Começam as decisões e há um campeão. Coluna Mário Marinho

Começam as decisões e há um campeão

O campeão, aviso logo de cara, é o Santa Cruz campeão da Copa do Nordeste.

O Santinha andou capengando durante o Nordestão, mas engrenou uma quinta marcha na reta final e chegou lá. Na fase de mata-mata, eliminou o Ceará e o Bahia.

No jogo decisivo, em Campina Grande, levou um gol do Campinense, mas reagiu e fez o 1 a 1 que lhe deu o título da Copa do Nordeste pela primeira vez.

O jogo de domingo foi disputado no estádio Amigão, em Campina Grande, que tem capacidade para 35 mil torcedores e teve público pagante de 19.859 torcedores.

O Santa Cruz teve média de público de 12.222 torcedores, ficando abaixo do líder de público, o Fortaleza, que teve média de 12.936, conforme informações do http://www.srgoool.com.br/ .

Agora, vai pegar o Sport para decidir o título estadual em dois jogos: nesta quarta-feira e no domingo.

Veja os gols.

Campinense 1 x 1 Santa Cruz

São Paulo

O Santos soube como amarrar o audacioso Audax no primeiro jogo da final do Paulistão. O técnico Dorival Jr. armou um forte esquema defensivo, fechando os espaços quando o time de Osasco tinha posse de bola, dificultando assim o seu envolvente toque de bola.

Mas, mesmo assim, o Audax saiu na frente.

Chegou a envolver o Santos com seu toque de bola, enquanto a torcida gritava “olé”.

Mas o Santos foi à luta e, numa saída errada de bola do volante Tchê Tchê, Ronaldo soltou uma bomba de fora da área e empatou o jogo. Apesar da falha do volante e do forte chute, o goleiro Cidão também teve também teve sua parcela de culpa.

O jogo foi disputado no estádio Municipal José Liberatti, que tem capacidade oficial para 17.430 torcedores e recebeu público de 12.269.

A decisão será no domingo e, em caso de empate, a decisão irá para os pênaltis. Não há favorecimento em gol marcado fora de casa.

A média de público do Paulistão é de 7.208 pagantes por jogo. O primeiro colocado é o Corinthians com 30.981 pagantes por jogo em que é o mandante; segundo, o Palmeiras, 20.271; terceiro, Santos, 9.892 e, em quarto, o São Paulo, 7.1584.

Eis os gols:

Audax 1 x 1 Santos

https://youtu.be/TZMvuwkLYIk

Minas Gerais

Lá no velho-novo estádio Independência, o América, meu América, saiu na frente na decisão contra o Atlético.

O Lateral esquerdo Danilo fez os dois gols do Coelho em jogadas que até pareceram replays de tão parecidas.

O argentino Lucas Prato fez o gol do Galo.

A decisão será domingo, no Mineirão, e o América precisa só do empate.

O novo Independência tem capacidade para 23.188 pagantes, mas só 7.188 compareceram.

É baixa a média de público do campeonato mineiro: 4.810 por jogo.

O campeão de público é o Cruzeiro, com 15.398 pagantes nos jogos em que foi mandante; seguido do Atlético, com 12.455. O América vem em quinto lugar, com 3.157.

Veja os gols:

América 2 x 1 Atlético

https://youtu.be/tgTmceNBfPU

Rio Grande do Sul

No estádio Alfredo Jaconi, em Caxias do Sul, o Internacional passou apertado mas conseguiu importante vitória: 1 a 0 sobre o Juventude, mesmo atuando grande parte do jogo com apenas 10 jogadores (Vitinho foi expulso).

Rendas e público não foram divulgados, mas o Grêmio é o time com maior média de público, 13.901; em segundo, o Inter com 11.200 e em terceiro o Juventude com 3.785 pagantes.

Eis os gols

Juventude 0 x 1 Internacional

https://youtu.be/HZUINzQMDa4

Rio de Janeiro

No jogo com maior público nessa rodada de decisões (37.207 pagantes no Maracanã) o Vasco venceu o Botafogo por 1 a 0, gol de cabeça do baixinho Jorge Henrique e agora pode até empatar que será o campeão no próximo domingo.

O Vasco tem grandes possibilidades de sair campeão em campo e pode também ser o melhor em públicos. O primeiro colocado é o Flamengo, 11.196; em segundo, Vasco, 9.582; terceiro, Fluminense, 9.163; quarto, o Botafogo com 7.758.

O campeonato carioca sempre teve boa média de público. Porém, como este ano o Maracanã e o Engenhão ficaram fechados para a reforma para os Jogos Olímpicos, a média caiu muito: 3.467.

Veja como o baixinho Jorge Henrique se transformou num gigante na saída errada do goleiro Jefferson.

Bahia

O Vitória manteve a escrita: é o oitavo Bavi seguido com vitória do time rubro-negro. Neste domingo, não foi diferente. Se bem que o primeiro gol saiu de um pênalti que só o juiz viu. Em compensação, o segundo, de Amaral, foi um golaço com direito a comemoração pitbull.

O campeonato baiano que, tradicionalmente, apresenta ótima meda de público, parece também ter sido atingido pela crise do Brasil.

No jogo deste domingo, no Barradão que comporta 35.000 torcedores, 20.174 compareceram.

Na média do campeonato, o Bahia é o que mais leva torcedores: 11.273; em segundo, o Vitória, 10.015. E em terceiro, o Jacobina com 2.540 torcedores de média nos jogos em que foi mandante.

No próximo e decisivo jogo, o Vitória precisa apenas do empate.

Os gols:

Vitória 2 x 0 Bahia

https://youtu.be/AzExe4nDYPc

 

______________________________________________________________________

FOTO SOFIA MARINHO

Mario Marinho É jornalista. Especializado em jornalismo esportivo foi durante muitos anos Editor de Esportes do Jornal da Tarde. Entre outros locais, Marinho trabalhou também no Estadão, em revistas da Editora Abril, nas rádios e TVs Gazeta e Record, na TV Bandeirantes, na TV Cultura, nas rádios 9 de Julho, Atual e Capital. Foi duas vezes presidente da Aceesp (Associação dos Cronistas Esportivos do Estado de São Paulo). Também é escritor. Tem publicados Velórios Inusitados e O Padre e a Partilha, além de participação em livros do setor esportivo

A COLUNA MÁRIO MARINHO É PUBLICADA TODAS AS SEGUNDAS E QUINTAS AQUI NO CHUMBO GORDO.

_____________________________________

1 thought on “Começam as decisões e há um campeão. Coluna Mário Marinho

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Assine a nossa newsletter