AMERICANOS

Uma catástrofe foi evitada: os americanos já podem respirar aliviados! (New York Times). Por Maria Helena RR de Sousa

UMA CATÁSTROFE FOI EVITADA:

OS AMERICANOS JÁ PODEM RESPIRAR ALIVIADOS!

(NEW YORK TIMES)

MARIA HELENA RR DE SOUSA

…agora teremos o democrata Joe Biden na presidência. Vai ser agradável conviver com um Salão Oval de onde não saem declarações ou tuites presidenciais nos quais o chefe da Nação se orgulha de seus preconceitos, de sua ignorância, de sua rudeza e de seus maus modos que fazem que os americanos sejam considerados tolos e egoístas diante do resto do mundo.

AMERICANOS

(ARTIGO PUBLICADO ORIGINALMENTE NO BLOG DO NOBLAT VEJA ONLINE, 8 DE NOVEMBRO DE 2020)

Joe Biden, 77 anos, é o 46º presidente dos Estados Unidos. Já leio aqui e ali que sua idade avançada e sua saúde um tanto frágil podem prejudicar seu governo. Bullshit! como diriam os americanos. Será que já esqueceram que seu antecessor, o assustador Trump, era só três anos mais jovem e que sua aparência forte, de atleta, nada mais era do que aquilo que na minha juventude chamávamos de ‘Tarzan filho de alfaiate’?

A administração Trump em vez de tornar a América grande como no passado (Make America Great Again), promessa de campanha, o que fez foi encolher o país e levá-lo a ser a alegria e o prazer de seus inimigos.

Imagino a satisfação do Supremo Guia Iraniano Ali Khamenei ao comentar o “espetáculo”, segundo ele, oferecido por Trump durante a apuração dos votos, quando ameaçava recorrer à Justiça para barrar a contagem de votos num processo absolutamente legal.

Talvez Trump nem tenha se dado conta do quanto humilhava seu país ao dizer que as eleições estavam sendo fraudadas ou ao berrar de costa a costa “Parem a contagem!”. É bem possível…

Mas esse desastre já foi vencido e agora teremos o democrata Joe Biden na presidência. Vai ser agradável conviver com um Salão Oval de onde não saem declarações ou tuites presidenciais nos quais o chefe da Nação se orgulha de seus preconceitos, de sua ignorância, de sua rudeza e de seus maus modos que fazem que os americanos sejam considerados tolos e egoístas diante do resto do mundo. Será um alívio para eles não precisar se fortalecer contra novas palavras vergonhosas, atos de crueldade, apelidinhos ou insultos maldosos.

Joe Biden foi vice-presidente de Barack Obama por 8 anos e eles conseguiram construir uma boa parceria, da qual resultou uma bela amizade. Obama declarou recentemente: “”a melhor coisa sobre Joe é que quando colocamos todo mundo junto, ele realmente força as pessoas a pensar e defender suas posições, a olhar para os problemas de todos os ângulos, e isso é muito valioso para mim e importante para o país”.

Mas Biden receberá uma herança pesada. A tão decantada democracia americana nunca foi tão agredida. O que nunca acontecera antes. Donald Trump estilhaçou a confiança e a admiração que os Estados Unidos sempre tiveram na Casa Branca.

Como Biden reagirá a essa herança? Sua vida, tudo que ele sofreu, na minha opinião, farão com que a empatia que sente por seus conterrâneos, sua formação acadêmica, sua cultura e sua vida familiar exemplar permitam que ele consiga, ele sim, sem prometer, mas fazendo, tornar seu país grande outra vez.

Deus Salve a América!

Deus Salve Joe Biden!

____________________________

Maria Helena Rubinato Rodrigues de Sousa

Professora e tradutora. Vive no Rio de Janeiro. Escreve semanalmente para o Blog do Noblat desde agosto de 2005. Colabora para diversos sites e blogs com seus artigos sobre todos os temas e conhecimentos de Arte, Cultura e História. Ainda por cima é filha do grande Adoniran Barbosa.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Assine a nossa newsletter