atuante e vanguardeira diretoria executiva vive de pão com mortadela. Recebeu proposta de uns trocadinhos do Neymar para dizer essas bernardices e, claro – métier oblige! -, aceitou na hora. Como Neymar não faz a menor ideia do que seja comunismo, nem se deu conta de que seus novos puxa-sacos são gente que, se pudesse, o mandaria para o paredón e socializaria, com a ajuda providencial dos próprios bolsos, a riqueza acumulada pelo pateta. Messi e C. Ronaldo, aparentemente menos habilidosos, ao menos não são tão burros.
    (Vá por mim 2: para Sergio Moro julgar aquilo um crime, só se o boçalzão correligionário do patrão passasse a motosserra no pescoço de algum indígena. E olhe lá, hein! nunca alguém perdeu tanta credibilidade em tão pouco tempo por razão tão idiota. Ao se tornar capacho do energúmeno, Moro tornou-se um subenergúmeno. Dizem que tem muita aprovação popular, o que realmente só serve como demonstração do quão desnutridos de dignidade pública nos encontramos por estas bandas.)

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *