Calma, palmeirense. O Deca virá. Coluna Mário Marinho

Calma, palmeirense. O Deca virá.

COLUNA MÁRIO MARINHO

Vale até fake news, como aconteceu no jogo com o América.

De repente, os jogadores do Verdão começaram a se abraçar, o Felipão comemorando, torcedores pulando tudo porque um torcedor olhando o celular dele avisou: gol do Grêmio.

Como o jogo contra o Flamengo lá no Rio estava 0 a 0, aquele poderia ser o gol do título do Brasileirão.

Vamos comemorar.

Na cabine e transmissão, o competente Cleber Machado ficou sem saber o que estava acontecendo e comentou com o Casagrande:

“No jogo que estamos acompanhando aqui na cabine, o placar está 0 a 0.”

Como fake news tem perna curta, logo descobriu-se tratar de brincadeira de algum gaiato.

Assim, a massacrante goleada sobre o América, tão mineiro quanto eu, foi devidamente comemorada. Com muita alegria, claro, mas sem a exuberância e exageros de um título brasileiro.

Título que o Verdão já fez por merecer. E terá.

Eu no meu escritório, Sílvio Natacci no dele, ficamos à espera do gol gremista que nos possibilitaria acabar o pôster do Verdão Deca Campeão que estamos preparando para a On Line Editora.

Aliás, de Deca Campeão eu entendo porque o América é o único brasileiro a possuir esse título: foi campeão mineiro de 1916 a 1925

Eu sei, você vai dizer que isso foi no tempo em que se amarrava cachorro com linguiça. Sim, mas foi.

No segundo tempo do jogo de ontem, o Palmeiras foi avassalador.

Procuro uma palavra mais forte que avassalador para definir o Palmeiras. Vou ao Dicionário Informal e encontro: Avassalador é ser foda.

Então, é isso: Verdão foi foda.

E tem sido assim desde a chegada do Felipão. Aliás, ele chegou meio ressabiado. Sabia que o brasileiro ainda traz cicatrizes profundas e sangrentas daquele desapiedado 7 a 1.

Mas, o amor do Felipão pelo Palmeiras – e vice versa – é maior do que qualquer goleada. Pelo menos por ora.

O jogo teve de tudo.

Muita procura e sofrimento do Verdão no primeiro tempo, esbarrando numa sólida defesa mineira.

No segundo tempo, a história foi outra.

O primeiro gol do Verdão, de Luan, foi meio assim, tal e coisa, precisou de régua e compasso para constatar se não houve impedimento.

No segundo, William.

No terceiro, um golaço do Dudu, melhor e mais importante jogador do Palmeiras, seriíssimo candidato a craque do Brasileirão.

Depois, o gol com sangue do sempre surpreendente Deyverson.

Lá do Rio vieram os gols do Flamengo para adiar a grande festa verde.

Aliás, o primeiro gol do Mengão foi totalmente irregular, conforme se pode constatar no vídeo dos gols.
Quanto a nós americanos, ficaremos à espera do milagre salvador que nos permita ficar na Série A. Ou, voltaremos à Série B.

De todo jeito, a luta continuará.

E o Internacional do meu amigo Belmiro Sauthier??? Despediu-se do título perdendo para o Atlético, do Gilberto Mansur, em casa!

Perder para o Galo não é feio, mas, nessas condições??? Pelamor de Deus!

Veja os gols:

_____________________________

FOTO SOFIA MARINHO

Mário Marinho – É jornalista. Especializado em jornalismo esportivo, foi durante muitos anos Editor de Esportes do Jornal da Tarde. Entre outros locais, Marinho trabalhou também no Estadão, em revistas da Editora Abril, nas rádios e TVs Gazeta e Record, na TV Bandeirantes, na TV Cultura, além de participação em inúmeros livros e revistas do setor esportivo.

(DUAS VEZES POR SEMANA E SEMPRE QUE TIVER MAIS
 NOVIDADE OU COISA BOA DE COMENTAR)

1 thought on “Calma, palmeirense. O Deca virá. Coluna Mário Marinho

  1. O Colorado transformou-se em um horror, aliás, o Colorado, não, o Damião, um perna-de-pau, que deve, acredito, alguma coisa para o Grêmio.
    Abraços,

    Belmiro

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Assine a nossa newsletter