baile

Baile em Itaquera. Blog do Mário Marinho

baile

Quando terminou o primeiro tempo, Flamengo 3 x Corinthians 0, eu me lembrei dos meus tempos de criança.

Lá no Parque Riachuelo, bairro da Zona Noroeste da então pacata Belo Horizonte dos anos 1950, costumávamos jogar bola num terreno a que demos o nome de campinho.

Turma reunida, dois garotos tiravam o par ou ímpar. Aquele que ganhava começava a escolher democraticamente seus jogadores.

Ao final, dois times montados, selava-se o acordo: “Três vira, seis acaba”.

Foi o que pensei que iria acontecer com o Corinthians ontem: virou em três e acabaria em seis.

Errei minha previsão, mas, a culpa é do Flamengo que tirou o pé do acelerador no segundo tempo.

Mas, se o Mengão mantivesse o ritmo, também erraria: seria mais de seis.

Olha, há tempos não vejo uma diferença de qualidade, de técnica entre dois times grandes como a que vi ontem em Itaquera.

Logo aos 8 minutos Everton Ribeiro fez 1 a 0; Gustavo Henrique marcou aos 39 e Bruno Henrique, que teve um gol corretamente anulado, fez o terceiro aos 43. Coube a Vitinho, num belo chute de fora da área, fazer o chamado gol de honra do Corinthians.

O domínio do Flamengo foi tamanho que o Corinthians, no primeiro tempo, só chutou sua primeira bola a gol aos 42 minutos.

O Corinthians parecia um jovem e assustado time infantil, enfrentando um poderoso time profissional.

Dava a impressão também que o Mengão tinha uns 13 ou 14 jogadores contra os 11 meninos corintianos.

Foi um baile.

No segundo tempo, o Corinthians chutou duas bolas ao gol adversário: numa fez seu gol e outra bateu na trave.

Mas, como ensina o Skank, bola na trave não altera o placar.

Desde que assumiu o comando do Flamengo substituindo a Rogério Ceni, o técnico Renato Gaúcho só conhece a vitória e não são vitórias simples. Confira no quadro abaixo.

PartidaCompetição
Defensa y Justicia 0 x 1 FlamengoCopa Libertadores
Bahia 0 x 5 FlamengoBrasileirão 2021
Flamengo 4 x 1 Defensa y JusticiaCopa Libertadores
Flamengo 5 x 1 São PauloBrasileirão
Flamengo 6 x 0 ABCCopa do Brasil
Corinthians 1 x 3 FlamengoBrasileirão

Acho que esta é a melhor resposta à recorrente pergunta no futebol: jogador derruba técnico?

Ontem, um jogador do Flamengo, ao dar entrevista após o jogo, explicou a boa atuação do Rubronegro:

– Temos um técnico mais comunicativo, que passa mais confiança.

Ou seja: os jogadores não gostavam do Rogério Ceni.

E quando um técnico não domina o vestiário, está fadado a uma curta carreira.

Nos demais jogos da rodada, tudo normal.

Palmeiras e São Paulo ficaram num 0 a 0 no gelado Morumbi na noite de sábado. O Red Bull Bragantino venceu o Grêmio, 1 a 0, mantendo os gaúchos na Zona de Rebaixamento.

O Atlético Mineiro venceu seu xará do Paraná 2 a 0, chegando aos 31 pontos e colando no líder Palmeiras que tem 32. O Santos sofreu, mas, passou pela Chapecoense: 1 a 0.

O meu América empatou com Atlético GO, 1 a 1 e manteve-se firme na 18ª posição.

Veja os gols do Fantástico.

https://youtu.be/wCV7e8TacL0

___________________________________________________________________

Mário Marinho – É jornalista. É mineiro. Especializado em jornalismo esportivo, foi FOTO SOFIA MARINHOdurante muitos anos Editor de Esportes do Jornal da Tarde. Entre outros locais, Marinho trabalhou também no Estadão, em revistas da Editora Abril, nas rádios e TVs Gazeta e Record, na TV Bandeirantes, na TV Cultura, além de participação em inúmeros livros e revistas do setor esportivo.

(DUAS VEZES POR SEMANA E SEMPRE QUE TIVER MAIS
 NOVIDADE OU COISA BOA DE COMENTAR)
____________________________________________________________________

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Assine a nossa newsletter