A sabedoria de Ferreira Gullar. Por Paulo Renato Coelho Netto

A sabedoria de Ferreira Gullar

Paulo Renato Coelho Netto

“A única explicação que vejo para político corrupto é que essa gente é doente. Eles são doentes”, disse. Que a sabedoria dos poetas paute diariamente nosso trabalho de jornalista…

Quanto tinha 10 anos meu pai leu “Navio Negreiro”, de Castro Alves, para mim: (…) “Senhor Deus dos desgraçados! | Dizei-me vós, Senhor Deus, | Se eu deliro… ou se é verdade | Tanto horror perante os céus?!”.

Percebo que minha infância acabou parcialmente naquele momento. Afinal, como diz Chico Buarque em “A Mulher de Cada Porto”: “Minha vida querida não é nenhum mar de rosas | Chora não | Segue em paz”.

A alvorada começou na casa do governador Reinaldo Azambuja (PSDB), se estendeu à governadoria, Assembleia Legislativa, a um ex-deputado e atual conselheiro do Tribunal de Contas, pecuaristas e Cia Ltda.

Há quem acredite que poetas são alienados. Bobagem. Poetas são cronistas da alma, jornalistas da essência humana. Hoje cedo, em Campo Grande (MS), a Polícia Federal colocou nas ruas 220 policiais com mandados de busca e apreensão.

A alvorada começou na casa do governador Reinaldo Azambuja (PSDB), se estendeu à governadoria, Assembleia Legislativa, a um ex-deputado e atual conselheiro do Tribunal de Contas, pecuaristas e Cia Ltda. São acusados de receber mais de R$ 200 milhões em propinas da JBS.

Até lembra um pouco a poesia do Drummond “Quadrilha” (Ops!): “João amava Teresa que amava Raimundo…

Acusação – vale registrar – feita também a dois ex-governadores que antecederam Azambuja, André Puccinelli (MDB) e Zeca do PT. Todos negam e dizem que vão provar inocência.

Puccinelli está preso, há quase dois meses, por outras denúncias de corrupção. Azambuja é candidato à reeleição e Zeca do PT tenta uma vaga no Senado.

Até lembra um pouco a poesia do Drummond “Quadrilha” (Ops!): “João amava Teresa que amava Raimundo | que amava Maria que amava Joaquim que amava Lili |que não amava ninguém”.

Mas de onde vem o Ferreira Gullar nisso tudo?

Simples. Gullar, ao meu ver, fez a melhor definição que ouvi sobre políticos corruptos. Foi em uma entrevista para GloboNews. “A única explicação que vejo para político corrupto é que essa gente é doente. Eles são doentes”, disse. Que a sabedoria dos poetas paute diariamente nosso trabalho de jornalista.

______________________________________________

renato

Paulo Renato Coelho Netto Autor de nove livros, é jornalista pós-graduado em marketing. Atualmente escreve reportagens investigativas para sites e revistas de circulação nacional.

 

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.

Assine a nossa newsletter