não basta ser líder

Não basta ser líder. Blog do Mário Marinho

não basta ser líder

Nem mesmo a vitória fácil, 3 a 0, sobre o Bordeaux, aliviou a fúria da torcida do PSG da furiosa torcida que leva o nome de Boulogne Boys, extremado grupo que nasceu no famoso parque Bois de Boulogne lindo, porém, de fama pouco recomendável.

Está certo que a fácil vitória foi sobre o lanterna do campeonato francês, mas assegurou a liderança do PSG, 65 pontos ganhos, contra 50 do Olympique, seu perseguidor mais próximo.

A razão da fúria da torcida que não perdoou Neymar e Messi (só aplaudiu em peso o gol de Mbappé) nem as boas jogadas proporcionadas pelo dois é ainda a eliminação nas oitavas de final da Champions League para o Real Madri, na semana passada.

A Champions é a mais charmosa competição do futebol mundial, reunindo os melhores e mais ricos do planeta.

Começou a ser disputada na temporada europeia de 1955-56 e teve o Real Madri como campeão. Aliás, o Real vivia a sua grande fase e venceu a competição por 5 anos seguidos.

É até hoje o maior vencedor com 13 conquistas.

Em segundo lugar vem o Milan com 7 títulos.

Seguem o Liverpool e o Bayern de Munique, ambos com 6; e o Barcelona com 5, para ficar nos cinco primeiros.

A França conquistou apenas uma vez com o Olympique de Marselha.

A conquista da Champions tornou-se uma obsessão para a comunidade do PSG, assim como o mundial da Fifa para o Palmeiras.

Mas vaiar o próprio time?

Essa é uma eterna discussão: a torcida tem o direito de vaiar seu time?

Há quem diga que a vaia é o aplauso dos descontentes.

Nos anos 80, eu era o Chefe da equipe de Esportes do Jornal da Tarde e tinha o Roberto Avallone como subchefe. Cabia a ele criar e elaborar a pauta do dia.

No fechamento do jornal, à noite e já de madrugada, eu sempre deixava um recado para ele, dizendo como havia sido o fechamento, problemas, elogios e sugestões para a pauta.

A Seleção Brasileira havia jogado no Morumbi e foi terrivelmente vaiada. A torcida foi muito criticada por causa da vaia.

Sugeri ao Avallone uma pauta sobre o direito da vaia.

No dia seguinte, pela manhã, o telefone toca em minha casa. Era o Avallone.

– Marinho, você não está defendendo que a torcida tem o direito de vaiar a Seleção Brasileira, está?

– Avallone, acho que devemos discutir se existe esse direito ou não.

– Eu acho que não pode. Vaiar clube, tudo bem. Mas, Seleção, não.

– Tudo bem, mas, vamos discutir esse assunto. Coloque repórteres para ouvir jogadores, dirigentes, jornalistas, até um psicólogo. Se você quiser, coloque a sua opinião. Eu vou colocar a minha.

A matéria ocupou duas páginas do JT.

E, claro, foi inconclusiva. Mas a pauta serviu ao seu propósito: discutir o direito de vaia.

Há quem não admita a vaia nem para os clubes – ou, principalmente, para os clubes.

Vinicius Marinho, meu neto de 20 anos de idade e corintiano há mais de um século, acha um absurdo o torcedor vaiar seu próprio time.

– Vô, corintiano não vaia o Corinthians.

O jornalista Gilberto Mansur, dono de ótimo texto e da ótima cachaça Espírito de Minas, concorda.

– Atleticano de verdade não vaia o Galo.

Paulistão

na reta final

A fase classificatória do Paulistão vai chegando ao seu final. Quase todos os clubes já disputaram 11 das 12 rodadas desta fase.

O Palmeiras é disparado o melhor time da competição com 26 pontos em 10 jogos.

Além do Verdão, Corinthians e São Paulo já estão classificados. O Santos está em situação difícil: no seu grupo, o RB Bragantino já está classificado com 19 pontos: em segundo vem o Santo André, com 12; Santos, 10; Ponte Preta, 8.

O Santos tem ainda dois jogos por fazer, precisa vencer ambos e torcer por um tropeço do Santo André.

Santos – quem te viu e quem te vê.

Campeonato

Mineiro

O Atlético venceu o Democrata, na cidade de Sete Lagoas, no sábado, por 1 a 0 e a torcida achou pouco. Já há atleticanos se manifestando contra o técnico argentino “El Turco Mohammed”.

Calma, gente.

O Cruzeiro aplicou escandalosa vitória sobre o Pouso Alegre, 5 a 1.

Os dois são líder e vice-líder do Campeonato.

Já o meu América, preocupado com a Libertadores, está em modesto sexto lugar.

Os gols do fim de semana:

https://youtu.be/hWlOo8zTJ7Q


Por falar em gols, vamos curtir alguns dos golaços do lateral Roberto Carlos.

https://youtu.be/Rir3xUbPxpY

______________________________________________________________

Mário Marinho – É jornalista. É mineiro. Especializado em jornalismo esportivo, foi FOTO SOFIA MARINHOdurante muitos anos Editor de Esportes do Jornal da Tarde. Entre outros locais, Marinho trabalhou também no Estadão, em revistas da Editora Abril, nas rádios e TVs Gazeta e Record, na TV Bandeirantes, na TV Cultura, além de participação em inúmeros livros e revistas do setor esportivo.

(DUAS VEZES POR SEMANA E SEMPRE QUE TIVER MAIS NOVIDADE OU COISA BOA DE COMENTAR) ____________________________________________________________________

 

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.

Assine a nossa newsletter