Anvisa aprova rapidinho venenos, agrotóxicos, e demora com vacinas?

venenoA Anvisa aprovou ontem (23) o uso definitivo da vacina da Pfizer, o primeiro registro oficial no país, mas de que adianta se as picuinhas do coiso travam a chegada do imunizante?

Em decisão unânime, o STF aprovou que estados e municípios comprem vacinas internacionais independentemente de terem sido registradas na Anvisa no caso de a entidade não dar o aval solicitado por laboratórios no prazo de 72 horas,  basta que tenham sido aprovadas por entidades sanitárias de renome. Tem lógica, o que a Anvisa tem de mais conhecimento, por exemplo, que a sua similar na Alemanha, país conhecido por sua alta capacidade tecnológica? Sem esquecer que a Anvisa é célere na aprovação de agrotóxicos extremamente perigosos e já banidos em outros países.

O posteco Paulo Guedes mostra, dia após dia, não ter amor-próprio, não tem espinha dorsal, mas tem estômago de avestruz, engole qualquer desaforo, calou-se na intervenção desastrosa na Petrobras, agora dobra-se diante da ameaça de demissões da parte do coiso e o ministério é, teoricamente, comandado por ele.

O ex-juiz Sergio Moro, quando aceitou ser ministro do coiso, e os procedimentos ilícitos dos procuradores da força-tarefa da Lava Jato que vêm sendo divulgados acabarão por desmoralizar a operação que deu esperanças ao país que ele, enfim, seria moralizado. Apesar de as conversas mostrarem práticas indevidas, entre elas não há indícios de fabricação de provas, todos os condenados cometeram os crimes pelos quais foram acusados, mas para seguidores fanáticos que não conseguem aceitar a realidade os erros cometidos são suficientes para transformá-los em mártires. Mais uma vez, o Mirando recomenda a leitura do livro “A Organização”, de autoria da jornalista Malu Gaspar, nele a história – indesmentível – que levou à condenação de todos é contada tintim por tintim (*).

Tintin

(*) A expressão, mais velha do que andar pra frente, não está em nenhum dicionário que este digitador conheça, mas vale a pena ler o texto a seguir: “‘Tintim por tintim’, de onde saiu” isso?

Leia mais em: https://veja.abril.com.br/blog/sobre-palavras/tintim-por-tintim-de-onde-saiu-isso/

 E a “intubação” continua a fazer  escribas entrarem pelos tubos, é entubação, caras-pálidas.

 (CACALO KFOURI)

                                                              ***************

Copiadas da Folha

Ao mirar Judiciário, operação atinge ex-Timbalada e joalheiro de celebridades

​Principal operação do Ministério Público Federal contra venda de decisões judiciais, a Faroeste se ramifica em investigações que envolvem outros Poderes e ajudou a (desmontar um suposto esquema)(???) de vendas de decisões por meio de advogados que operavam para interessados.

(???) Cara-pálida, explique, por favor, para os simples mortais como se desmonta algo que não existe, que é suposto?

​Até fevereiro de 2021, oito desembargadores já haviam sido afastados do Tribunal de Justiça da Bahia por decisão do STJ (Superior Tribunal de Justiça), além de outros três juízes. Três desembargadoras estão presas preventivamente, e uma quarta está em prisão domiciliar.

Este monte de “otoridades” presos e o esquema é suposto? Ok…

Imunidade de rebanho está longe, mesmo com avanço das vacinas, dizem especialistas

A tão esperada imunidade de rebanho, que pode recolocar as atividades sociais próximas ao normal, não deve ser atingida neste ano, mesmo com o avanço da vacinação contra a Covid-19.

Todos os indícios apontam para imunidade de antas, erram, erram, erram e nada lhes acontece, continuam em seus cargos fazendo besteiras após besteiras.

rebanho

                                                              ***************

Copiadas do UOL

Relator vota contra recursos que podem travar inquérito de F. Bolsonaro    

O relator do caso das “rachadinhas” no antigo gabinete de Flávio Bolsonaro (Republicanos-RJ) na Alerj (Assembleia Legislativa do Rio de Janeiro), Felix Fisher, leu o voto contrário aos recursos do parlamentar no STJ (Superior Tribunal de Justiça).

