Futuro nebuloso para nosso futebol. Coluna Mário Marinho. Especial Copa do Mundo

COPA DO MUNDO – ESPECIAL

 

 

Futuro nebuloso para nosso futebol

COLUNA MÁRIO MARINHO

 

Feliz e orgulhoso com o sucesso da Copa do Mundo, Gianni Infantino, o presidente da Fifa deu declarações que fazem com que nos, brasileiros coloquemos nossa barbas de molho.

– Para que um time possa ir bem em campo numa coa do Mundo, é preciso que a gestão do futebol em seu País funcione.

É tudo o que nós não temos.

Os três últimos presidentes da CBF não passariam num este de ficha limpa.

José Maria Marin, que presidiu também a Federação Paulista de Futebol, além de ter sido vice e governador (biônico 1982-1983) de São Paulo está preso nos Estados Unidos acusado de corrupção; seu antecessor e ex-genro de João Havelange, Ricardo Teixeira, está no Brasil, circula pouco por aqui e encontra-se calado, fechado em silêncio.

Há contra ele pedido de extradição da justiça espanhola que o acusa de fazer parte de uma rede internacional de corrupção no futebol.

O sucessor dele, Marco Polo del Nero, também é acusado de corrupção, foi banido do futebol mundial pela Fifa e não sai do Brasil. Ele sabe que se cruzar a fronteira por míseros centímetros pode ser preso imediatamente.

O sucessor dele, o obscuro coronel Antônio Nunes, PM do Pará, colocado no posto pelo então presidente Marco Polo del Nero, com mandato até abril de 1919, embora a entidade já tenha um presidente eleito, Rogério Caboclo, que só assumirá no ano que vem.

E, para não sair da linha que marca outros presidentes, o coronel Nunes é investigado pelo Ministério Público do Pará. Como presidente da Federação Paranaense, ele recebeu, nos anos de 2011, 2012 e 2013, verba pública de R$ 3,5 milhões. O MP quer saber como foi gasta essa bela grana.

Até o ano que vem, pelo menos até o mês de abril, nada muda.

Será que com Rogério Caboclo haverá mudanças?

Porque, se isso não acontecer, nosso futebol tem futuro seriamente ameaçado.

O mundo
ri de Neymar

O brasileiro perde o amigo mas não perde a piada.

É normal fazermos piadas com nossas próprias desgraças.

Assim quando Neymar começou exagerar nas dores das muitas faltas que recebia a cada jogo, logo começaram as piadas.

Mas elas não ficaram só no Brasil: ganharam o mundo.

Até o presidente da Fifa, Gianni Infantino, riu de Neymar na entrevista coletiva em que fez balanço da bela Copa da Rússia, deu gostosas e sinceras gargalhadas quando falou de Neymar. Mas, mostrou a esperança de que no futuro ele mostrará novas habilidades.

Será que ele se referiu a novas cambalhotas, piruetas, esgares, estrebuchos, esperneios?…

É, Neymar, Você terá que se reinventar.

E o pior é que humildade nunca foi o forte dele.

Vejam o vídeo abaixo:

O chá
amargo da rainha

Elizabeth, a Eterna, teve mais um dissabor nesta Copa do Mundo.

Seus súditos foram massacrados pelos Red Devils, os Demônios Vermelhos da Bélgica.

O placar ficou em 2 a 0, que levou a Rainha a suspirar de alívio.

– James, sherry, please.

Disse ela ao atento mordomo que, discretamente, trocou a chávena de chá por delicado cálice com a tradicional bebida da pacata espanhola Jerez.

Para nós, brasileiros, ficou de bom tamanho: afinal perdemos para um time que realmente joga bem e é uma nova força do futebol mundial.

Veja os lances que amargaram o chá da rainha:

https://youtu.be/KvwuvBOXQbQ

FOTO SOFIA MARINHO
MARIO MARINHO, Copa do Mundo Especial CHUMBOGORDO
Mario Marinho – É jornalista. Especializado em jornalismo esportivo, foi durante muitos anos Editor de Esportes do Jornal da Tarde. Entre outros locais, Marinho trabalhou também no Estadão, em revistas da Editora Abril, nas rádios e TVs Gazeta e Record, na TV Bandeirantes, na TV Cultura, além de participação em inúmeros livros e revistas do setor esportivo.
(DUAS VEZES POR SEMANA E SEMPRE QUE TIVER MAIS
 NOVIDADE OU COISA BOA DE COMENTAR)

2 thoughts on “Futuro nebuloso para nosso futebol. Coluna Mário Marinho. Especial Copa do Mundo

  1. Olá, rapaz. Aqui quem fala é um leitor fiel de suas bem traçadas linhas. Acho que houve um “lápis” de sua memória ou referência pois o presidente atual da CBF, o gagá, não é do Paraná, é do Pará. O equívoco é mais ou menos como confundir Haiti com Tahiti, digamos assim, com o devido respeito. Olha o que diz o maior sábio dos nossos tempos chamado Google : “Aos 81 anos, ele (o gagá, esclarecimento meu) também chefia a Federação de Futebol do Pará.”. Abr. Nélson/publicitário SP

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.

Assine a nossa newsletter