vERDÃO

Os verdes meninos do Verdão. Blog do Mario Marinho

OS VERDES MENINOS DO VERDÃO

BLOG DO MÁRIO MARINHO

vERDÃO

O Palmeiras não quis nem saber: pegou o Delfin na noite desta quarta-feira, no Allianz Parque e meteu 5 a 0, sem dó nem piedade.

Ah!, mas contra esse timinho, até eu! Há de protestar o leitor que não morre de amores pelo Verdão.

Calma lá, não é bem assim.

O Delfin é jovem um time de futebol da cidade de Manta, no Equador. É uma bela cidade portuária, de cerca de 220 mil habitantes.

Jovem, o Delfin foi fundado em 1989 e participou pela primeira vez na Libertadores em 2018, graças ao título de campeão do primeiro turno do Campeonato Equatoriano em 2017.

No jogo de ida, o Palmeiras já saiu de lá com uma boa vitória: 3 a 1.

Mas a elástica vitória do Palmeiras, 5 a 0, deve ser comemorada.

Primeiro pela vitória em si.

Segundo, pela atuação de três garotos, crias do Verdão: Patrick de Paula, Gabriel Veron e Danilo.

Gabriel Veron tem 18 anos (3 de setembro de 2002), 1,76 metro de altura.

Patrick de Paula, 21 anos (8 de setembro de 1999), 1,80 metro de altura.

Danilo, tem 19 anos (29 de abril de 2001), 1,85 metro de altura

Na goleada de ontem, Veron fez dois gols, Patrick um golaço com um chute de fora da área, William marcou o seu e a goleada foi encerrada pelo meia Danilo.

Em terceiro lugar, a goleada deve ser comemorada porque mostra o acerto do Palmeiras em investir em sua categoria de base.

Finalmente, toda goleada é sempre bem-vinda ao futebol, principalmente nessa época de pandemia, em que estamos todos carentes de boas e sadias exibições de nossos times de futebol.

Tudo somado, tivemos em campo um Palmeiras que não se acomodou com a vitória após marcar o 1º gol e que, fartamente, garantia sua passagem às quartas de final da Libertadores.

Não se acomodou com o 1º, nem com o 2º, nem com o 3º… enfim, o Palmeiras foi fazendo aquela exibição que o torcedor gosta, ama e espera de seu time.

Ainda é cedo para cantar loas ou jogar confetes no técnico português Abel Ferreira que assumiu o Palmeiras há apenas um mês.

Mas, fica no ar a pergunta. Se esses jogadores já estavam lá, por que não foram descobertos e escalados pelo Vanderlei Luxemburgo, consagrado e campeoníssimo técnico brasileiro?

Mistérios do futebol.

O certo é que o Palmeiras tem três jóias nas mãos.

E, como é um time resolvido financeiramente, talvez possa resistir ao assédio dos euros europeus que não tardarão a chegar.

O futebol brasileiro agradecerá.

 Enquanto isso,

Em Fortaleza…

Fazendo um contraponto com o Verdão que passeou em campo, marcou cinco gols e poderia ter feito mais, o Corinthians apresentou na Capital do Ceará, contra o Fortaleza, a mesma palidez futebolística que vem apresentando até mesmo em tempos imemoriais, antes da pandemia.

Um time sem criatividade, que pareceu sem vontade, sonolento e chato.

O Fortaleza até que ainda apresentou alguma correria, mas, também, a mesma falta de técnica.

Comentando o jogo para o meu amigo Jarbas Duarte, pelas ondas da internet, observei o seguinte:

Nos últimos tempos, o Corinthians vinha se apresentando bem graças à competência do Cássio, o bom futebol do Fagner na lateral direita, a seriedade do Gil na zaga e à presença do Jô que sempre incomoda o adversário e acaba criando situações de gols.

Mas nos últimos jogos já não vê se mais a vitalidade do Fagner que defendia bem e atacava com muito perigo.

Ele se transformou num lateral direito de razoáveis qualidades. Não sei se anda fisicamente cansado ou cansando no sentido de saco cheio do futebol. Não parece mais gostar do que faz.

O Gil continua sendo um zagueiro sério, mas, está sempre mal acompanhado. Tem que marcar os adversários e também os companheiros de zaga que, vez sim e outra também, estão sempre falhando.

O Jô transita entre os marcadores e companheiros de ataque com muita desenvoltura, parecendo mais um corretor distribuindo cartões de visita numa festa bem frequentada, do que um centroavante à procura daquilo que é a sua missão: fazer gols.

Quanto ao Cássio, continua sendo um grande goleiro. Mas está sempre muito exposto. Ontem mesmo, apesar da fraqueza do adversário, fez pelo menos três defesa muito difíceis. Numa dessas, a bola passa.

O time do Corinthians não tem liga.

E o pior: do lado de fora, o técnico Vagner Mancini passa a impressão de que não sabe direito o que está fazendo ali.

Duros tempos virão pela frente, corintianos.

Veja os gols da quarta-feira:

______________________________________________________________________________

Mário Marinho – É jornalista. É mineiro. Especializado em jornalismo esportivo, foi FOTO SOFIA MARINHOdurante muitos anos Editor de Esportes do Jornal da Tarde. Entre outros locais, Marinho trabalhou também no Estadão, em revistas da Editora Abril, nas rádios e TVs Gazeta e Record, na TV Bandeirantes, na TV Cultura, além de participação em inúmeros livros e revistas do setor esportivo.

(DUAS VEZES POR SEMANA E SEMPRE QUE TIVER MAIS
 NOVIDADE OU COISA BOA DE COMENTAR)

_______________________________________________

3 thoughts on “Os verdes meninos do Verdão. Blog do Mario Marinho

  1. Parabéns Mário Marinho, feliz como sempre nos seus comentários.
    Feliz no título: “OS VERDES MENINOS DO VERDÃO”.
    Qdo , há um mês atrás ouvi falar em Abel Ferreira, matutei comigo, esse nome não me é extranho…
    Abel Ferreira,um dos maiores clarinetistas do Brasil. Morreu em 1980 aos 65 anos de idade.Entre seus belos choros,Apanhei- Cavaquinho!!!

  2. E os “meninos” do tricolor? Ninguém fala neles. Igor Gomes, Luan, etc…Sem contar o já quase veterano Brenner, e o renovado Luciano, um craque nível seleção…

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Assine a nossa newsletter