ALTO-COMANDO

Alto-Comando do Exército, alô!!! Urnas estão bem, obrigado

¿Por qué no se callan?

militares - defesaCircula na capital federal a informação de que o Alto-Comando do Exército não anda satisfeito com as investidas do ignaro ignóbil contra a segurança das urnas eletrônicas, no que conta com a ajuda de generais de “baixo” coturno beneficiados com a sinecura que lhes permite receber proventos acima do teto constitucional. Ótimo, mas o que os componentes das três Forças têm de entender é que eleições não são assunto deles. Como bem disse o atual presidente do TSE, o ministro do STF  Edson Fachin, “A Justiça Eleitoral está aberta a ouvir, mas jamais está aberta a se dobrar a quem quer que seja tomar as rédeas do processo eleitoral. Além disso, a contribuição que se pode fazer é de acompanhamento do processo eleitoral. Quem trata de eleição são forças desarmadas.”.

O coiso, covardão como sempre, cãim,cãim, cãim, mais uma vez, enfia o rabo entre as pernas e orneja “Eu não sei de onde ele está tirando esse fantasma que as Forças Armadas querem interferir na Justiça Eleitoral”. O inacreditável é que, apesar de todas as invectivas indesmentíveis, a boiada continua a acreditar nos desmentidos dele.

Nível cada vez mais baixo

Cada vez em que um ministro é trocado o ignaro ignóbil consegue escolher um de nível mais baixo como substituto por mais impossível que possa parecer.

Eis o grau de mediocridade do novo ministro das Minas e Energia, Adolfo Sachsida:  a licença-maternidade de seis meses é um crime contra as mulheres e a mulher é mais eficiente fora do mercado de trabalho, isto é, deve continuar a ser “do lar”. Mas, superou-se, as bobagens anteriores são preconceituosas, lamentáveis, mas chegou às raias da ignorância – para não dizer burrice – quando declarou que o Partido Nazista, do ultra, super, megaextrema direitista Adolf Hiltler era de esquerda.

Feito sob medida para fazer parte da tragicomédia que é o atual desgoverno.

Boicote à Cúpula das Américas

 Por motivos diferentes, países ameaçam não comparecer ao evento, em junho próximo, nos Estados Unidos. O motivo de Bolívia e México é nobre, não admitem comparecer se os rumores de que Cuba, Venezuela e Nicarágua não serão convidados se confirmarem. Já o provável não comparecimento do Brasil é devido à covardia do indignitário que envergonha o país, medo da recepção que teria.

Um canalha daqui imita os canalhas de lá

Um coisiforme, imitando os supremacistas brancos seguidores de Trump, o Coisão, idolo do coiso, tentou atropelar, na terça-feira (10), duas jornalistas da GloboNews em São Paulo. A repórter Paula Araújo e a repórter cinematográfica Patrícia Santos  faziam uma reportagem no Jardim Miriam quando o criminoso parou seu carro, ofendeu a repórter que estava em uma calçada, deu marcha a ré e tentou atropelar a dupla.

 Como seu ídolo, covarde que é, fugiu do local depois que uma testemunha do ato criminoso disse que chamaria a polícia. Infelizmente, a placa do carro não foi anotada e Patrícia, defendendo-se da agressão, não pôde gravar imagens.

Quem é o autor das declarações?

“Eu posso dizer uma coisa: não haverá teto de gastos para o nosso governo”

“Nós não vamos manter o preço dolarizado. Eu acho que os acionistas de Nova York, os acionistas do Brasil, têm direito de receber dividendos quando a Petrobras der lucro, mas é importante que a gente saiba que a Petrobras tem que cuidar do povo brasileiro”.

Quem pensou no ignaro ignóbil enganou-se redondamente, foi Lula, cuja sucessora, Dilma Rousseff, destroçou a economia do país, trabalho que vem sendo completado pelo atual desmandatário.

É claro que não é possível comparar as pessoas, mas os candidatos são muito parecidos em algumas ideias, indicativo de que o caos continuará o mesmo na economia vença quem vencer.

Como pensar que vai ter solução?

Depois de mais uma desastrada, anteontem (11), das autoridades na Praça Princesa Isabel, local onde havia se instalado a nova Cracolândia depois de expulsa da velha, o pessoal espalhou-se pelos arredores e acabou voltando para a Rua Helvétia, de onde havia sido retirado. A rua fica nas proximidades da em que fica a 77º Distrito Policial, responsável pelas investigações relativas ao tráfico de drogas na região.

Pois bem – melhor dizendo, pois mal –, logo após o fluxo ter retornado ao lugar original, nos fundos do terreno em que fica a delegacia foi instalada uma barraca para a venda de crack, a droga corria solta, a céu aberto.

Além de a polícia não perceber – ou fingir que não – o que acontece debaixo de seu nariz, quando faz alguma coisa,  equivale a enxugar a neve na Sibéria com um lencinho.

O problema não está só no rádio

 Segue trecho de entrevista publicada no Jornalistas&Cia:

 Rádio esportivo: jornalismo ou entretenimento?

Por outro lado, o pesquisador levanta um grave problema: a falta de preparo técnico jornalístico para esses novos narradores. “O preparo é cada vez mais precário, o que eleva a margem de problemas gravíssimos, como equívocos na apuração jornaliística, na qualidade das transmissões dos narradores que enxergam mal aquilo que está acontecendo e a linguagem com um português cada vez mais empobrecido”, comenta.

