TREINO

Foi um bom treino. Blog do Mário Marinho

TREINO

Pelo placar, 5 a 1, sabe-se logo que o Brasil não teve dificuldades no jogo contra a Coreia, na manhã desta quinta-feira, em Seul.

Já sei.

O torcedor vai dizer:

– Ah!, mas o adversário é muito fraco.

Mas, ainda assim, foi um bom treino.

Ou, então:

– Ah!, Neymar marcou dois, mas foi de pênalti.

Ainda assim foi um bom treino. Além disso, gol de pênalti é do jogo e quando eles são assinalados, significa que uma boa jogada de gol foi criada.

Por falar em jogadas criadas, o Brasil mandou duas bolas na trave e ainda exigiu boas defesas do ágil goleiro Kim Seung-Gyu.

É evidente que se conseguíssemos um resultado desse contra uma seleção mais forte, mais tradicional, como, por exemplo, Escócia, Portugal, França, Croácia etc. não estaria aqui falando em bom treino. Seria um excelente treino, seguido de exclamação, como diria o saudoso Roberto Avallone.

Mas, vamos aos pontos positivos.

Neymar jogou bem, foi importante, mas não foi o protagonista do jogo, apesar dos dois gols. Saiu de campo merecidamente muito aplaudido.

É claro que é ótimo termos o Neymar em nosso time. Com todas as polêmicas que ele provoca, é melhor tê-lo ao nosso lado do que contra.

Aqui, uma observação que já fiz em outras ocasiões e que não me cansarei de fazer quantas vezes forem necessárias.

Por que Neymar é cobrador de escanteio?

Quem cobra escanteio fica fora do espaço onde as coisas acontecem: a grande área e regiões fronteiriças.

Ele vai lá, cobra escanteio e, enquanto o pau está comendo dentro da área, o craque do time está, literalmente, às margens do campo e dos acontecimentos.

Eu pergunto: Você viu alguma vez Pelé cobrando escanteio? Zico? Maradona? Messi?

Então, por qual razão isolar o mais perigoso atacante nesse momento?

Já não temos nenhuma jogada ensaiada nas cobranças de escanteio. Então Tite, por favor, bote o rapaz no meio da muvuca.

Se Neymar não foi o protagonista, significa que ele pode render ainda mais. É o que esperamos.

O protagonismo ficou por conta das tabelinhas; das viradas de jogo com acerto de um lado para o outro; das jogadas individuais; dos chutes a gol de fora da área; da entrega do time como um todo.

Muito embora, tenho certeza, Tite já tenha, em sua cabeça, o time definido, ele aproveitou bem para mexer no time.

Assim, entraram em campo, Fabinho no lugar do incansável Casemiro; Bruno Gimarães no lugar de Fred; Matheus Cunha para a saída de Lucas Paquetá; Neymar saiu sob aplausos que ele, educadamente, agradeceu, para a entrada de Phillipe Coutinho que, no primeiro toque que deu na bola, fez seu gol; o valente Richarlison deu lugar a Vini Jr; e Raphinha saiu para entrar Gabriel de Jesus que fez o 5º gol da Seleção, o primeiro depois de 19 jogos sem marcar.

O goleiro Weverton foi bem. No banco estava Alisson. Não temos problema com a camisa 1.

Daniel Alves, veterano de 39 anos, mostrou a alegria de principiante e foi bem.

A dupla de zagueiros Marquinhos e Thiago Silva também deram conta do recado. O gol coreano foi uma boa jogada de atacante Hwang Ui-Jo em cima do zagueiro Thiago Silva. É verdade que o zagueiro brasileiro foi lento para interceptar a virada do atacante coreano. Mas, prefiro dar méritos ao atacante.

Alex Sandro foi excelente lateral. Marcou com precisão e participou das jogadas de ataque, sofrendo os dois pênaltis convertidos por Neymar.

O meio-campo com Casemiro, Fred e Lucas Paquetá foi muito bem.

E o ataque com Raphinha, Richarlison e Neymar não só deu conta do recado como levantou o público com belas jogadas.

Então, aquele torcedor há de perguntar:

– Já ganhamos a Copa do Mundo?

Não, meu caro, longe disso.

Estamos caminhando para encontrar as soluções certas e entrarmos na lista dos favoritos. Não apenas com o favoritismo natural que o passado brasileiro garante, mas, aquele favoritismo conquistado dentro de campo.

Veja os gols:

https://youtu.be/pXl4D8c8zc8

Ranking

da Fifa

A Fifa atualizou, há três dias, o seu ranking, mantendo o Brasil na ponta. Veja os 10 primeiros colocados:

  • 1º – Brasil – 1.832,69 pontos
  • 2º – Bélgica – 1.827
  • 3º – França – 1.789,85
  • 4º – Argentina – 1.765,13
  • 5º – Inglaterra – 1.761,71
  • 6º – Itália – 1.723,31
  • 7º – Espanha – 1.709.19
  • 8º – Portugal – 1.674,78
  • 9º – México – 1.658,82
  • 10º – Holanda – 1.658,66

___________________________________________________________

Mário Marinho – É jornalista. É mineiro. Especializado em jornalismo esportivo, foi FOTO SOFIA MARINHOdurante muitos anos Editor de Esportes do Jornal da Tarde. Entre outros locais, Marinho trabalhou também no Estadão, em revistas da Editora Abril, nas rádios e TVs Gazeta e Record, na TV Bandeirantes, na TV Cultura, além de participação em inúmeros livros e revistas do setor esportivo.

(DUAS VEZES POR SEMANA E SEMPRE QUE TIVER MAIS NOVIDADE OU COISA BOA DE COMENTAR)

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.

Assine a nossa newsletter