A eterna juventude do voto. Por Fernando Gabeira

…A linguagem de Hunter era mais próxima da juventude, pela sinceridade. Fazia um jornalismo que dissolvia as fronteiras do subjetivo e do objetivo, da literatura e da reportagem. Os amigos diziam que não levava segredo da campanha para contar em casa. Publicava-os antes.
JUVENTUDEPUBLICADO ORIGINALMENTE EM O GLOBO E NO SITE DO AUTOR,
www.gabeira.com.br, EDIÇÃO DE 9 DE MAIO DE 2022

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.

Assine a nossa newsletter