Rufem os tambores: mexe mexe para a familícia

Às vésperas da fatídica data de 1º de abril, quando se deu o início da ditadura militar em 1964, o coiso resolveu fazer uma demolição ministerial, mas nada mudará de fato, o fulcro do problema, a familícia, continuará no comando, além de um fator fundamental, ninguém, nobody, ninguno, nessuno, personne, decente aceitaria fazer parte deste governo. Por isso, otimismo é impossível.

Finalmente! Ernesto Araújo pediu demissão, o Itamaraty está momentaneamente desinfetado, mas por quanto tempo? O coiso e a prole  continuam os mesmos, os sintomas – sim, sintomas, trata-se de doença – indicam que o escolhido para a vaga será um olavista, em outras palavras, um ossujista.

As mudanças que ocorrem no governo são enganosas, a zeralhada não muda um centímetro da sua medíocre trajetória. No episódio Araújo a bem informada Andréia Sadi conta em seu blog ter notícia de que senadores de vários partidos conversaram no domingo (28) com a senadora Kátia Abreu a respeito do ataque que sofreu da sinistra figura e viram sinais de  que foi orquestrado  com participação ativa da familícia, regida, principalmente, por 03, o grande diplomata da zeralhada.

O Messias que aflige a Humanidade, além de arrasar o país, acaba com a ortografia, note, leitor, quanto semianalfabetismo na nota que postou no Twitter: “Alteramosa”, “Ministério da Justiça e Segurança Púbica”.

Segurança “Púbica” será um cinto de castidade?

Uma coisa tem de ficar patente – sem trocadilho –,  nenhum, nenhum dos militares, pode alegar decepção, todos estavam na Forças Armadas quando o coiso as desserviu, conhecem a história de sua medíocre e terrorista passagem pelo Exército, desonraram o juramento que fizeram de bem servir o país, saem com a farda maculada.

 Todos, militares e civis, que fizeram, fazem e farão parte deste governo são cúmplices – e não há outra palavra para defini-los – de um sabidamente criminoso, não existe desculpa para não saber a quem se aliaram, aliam e aliarão.

No domingo, no Farol da Barra, em Salvador, um enlouquecido soldado, em surto psicótico de acordo com a própria Polícia Militar baiana, começou a gritar palavras desconexas e atirar para o alto e, depois, chegou a atirar contra os colegas, foi atingido por vários tiros e acabou morrendo em um hospital.

A canalha bolsonarista tentou transformar o transtorno do PM em uma reação à medida de lockdown decretado pelo governador baiano Rui Costa (PT). A presidente da Comissão de Constituição e Justiça da Câmara, deputada federal Bia Kicis, declarou que  “Morreu porque se recusou a prender trabalhadores. Disse não às ordens ilegais do governador Rui Costa da Bahia. Esse soldado é um herói. Agora a PM da Bahia parou. Chega de cumprir ordem ilegal!”.

Haverá algum parlamentar com coragem para tomar alguma providência em relação a uma colega que consegue distorcer a verdade mais do que o coiso fez com o pedido de desculpas de Angela Merkel ao desistir de um lockdown na semana passada? Ninguém nota o descalabro que é tê-la no comando da CCJ?

Os que apoiam o coiso não fogem ao script da mediocridade, irresponsabilidade e hipocrisia dele. O governador em exercício do RJ, Claudio Castro,  comemorou seu aniversário no domingo, em Itaipava. Ele, que recomendou aos fluminenses – na maior parte flamenguistas – que não saíssem de casa durante o lockdown por ele determinado, fez um convescote para celebrar a data ao qual compareceram os ocupantes de 12 veículos que foram contados na frente de sua choupana de férias.

 O gigantesco navio Ever Given que encalhou no dia 23 e bloqueou  o Canal de Suez – foi desencalhado ontem (29) – trouxe à memória alguns fatos. Quando as garrafas PET foram lançadas, anunciadas como grande benefício para a indústria, pois, vazias, ocupam menos espaço e são mais leves que as de vidro, não foram poucos os que previram o desastre que causariam à Natureza com o descarte irregular quê, sabiam, iria acontecer.

 Também houve alertas quando começou o lançamento de navios enormes, principalmente, os superpetroleiros, alguns  com capacidade de transportar mais de 400 mil toneladas de petróleo. Este digitador viajou, para uma reportagem em 1975, em um da então Fronape – Frota Nacional de Petroleiros –, o José Bonifácio, ore-oil, 330 metros de comprimento, 54,5 de largura (boca), 28 de calado, 40 mil toneladas vazio e capacidade de carregar 270 mil toneladas de petróleo ou minério. Durante a viagem, conversando com o comandante, disse-lhe que o navio nem chacoalharia em uma tempestade e tive como resposta “Você está enganado, com o mar ninguém pode, ele vira uma bolinha de ping-pong.”.

 Em março de 1989, o Exxon Valdez bateu em um recife nas proximidades do Alasca e causou um enorme desastre ambiental, 11 milhões de galões de petróleo bruto vazaram no mar, só 25 anos depois o ambiente começou a voltar ao normal.

O mesmo alerta sobre os perigos que representam foi feito em relação aos supercargueiros. Mas, tudo indica que há uma preferência para remediar em vez de prevenir.

(CACALO KFOURI)

                                                             ***************

Copiada da Folha

Bolsonaro demite general do Ministério da Defesa e deve abrigar centrão no Planalto

O general Fernando Azevedo e Silva foi demitido do cargo de ministro da Defesa nesta segunda-feira (29) pelo presidente Jair Bolsonaro (sem partido).

