STOP

Stop Bolsonaro! Por Edmilson Siqueira

STOP BOLSONARO

EDMILSON SIQUEIRA

PAREM

Há nas redes uma campanha mundial contra Bolsonaro. Ela se chama Stop Bolsonaro Mundial. Apoiá-la agora – como apoiar todas as iniciativas nesse sentido – é dever cívico e moral de todos nós que estamos sofrendo sob uma tirania burra, sob um desgoverno assassino

 

O Brasil dá muito azar. Depois de um período em que algumas medidas começaram a dar certo na área econômica, o governo da ocasião se acovardou, não prosseguiu no que o plano pedia e o país precisava, e comemorou a chegada de outro governo que iria tentar massacrar o anterior e desfazer o que havia de bom. Não conseguiu desfazer tudo – os pilares da economia foram mais ou menos salvos da sanha petista – mas a corrupção foi tanta que desmanchou qualquer possibilidade de desenvolvimento sustentável e voltamos praticamente à estaca zero. Ao final melancólico da era petista, os anos de FHC, de Lula, de Dilma e até os dois de Temer foram pro esgoto. Sobraram alguns ensinamentos de como conter a inflação, manter a moeda quase forte e segurar a verdadeira obsessão dos políticos por contrair dívidas acima da capacidade de pagamento dos cofres públicos.

Esse cenário, que causou desespero em boa parte da população tamanha foi a irresponsabilidade e a roubalheira dos governos petistas, provocou a reação que a história já nos ensinou que acontece sempre: elegemos um louco disfarçado de santo raivoso que prometia acabar com a bandidagem de colarinho branco, com as negociatas no Congresso, com a compra e venda de cargos, ministérios e estatais e deixar para a iniciativa privada o que deve ser dela por lógica e competência.

Mas logo o louco eleito tirou a máscara de herói do povo, se despindo completamente diante dos cantos de sereias que o poder lhe ofereceu. A máscara vestida durante dois anos antes da eleição começou a cair quando se descobriu que a família toda era uma franquia especializada em assaltos a salários públicos de seus funcionários. Membro do baixo clero da Câmara, onde se abrigam muito mais folhas corridas do que currículos, o presidente eleito em 2018, se mostrou muito pior do que o pior dos deputados. Em menos de dois anos destruiu todas as esperanças que seus raivosos discursos incutiram na cabeça de boa parte da população. E nem aqueles que nele votaram apenas e tão somente para afastar um perigo maior chamado PT, hoje podem lhe perdoar por ter cumprido apenas e tão somente esse objetivo.

Não sei como seria um governo petista a partir de 2018 enfrentando a pandemia, nem quero saber, já passei por ele por 14 anos e continuo não o querendo de volta, mas um governo que promove assassinatos em massa ultrapassa qualquer ideia de barbárie e ignorância que podemos suportar.

Por isso tudo, pelas mortes todas que poderiam ter sido evitadas, pelo negacionismo da ciência que leva o obscurantismo a parte da população, pela campanha contra as medidas necessárias para diminuir a circulação e a contaminação do novo coronavírus, pela irresponsabilidade geral na condução do mais alto cargo da nação, a campanha, que ora ganha corpo nas redes sociais, de afastamento de Jair Bolsonaro, tem de ser abraçada por todos os cidadãos honestos e que tenham um mínimo de inteligência.

O Brasil não pode continuar à mercê de um governo insano e assassino. O povo brasileiro tem que tomar a frente, pelas redes sociais e pelos órgãos de imprensa, já que aglomerações não podem ser feitas nessa pandêmica época, para mostrar aos políticos que não aguentamos mais tanta incúria, tanta falta de vergonha na cara, tanta desfaçatez e tamanho desprezo pela vida dos brasileiros. Já ultrapassamos os limites da simples indignação, do protesto silencioso, da esperança que o pesadelo acabe em janeiro de 2023.

Vivemos um período de urgências e elas não são só dentro dos hospitais, onde mais de mil brasileiros morrem por dia por falta de incentivo às prevenções, por falta de obrigatoriedade de isolamentos, por falta de compra de vacinas, seringas e agulhas. A urgência que se apresenta é a de mudança antes de mais mortes. A urgência é a de mudança antes de mais florestas destruídas. A urgência é a de mudança antes de mais isolamento perante o mundo civilizado. É a de mudança antes que o Brasil se transforme num pária mundial e num imenso cemitério onde a tirania encontrará terreno fértil para sua eternização. É a urgência de pôr fim a um circo de horrores que se instalou no Palácio do Planalto, de onde um ex-capitão frustrado e completamente louco comanda a carnificina do povo com um sorriso de satisfação na cara.

A monstruosidade desse governo, personificada em Jair Bolsonaro, jamais encontrou qualquer semelhança em governos brasileiros anteriores e, acho, jamais terá quem com ele concorra nesse tétrico campo. Nem nas ditaduras pelas quais passamos, a ignorância e desinteligência tiveram lugares tão nobres nas cabeças e mentes dos governantes.

Há nas redes uma campanha mundial contra Bolsonaro. Ela se chama Stop Bolsonaro Mundial. Apoiá-la agora – como apoiar todas as iniciativas nesse sentido – é dever cívico e moral de todos nós que estamos sofrendo sob uma tirania burra, sob um desgoverno assassino.

O endereço é https://youtube.com/c/stopbolsonaromundial .

Participe e compartilhe, antes que seja tarde.

___________________________________


Edmilson Siqueira é jornalista

________________________________________________

 

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Assine a nossa newsletter