Ao negar provimento aos recursos, Felix disse que as alegações da defesa representam um “agravo sem respectivo enfrentamento dos fundamentos da decisão agravada”, pedindo que Flávio impregne “especificamente” os atos citados nas denúncias. O relator ainda afirmou que Flávio teve seu direito de escuta atendido por duas vezes, ressaltando que a própria petição chamou as oitivas de “verdadeiro interrogatório”.

Como votará o presidente do STJ, Noronha, amado pelo coiso e querendo trocar o J pelo F? 01 safou-se de novo, 4 x 1, o único voto contra foi o do relator e sic transit “pizza” mundi.

Declarou, alegremente, o “inocente”, depois da decisão, que “Depois de dois anos de massacre, fico satisfeito”. Viva o Brasil, morram os brasileiros honestos, cada vez em menor número, as pessoas estão sentindo que mais vale ficar do outro lado.

Está cada vez mais difícil saber por que Queiroz depositou R$ 89 mil na conta de Michelle.

Sindicato apoia troca de comando na Petrobras e quer nova política de preço

A FUP (Federação Única dos Petroleiros) comemorou a decisão do presidente Jair Bolsonaro (sem partido) de trocar o comando da Petrobras, mas afirma que “de nada adianta” se não houver mudança na política de preços da empresa.

“Finalmente, [Roberto] Castello Branco caiu, após as paralisações da categoria petroleira e as denúncias que nós fizemos sobre a política de preços de combustíveis nefasta para a população brasileira”, afirmou Deyvid Bacelar, coordenador geral da entidade, em nota da entidade e em vídeo publicado em redes sociais. “Mas, não adianta mudar o presidente da Petrobras se o PPI (Preço de Paridade de Importação) continuar.”.

Aí é que está a problemática sem Dadá Maravilha para haver uma solucionática, se é para não seguir o mercado internacional não deve ser empresa estatal de economia mista, que seja estatal somente, não dá pra ter os pés em duas canoas. E por que o país ainda precisa importar petróleo depois de 68 anos de existência?

Quem diria, hein? Petroleiros se igualando a caminhoneiros e apoiando o coiso… Irão também apoiar interferência na produção de alimentos? Os preços estão subindo muito mais que os dos combustíveis.

 Como são aprovados e por que se consome tanto agrotóxico no Brasil?

No ano de 2020 o governo de Jair Bolsonaro (sem partido) aprovou o maior número de agrotóxicos da história, foram 493 novos produtos liberados, 19 a mais que em 2019, outro ano recordista. Isso quer dizer que cerca de um terço de todos os pesticidas no mercado brasileiro foram aprovados no governo Bolsonaro.

A resposta é fácil, porque elegeram para a Presidência quem não deveriam e quê, por sua vez, nomeou um sinistro contra o Ambiente para o ministério. Além de que a Anvisa, parece, só é lenta para aprovar vacinas contra a covid-19.

O que acontece atualmente é um crescimento desmedido do consumo de agrotóxicos devido à pressão da bancada ruralista sobre os irresponsáveis citados acima, mas sempre foram usados em demasia, muitos deles banidos em outros países.

Existe, também, o motivo técnico, difícil de mudar. Está no texto da matéria:

O Brasil é um dos maiores monocultores do mundo, ou seja, o país é um dos maiores produtores de uma só cultura, sendo a soja a principal delas. Por fazer um uso muito grande de fertilizantes, como o NPK, a monocultura deixa as plantações mais vulneráveis a pragas o que, por sua vez, exige mais agrotóxicos. É isso o que diz a teoria da Trofobiose. “Além disso, essa agricultura, em geral, usa maquinários superpesados, o que compacta o solo gerando o aparecimento de fungos”, explica Larissa Mies Bombardi, professora da Universidade de São Paulo. “É um modelo em que vai aparecer fungo e vai aparecer inseto. Então, ele vai acabar demandando agrotóxicos”, completa a pesquisadora e autora do Atlas Geográfico do Uso de Agrotóxicos no Brasil e Conexões com a União Europeia.

                                                              ***************

veneno - agrotoxicos

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Assine a nossa newsletter