Para ele, isso ocorre, em parte, porque as emissoras estão investindo em tecnologia e equipamentos, mas não em formação de pessoal, levando à precarização das relações de trabalho, pagando pouco e até  nem contratando os profissionais como funcionários, mas sim, como empresas (PJ).

Como é fácil perceber por meio da análise de conteúdo publicada diariamente no “Mirando”, infelizmente, a indigência é generalizada, português que deixa a desejar nos textos dos impressos e portais, falta de empenho na apuração dos fatos e, quando bem apurados, não existe  a velha, boa e necessária relação entre causa e efeito.

Os maiores inimigos da Imprensa não são as redes sociais e os apps, quem trabalha contra ela é ela. Exemplo prático é o “Estadãozinho”, que tenta camuflar com seu novo formato a diminuição da quantidade de informação que traz.

Enquanto por aqui a situação está complicada, “The New York Times” atingiu a marca de 10 milhões de assinantes das versões digital e impressa, somados aos assinantes do site Athletic, recém-adquirido. O número é maior do que a soma de tudo o que é assinado no Brasil em termos de informação.

 Trabalham na redação do NYT 1,7 mil jornalistas…

 (CACALO KFOURI)

                                                                  ***************

Copiada da Folha

Prefeitura de SP planeja criar camping para moradores de rua, diz secretária Soninha Francine

Há menos de uma semana como secretária de Direitos Humanos e Cidadania, a ex-vereadora Soninha Francine trabalha para tirar do papel um projeto antigo de criar um camping para abrigar moradores de rua em São Paulo.

O modelo prevê destinar um terreno onde os moradores de rua possam montar suas barracas e ter acesso a uma estrutura de banheiros, chuveiros e onde lavar as roupas.

A solução que não resolve. Construção de casas populares, criação de cursos profissionalizantes e de empregos, nem pensar, né?

Como reza a letra da música “Vozes da seca”, de Luiz Gonzaga e Zé Dantas, “Uma esmola, para o homem que é são, ou lhe mata de vergonha ou vicia o cidadão.”.

Ações paliativas de caridade só servem para criar cracolândias, a pessoa se vê sem saída e recorre às drogas ou é cooptada pelo crime.

                                                                   ***************

Copiada do UOL

 Foguete do Exército cai em plantação em GO; ‘saí correndo’, diz trabalhador

 Um foguete do Exército Brasileiro caiu em uma área de plantação com trabalhadores na cidade de Formosa (GO) após desviar da rota programada durante um teste na manhã de hoje.

 Em nota enviada à imprensa, o Exército explicou que o armamento foi lançado durante um exercício militar do curso de Operação do Sistema de Mísseis e Foguetes para oficiais e sargentos. O foguete foi arremessado a pouco mais de 10 km do ponto da queda e, de acordo com a nota, deveria ficar dentro dos limites do Campo de Instrução de Formosa (CIF).

Não são capazes nem de cuidar do ofício deles e querem se meter nas eleições… As urnas, se lidadas por eles, iriam pegar fogo, todas.

Voltem pros quartéis, padilhas, e só façam exercícios de ordem unida para não pôr os outros em perigo!

                                                                  ***************

Copiadas do Blog do Ancelmo

 legenda
jefe: Ancelmo Gois
miss Caixa/mistake: Ana Cláudia Guimarães (editora)
errador/mister Crase: Nelson Lima Neto

Estado do Rio: 82% dos empresários do setor de serviços estão otimistas para os próximos meses

(…), 82% dos entrevistados esperam que a situação melhore ou melhore muito, índice superior à(XXX) pesquisa anterior que registrou 79,5%.

(XXX) Errador, o índice não é superior à pesquisa, é superior AO da pesquisa anterior, capisce?

A pesquisa mostra ainda que(!) para 31,4% dos entrevistados, o panorama de seus negócios melhorou ou melhorou muito nos últimos três meses.

(!) Errador, vírgula aqui ou tire a na frente de entrevistados.

TJ do Rio lança aplicativo para advogados terem acesso a processos eletrônicos pelo celular

(…), permitirá que advogados consultem processos, saibam do andamento dos mesmos(!!!), podendo, inclusive, “favoritá-los”, criando uma lista específica.

(!!!) Mistake, regra básica do vernáculo: mesmo não pode ser usado como pronome, é adjetivo, substantivo masculino e conjunção. Ah, é advérbio também, tudo o que foi citado, nunca pronome, capisce?

Entonces, saibam do andamento deles, saibam de seus andamentos.

Rio agora tem a ‘Praça do Cooperativismo’, no Centro

 O Largo(?) localizado nas esquinas da Rua da Assembleia e da Avenida Presidente Antônio Carlos agora se chama “Praça do Cooperativismo”,

(?) Errador, por que a caixa-alta se não está seguido do nome, por causa da largura?

Ah, aproveite e conte o motivo pelo qual escreve estado do Rio de Janeiro e Prefeitura do Rio…

Duas Linhas e Meia (12-05-2022)

. Amanhã, na sala de leitura da Cidade das Artes, o artista-pesquisador Alexandre Sá dara(X) uma palestra sobre a antropofagia e sua relação com a psicanálise. É mais uma comemoração em torno de Oswald de Andrade e a semana(?) de 22.

(X) Dará, jefe.

(?) Por que em baixa se é o nome do evento, jefe?

 Poucos erros? Foram poucas as publicações…

                                                                 ***************

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.

Assine a nossa newsletter