bestas-feras

As bestas-feras da esquerda. Por Edmilson Siqueira

… Quem os impediu foram manifestantes de esquerda que os cercaram gritando palavras de ordem e xingamentos, além de tocarem instrumentos de percussão para abafar qualquer tentativa de se ouvir os que os candidatos tinham para falar…

besta-feras

O deputado estadual Fernando Holiday, que vai concorrer à Câmara dos Deputados e  mais dois candidatos do Novo – Leo Siqueira e Lucas Pavanato – que concorrerão à Assembleia Legislativa, foram impedidos fisicamente de participar de uma palestra em um teatro do campus da Universidade de Campinas, a Unicamp.

Quem os impediu foram manifestantes de esquerda que os cercaram gritando palavras de ordem e xingamentos, além de tocarem instrumentos de percussão para abafar qualquer tentativa de se ouvir os que os candidatos tinham para falar. Uma dessas frases publicada pela Folha é a seguinte: “Recua, fascista, recua, a Unicamp nunca vai ser a sua rua”.

Eu reproduzi a frase porque ela encerra muita coisa que a esquerda tem de ruim, de autoritário, revelando a faceta cruel de uma ideologia que não admite contestações.

João Braga, coordenador da União Juventude de Liberdade, promotora do evento disse: “O DCE [Diretório Central dos Estudantes] soltou uma mensagem nos grupos da Unicamp chamando todo mundo para participar do boicote ao nosso evento, e num piscar de olhos eles já estavam em cima do palco. Quando o Fernando Holiday chegou, os ânimos se exaltaram e eles começaram a empurrar, a socar, inclusive eu tomei vários socos nas costas.”

Não é a primeira vez – e, infelizmente, no Brasil, tenho certeza, não será a última – que atitudes truculentas dessa gente impedem pessoas que não pensam como eles de exporem suas ideias. É o que a esquerda faz. É o que ela sabe fazer nas suas insanas tentativa de chegar e se manter no poder.

Há nove anos, a cubana Yoani Sánchez, blogueira e dissidente do “pensamento único” da ilha socialista, esteve no Brasil para o lançamento de um livro onde ela conta muitos dos horrores  da ditadura cubana. O livro é uma paulada na ilusão que a esquerda criou sobre o “paraíso” cubano, onde, conta ela no livro, se você é internado num hospital, tem de levar tudo, de produtos de limpeza a agulhas para sutura, pois além de uma cama velha, de lençóis sujos, de banheiro entupido, nada mais é oferecido ao paciente. No conto onde denuncia esse “hospital”, ela conta também que teve de levar um belo sanduíche para subornar o segurança na portaria a deixá-la entrar com duas mochilas cheias de coisas (sabão em pó, travesseiro e até um ventilador) para atenuar o sofrimento da avó de um amiga que fazia tratamento contra o câncer.

Ela esteve no Brasil em 2013, mas quase foi agredida por covardes fascistas de esquerda que a impediram de falar num dos eventos.

O impedimento de manifestação do que for considerado oposição pela esquerda é histórico. O recurso da violência é usado há muito tempo para acabar com adversários de ideias. No “Livro Negro do Comunismo – Crimes Terror e Repressão”, num pequeno trecho entre as milhares de barbaridades que ali são contadas, lê-se o seguinte: “Na França, onde o clima político era mais calmo, o Partido Comunista Francês (PCF) também criou os seus quadros armados, organizados por Albert Treint, um dos secretários do partido (…) A primeira aparição desses grupos ocorreu em 11 de janeiro de 1924, durante um comício comunista, quando, ao ser contestado por um grupo de anarquistas, Treint chamou o serviço de segurança. Cerca de dez homens armados com revólveres surgiram na tribuna disparando à queima-roupa sobre os manifestantes, fazendo dois mortos e dezenas de feridos.”

Como se vê, trata-se de um método já antigo que continua sendo usado. Claro que não temos gente atirando a esmo e manifestações contrárias, mas eu não duvido que isso possa acontecer se acuarem muito as bestas-feras da esquerda.

São, como todos os fascistas, um perigo para a democracia e, atos como esse, contra os candidatos de Novo é que deveriam ser motivo de processos da nossa Suprema Corte, pois englobam atitudes violentas e totalmente autoritárias, ofendendo a mais elementar noção de liberdade de expressão. Calar a voz de alguém com truculência é crime, mas parece que o STF tem outras preocupações…

___________________________

Edmilson Siqueira é jornalista

________________________________________________

A  partir de segunda-feira, 4 de julho,  Edmilson Siqueira estará no  programa Bastidores do Poder,  que vai ao ar das 10h às 11h30 na  Rádio Band Campinas, emissora do Grupo Bandeirantes

1 thought on “As bestas-feras da esquerda. Por Edmilson Siqueira

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.

Assine a nossa newsletter