Ansiedade e saúde coletiva. Por Meraldo Zisman

Ansiedade e saúde coletiva

Meraldo Zisman

 Transformar um problema em uma doença fica mais fácil, pois doença tem remédio, embora nem sempre…

Introdução:
Ansiedade é a sensação de receio ou de apreensão sem causa evidente, à qual se agregam fenômenos somáticos como taquicardia, sudorese, etc. Segredo é aquilo que não pode ser revelado; sigilo.
Não simpatizo com definições. Caso curtas geralmente são incompletas; quando longas perdem a sua razão de ser. Daí minha relutância em decidir qual a mais apropriada para sentirmos a complexidade das emoções humanas. Acordo com a frase: as emoções são individuais.
A ansiedade é uma emoção normal do ser humano, comum ao se enfrentar algum problema no trabalho, antes de uma prova ou diante de decisões difíceis. No entanto a ansiedade, quando excessiva, pode se tornar uma doença, ou melhor, um distúrbio. A internet modificou a relação humana com o tempo e o espaço; o conhecimento ficou diferente, mas nunca as emoções.
…A depressão é a enfermidade que mais contribui com a incapacidade no mundo, em cerca de 7,5% ela está presente. Ela é, também é, a principal causa de mortes por suicídio, com cerca de 800 mil casos por ano. Os números de suicídio representam uma alta de 15% em comparação ao ano 2005
Epidemiologia:
(Sinonímia: ciência que trata das epidemias, suas causas, efeitos, curas, envolvendo todos os tipos de doenças além das infectocontagiosas causada por vírus ou bactérias)
A Organização Mundial da Saúde (OMS) assinala que 322 milhões de pessoas pelo mundo sofrem de depressão, 18% a mais que há dez anos. O número representa 4,4% da população do planeta.
No caso do Brasil, a OMS estima que 5,8% da população nacional é afetada pela depressão, o que coloca o País no quarto lugar:— A ansiedade é o maior do problema de Saúde Coletivo O ranking é liderado pela Ucrânia, com 6,3% da população em depressão. Estônia, Estados Unidos e Austrália ficam na segunda posição, com 5,9%.
A taxa média brasileira supera a de Cuba, com 5,5%, a do Paraguai, com 5,2%, além de Chile e Uruguai com 5%.
As mulheres são as principais afetadas, com 5,1% delas em depressão. Entre os homens, a taxa é de 3,6%. Em números absolutos, metade dos 322 milhões de vítimas do distúrbio vivem na Ásia. E tem mais: A depressão é a enfermidade que mais contribui com a incapacidade no mundo, em cerca de 7,5% ela está presente. Ela é, também é, a principal causa de mortes por suicídio, com cerca de 800 mil casos por ano. Os números de suicídio representam uma alta de 15% em comparação ao ano 2005.O Brasil lidera na América Latina e no mundo, com 9,3% da sua população com algum tipo do transtorno de ansiedade.  No Paraguai, a contribuição é de 7,6%, contra 6,5% no Chile e 6,4% no Uruguai.
Dan Chisholm (especialista da OMS para assuntos da saúde mental) adverte que é difícil lembrar um fator isolado que explicaria a alta taxa de transtornos de ansiedade.
E continua:
“Ao contrário de outras doenças, existem muitos fatores que atuam de forma conjunta para criar esse cenário”.
No caso do Brasil, entre os principais fatores de risco que podem pesar sobre os brasileiros incluem-se:
“A situação econômica inerente ao país, os níveis de pobreza, desigualdade, desemprego e recessão. Além disso, existem fatores ambientais, como o estilo de vida em grandes cidades”.
Levando-se em conta o que foi ressaltado, faz-se necessário emitir sinais de alerta. Não estranho esses resultados estatísticos, mas sim o silêncio das mídias profissionais ou sociais, que são tão influentes.
 Vale a pena essa série. 
Clique nos links abaixo e leia os outros artigos do autor sobre o tema ANSIEDADE:

Ansiedade assustadora. Por Meraldo Zisman

A ansiedade das crianças. Por Meraldo Zisman

Ansiedade e Tráfego. Por Meraldo Zisman
Nova causa de ansiedade nos idosos. Por Meraldo Zisman
Ansiedade do Recalcado. Por Meraldo Zisman
Ansiedade e Inveja. Por Meraldo Zisman
Ansiedade e desemprego. Por Meraldo Zisman
Ansiedade e Médicos. Por Meraldo Zisman
Em defesa de certa ansiedade. Por Meraldo Zisman
Ansiedade e prêt-à-porter. Por Meraldo Zisman
Será? (Epidemiologia da Ansiedade). Por Meraldo Zisman
Judicialização (ansiedade profissional). Por Meraldo Zisman
Ansiedade e consumismo. Por Meraldo Zisman
Ansiedade generalizada. Por Meraldo Zisman
Ansiedade e Crise Nacional. Por Meraldo Zisman
Ansiedade. Perguntas que não devem/podem ser feitas. Por Meraldo Zisman
____________________

Meraldo Zisman Médico, psicoterapeuta. Foi um dos primeiros neonatologistas brasileiros. Consultante Honorário da Universidade de Oxford (Grã-Bretanha). Vive no Recife (PE).

About

Brickmann & Associados Comunicação - B&A / Tel. (11) 3885-6656 / www. brickmann.com.br / E-mail: contato@chumbogordo.com.br / Twitter: twitter.com/ChumboGordo / Facebook: facebook.com/chumbogordo

No comments yet.

Leave a comment

Your email address will not be published.