A saída faz parte de uma reforma ministerial que o presidente pretende anunciar até o final do dia. Segundo assessores palacianos e dirigentes partidários do bloco do centrão, Bolsonaro avalia deslocar o general Walter Braga Netto da Casa Civil para a Defesa.

Que beleza, mais um general humilhado por um capitão de araque. Ao fim do governo do coiso as Forças Armadas estarão abaixo do fiofó de cobra.

O Centrão, aos poucos, vai vendo sua falsa pressão dar certo, faz as ameaças para inglês ver, os componentes sabem que estão lidando com um bufão.

                                                              ***************▷ Cabras: Imagens Animadas, Gifs Animados & Animações – 100% Gratuitas!

Copiadas do UOL

 Copiada da Coluna CARLA ARAÚJO

Militares dizem que centrão está aumentando preço do aluguel de Bolsonaro

Diversos militares ouvidos pela coluna e que foram surpreendidos pelo anúncio da saída do general Fernando Azevedo e Silva do Ministério da Defesa disseram que o governo está abrindo um precedente perigoso ao abrir de vez a Esplanada dos Ministérios para indicados políticos.

Nas palavras de um militar de alta patente, o “Centrão não vende apoio, ele aluga. E está aumentando o aluguel”.

Parabéns aos militares, enfim enxergaram alguma coisa, concordaram com o Mirando eh eh eh. Estranho, muito estranho…

 José Levi Mello do Amaral pede demissão da Advocacia-Geral(*) da União

O advogado-geral(*) da União, José Levi Mello do Amaral Júnior, pediu demissão hoje do governo de Jair Bolsonaro (sem partido). Com a saída de Levi, segundo auxiliares do presidente, o atual ministro da Justiça e Segurança Pública, André Luis Mendonça, deve retornar para a AGU, onde atuava antes de assumir o lugar do ex-ministro Sergio Moro. Para o lugar de Mendonça, segundo fontes, teria sido convidado o atual secretário de segurança do Distrito Federal, Anderson Torres, que chegou a ser cotado para assumir a direção da Polícia Federal.

(*) Este digitador não lembra se tratou do assunto, Advocacia Geral e advogado geral, segundo o Volp, não levam hífen, mas estão assim no nome oficial do órgão, entonces, não há remédio.

O coiso anunciou que “o caos vem aí”. Virá no caso de o significado do verbete mudar, passar a ter o sentido de lamaçal.

 Polícia descobre conversa de Jairinho com ex no dia da morte de Henry

Um dia antes e na madrugada da morte de Henry Borel, no dia 8 de março, no Rio de Janeiro, o padrasto do menino e vereador Dr. Jairinho (Solidariedade), conversou com uma ex-namorada que ele ainda ajudava(*) financeiramente, segundo investigações da Polícia Civil do Rio.

(*) Cara-pálida, ainda ajudava ou ajuda?

Na ocasião, a professora teria ido com ele em(*) uma padaria para comprar lanches na tentativa de acalmá-lo

(*) A padaria é um sedan ou uma SUV? A uma padaria, cara-pálida.

 As filmagens ainda mostram Dr. Jairinho com Monique e Henry no elevador do prédio em que eles moravam, às 19h39 da noite(???).

(???) Tem certeza, cara-pálida, que foi da noite, não pode ter sido da manhã? Barrabás, para o UOL um crime só não basta, tem de atacar a lógica.

Horas depois da morte da criança, as câmeras de segurança do prédio registraram Jairinho, às 9h08 da manhã(*) da segunda-feira

(*) De novo, tem certeza que não foi da noite?

 (..). Em resposta, às(!!!) 1h47, do dia 8 (segunda), o parlamentar respondeu: “Pelo amor de Deus”. Segundo Monique foi aproximadamente nesse horário, às(!!!) 1h50, que ela e o namorado saíram da sala para assistir (!!!) televisão

(!!!) Cara-pálida, já ouviu falar que até chegar a dois tudo fica no singular, à 1h47, à 1h50? E que é assistir à TV?

Apesar disso, ela declarou que ambos se encontraram presencialmente(!!!) por três vezes

(!!!) Tem certeza, cara-pálida, que o encontro foi ao vivo e em cores, que a presença não foi virtual?

 Em outro momento, também de acordo com ela, o hoje vereador queria (conversar com ela e quando a mulher se recusou, ele teria a puxado pela grade do portão, fazendo com que ela batesse os seios contra a grade.)(*)

(*) Cara-pálida, você tiraria zero no Enem, não tem noção do que seja escrever, Barrabás, só o UOL mesmo para contratá-lo, com todo o respeito: “conversar e quando se recusou ele a puxou – é ela que está falando, não saberia o que diz – pela grade do portão, fazendo com que batesse os seios contra ela.”.

 Ademais, o vereador dava “cascudos” na cabeça da garota e torcia seus braços e (suas)(*) pernas, e chegou a levar a menina para uma piscina e afundava a cabeça dela embaixo(!!!) d’água.

(*) Escreva braços e pernas e não precisa de especificar gênero, cara-pálida.

(!!!) Mesmo, tem certeza, não foi na superfície que afundou?

De vomitar, de não conseguir olhar o Jairinho, de não querer ficar perto do padrasto, de preferir ficar com os avós do que ficar com a mãe, não querer está(X)(estar) próximo dele

O boletim de ocorrência aponta que o parlamentar “sempre foi violento” e que ela sofreu “diversas agressões” de Jairinho(,) que chegou a tentar enforcá-la.

Brasileiros e brasileiros, confesso, é o pior texto que fui obrigado a ler desde que comecei a “mirandar”. Barrabás!!!

                                                             ***************

1 thought on “Rufem os tambores: mexe mexe para a familícia

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Assine a nossa newsletter