VIOLÊNCIA

Por Benjamim Cafalli

Violência banalizada e o Brasil chorando sangue

Vigeu a banalização da violência

 A sociedade como um todo não reagiu à altura ao assassinato de Marcelo Arruda cometido por um radical bolsonarista – expressão que nada mais é que um pleonasmo. Silêncio ensurdecedor das associações empresariais fãs do inspirador do crime, nenhuma reação das igrejas “cristãs”, provando mais uma vez que são meros balcões de negócios, que de um lado vivem de achacar com dízimo gente sem noção e de outro de  vender apoio ao anticristo.

 E daí? 2

 Mantendo o hábito de não assumir a responsabilidade pela violência que incita, o ignaro ignóbil ornejou a respeito do assassinato do petista Marcelo Arruda por um agente penitenciário bolsonarista com histórico de postagens violentas. Zurrou queVocês viram o que aconteceu ontem, né, a briga de duas pessoas lá em Foz do Iguaçu? Bolsonarista, não sei o que lá… Agora, ninguém fala que o Adélio era filiado ao PSOL, né?”

Começando pelo princípio, a Polícia Federal, antes de domesticada devido a intervenções indevidas, afirmou que Adélio não tinha vínculo com o PSOL e agiu sozinho. Depois, são episódios incomparáveis, não há como comparar um agente penitenciário, teoricamente homem da lei com um pedreiro (sem menosprezar esses dignos operários) e não há uma imagem que seja de Adélio posando para fotos fazem “faquinha”. E Adélio não gritou “Aqui é Lula”, diferentemente do assassino coisiforme, que começou a tragédia ao gritar “Aqui é Bolsonaro!”.

A confirmação da responsabilidade veio do assador de hambúrguer

Confirmando o velho ditado que diz que “quem sai aos seus não degenera, 03, da familícia, comemorou seu triste aniversário – triste porque o Brasil seria muito melhor sem ele, pai e irmãos – assoprando velinhas sobre um bolo violentado por um enfeite em forma de “arminha”. Há que diga que Freud tem explicação para essa fixação…

Mas eles insistem em dizer que não têm responsabilidade pela violência que se vive no país.

VIOLÊNCIA

                           Mais medíocre do que isto só com ajuda de 00, 01 e 02.

                                  VIOLÊNCIA

  … com um reparo,é antiarmas.

Previsão do passado!

Quem disse que isto não existe? O acólito do ignaro ignóbil, que desonra o cargo de procurador-geral da República, Aras, aras, vejam só, mais uma vez mostra a sua falta de dignidade, seu servilismo, sua falta de caráter, resumindo tudo em uma palavra, honradez. Genuflexo diante do patrão, segundo assessores consultados por equipe de reportagem, rejeitará o pedido de congressistas e líderes de partidos da oposição para federalizar as investigações que tratam da morte do guarda municipal Marcelo Aloizio Arruda assassinado por um admirador de quem o nomeou apesar da sua mediocridade para assumir a função.

 A compra de apoio não tem limites

Uma das mais lamentáveis famílias que prejudicaram o país, a Collor de Mello, a mais triste de todas seria pleonasmo citar, está à beira da falência. Mas no país que não é para amadores, o ex-caçador de marajás e ex-presidente, Fernando Collor de Mello, que se mostrou ser um grande apreciador de propinas, foi eleito senador e hoje é apoiador de um espécimen pior do que “elle”.  A família, que perdeu a oportunidade de viver à base de dinheiro desonesto, está à beira da falência. Mas, aí, entra em ação outra, a familícia por meio de seu capo na tentativa de salvá-la e garantir apoio eleitoral no curral alagoano.

 O BNDES indicou que chegou a um acordo com a Organização Arnon de Mello para aceitar o plano de recuperação judicial das empresas de comunicação da “família” Collor de Mello em Alagoas. A turma negocia um total de R$ 64 milhões em dívidas, das quais o BNDES é o maior credor/prejudicado.

 É o dinheiro do povo sendo desviado para livrar a cara de corruptos e comprar votos para a mais lamentável figura que assumiu a Presidência da República em todos os tempos, incluídos os da ditadura militar, da qual ele é fruto.

Sugestão para aperfeiçoar o decreto

O ignaro ignóbil baixou decreto “eleitorrupto” para obrigar os postos de combustíveis a informar os preços dos produtos antes da limitação da incidência do ICMS sobre eles.

O “Mirando” sugere uma informação “eleitonesta”:

“Quando assumi a gasolina custava R$ 2,60, mas o que subiu não é culpa minha.”.

“Desde que assumi o preço da gasolina subiu 170% e o do diesel, 203%, mas a culpa é da imprensa esquerdista, não é minha.

São incompetentes em tal nível que nem as tramoias funcionam

Previram que o teto de cobrança de ICMS sobre combustíveis seria a Oitava Maravilha do Mundo, mas não saiu como esperado, nem nos Postos Ipiranga deu certo (se arrependimento matasse…).

Havia a previsão de queda de R$ 0,13 no preço do diesel, mas caiu só R$ 0,05. Caminhoneiros continuam fulos da vida.

Na gasolina, o fracasso foi maior, previram queda de R$ 1,55 e o tombinho alcançou R$ 0,05.

Mais um fracasso retumbante do governo com seus asseclas no Congresso.

(CACALO KFOURI)

                                                                  ***************

Copiadas do Blog do Ancelmo

 legenda
jefe: Ancelmo Gois
miss Caixa/mistake: Ana Cláudia Guimarães (editora)
errador/mister Crase: Nelson Lima Neto
Por que continuar lendo o blog se tem tanto erro e dá tanto trabalho? É que, apesar da decadência do texto, continua sendo uma boa fonte de informações. E, afinal,  qual seria o sentido de fazer o “Mirando” sem mirar?
 Em tempo: não mais será usado itálico nos adjetivos dos coleguinhas e em blog, perde-se muito tempo com isso.

…Não deu tempo de ler…

 

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.

Assine a nossa newsletter