show na pampulha

Show na Pampulha. Blog do Mário Marinho

show na pampulha

Para muitos, ainda não era hora da abertura, já que a pandemia continua fortemente presente em nossas vidas. Principalmente com a nova variante, a tal de Delta que tem força avassaladora de contaminação.

Mas, para milhares de atleticanos, naturalmente enlouquecidos quando seu time joga, e agora ainda mais loucos pela possibilidade de voltar ao Mineirão depois de um ano e meio.

A última partida do Galo no Mineirão, com público, foi no dia 20 de março de 2020.

Como se não bastasse toda essa motivação, o jogo era pela Libertadores, contra um adversário forte, o argentino River Plate.

Assim, embora o jogo só começasse às 19h30 hs, por volta das 17hs já havia milhares de torcedores no entorno do Mineirão.

Quando os portões foram abertos, os torcedores se dirigiram, em ordem, às entradas, onde, além do ingresso, apresentavam também o teste para Covid realizado até 72 horas antes.

O Mineirão foi liberado para 30% de sua capacidade. Assim, apenas 17.030 torcedores puderam entrar. Houve aglomeração, como era de se esperar, e muitos não usavam máscara.

Dentro de campo, o time do Galo não decepcionou: 3 a 0 sem a menor chance para os argentinos e a classificação para as semifinais da Libertadores.

Veja os gols, com destaque para dois belíssimos gols. E um normal: apenas bonito:

 Mengão,

Outra goleada.

Na verdade, o Flamengo nem precisou muito esforço para aplicar outra goleada no frágil Olímpia, do Paraguai, jogo realizado no Mané Garrincha, em Brasília, com a presença de 11 mil torcedores.

No primeiro jogo, em Assunção, o Mengão venceu por 4 a 1, mas deixou a nítida impressão que foi de pouco.

E quem pensou que, com a classificação já praticamente garantida, o Flamengo iria tirar o pé do acelerador, enganou-se, pois o placar foi até mais elástico: 5 a 1 para os comandados de Renato Gaúcho.

Veja como foi a goleada:

Palmeiras

Aplica chocolate

Comentando o jogo Palmeiras e São Paulo para a narração do meu amigo Jarbas Duarte, eu disse poucos minutos antes do começo do jogo: o Palmeiras vai cometer o maior engano de sua vida se achar que o empate por 0 a 0, que lhe é favorável, trata-se de uma grande vantagem.

Ou seja: o Palmeiras iria errar, e muito, se jogasse para segura o placar por 0 a 0.

Aos cinco minutos de jogo, em minha primeira intervenção, eu disse que estava vendo em campo um Palmeiras diferente, partindo para cima do adversário, não se importando se tinha vantagem ou não.

E, aos 11 minutos, o Palmeiras fez 1 a 0, anunciando o chocolate que seria aplicado no São Paulo.

O Verdão não deu tempo nem espaço para o Tricolor. Dominou o jogo o tempo todo.

Mesmo dominando e com o adversário já batido, o Verdão não deu folga e continuou à procura de mais um gol.

Um futebol que há muito não se vê.

Ao final, o placar de 3 a 0 ficou de bom tamanho para os derrotados tricolores do Morumbi.

Com um detalhe: foi um jogo limpo, sem violência, sem truculência, sem erros de arbitragem.

Vitória limpa e incontestável. Veja os melhores momentos:

Assim, três brasileiros estão nesta semifinal da Libertadores: Palmeiras, Atlético e Flamengo.

O Palmeiras tem o adversário mais difícil: o Atlético.

O Flamengo terá pela frente o Fluminense ou o Barcelona de Guayaquil.

___________________________________________________________________

Mário Marinho – É jornalista. É mineiro. Especializado em jornalismo esportivo, foi FOTO SOFIA MARINHOdurante muitos anos Editor de Esportes do Jornal da Tarde. Entre outros locais, Marinho trabalhou também no Estadão, em revistas da Editora Abril, nas rádios e TVs Gazeta e Record, na TV Bandeirantes, na TV Cultura, além de participação em inúmeros livros e revistas do setor esportivo.

(DUAS VEZES POR SEMANA E SEMPRE QUE TIVER MAIS
 NOVIDADE OU COISA BOA DE COMENTAR)
____________________________________________________________________

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.

Assine a nossa newsletter